Genealogia como exercício de contramemória: Afrânio Peixoto e a emergência da escola (1932-1942)

Conteúdo do artigo principal

José Gonçalves Gondra
http://orcid.org/0000-0002-0669-1661

Resumo

Neste artigo, exploro alguns princípios narrativos contidos no manual Noções de História da Educação, objeto de três reedições sucessivas (1933, 1936 e 1942), de autoria do polígrafo, Afrânio Peixoto, resultante dos três anos de sua vida (1932-1934) dedicados ao ensino de história da educação no Instituto de Educação do Rio de Janeiro. Nesta narrativa, Peixoto oferece às futuras professoras aquilo que designa como uma “história da civilização”, capital considerado necessário para que compreendessem a “ponta extrema do passado” e outros presentes, condição para se obter uma maior profissionalização da docência. Com este investimento, trabalho no registro de uma espécie de origem da escola, de fundação primeira, operando com marcos fundamentais destinados a comprovar a substância e funções deste acontecimento. No presente exercício, procuro desfazer a perpetuação imóvel de uma suposta identidade e funcionamento da escola, suspensa no tempo, para tentar pensar nas operações historiográficas e movimento pedagógico aos quais o referido manual se filia e que ajuda a legitimar e reproduzir.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Detalhes do artigo

Como Citar
Gondra, J. G. (2020). Genealogia como exercício de contramemória: Afrânio Peixoto e a emergência da escola (1932-1942). Cadernos De História Da Educação, 19(2), 377–391. https://doi.org/10.14393/che-v19n2-2020-7
Seção
Dossiê: Foucault, a genealogia, a história da educação
Biografia do Autor

José Gonçalves Gondra, Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Brasil)

Bolsista de Produtividade em Pesquisa do CNPq
Pesquisador da Faperj
http://orcid.org/0000-0002-0669-1661
http://lattes.cnpq.br/6103523487830536
gondra.uerj@gmail.com

Referências

DUGANN, Stephen Pierce H. A student textbook in the History of Education. New York/Chicago: D. Appleton and Company, 1916.

FOUCAULT, Michel. “Nietzsche, a genealogia e a história.” In: FOUCAULT, Michel. Microfísica do poder. Tradução: Roberto Machado. 10a ed. Rio de Janeiro: Graal, 1992.

GONDRA, José. G. Abílio Cesar Borges. In: FAVERO, Maria de Lourdes; BRITO, Jader. Dicionário dos Educadores no Brasil - da Colônia aos dias atuais. Rio de Janeiro: Editora da UFRJ, 2002.

GONDRA, José; ASCOLANI, A. Pela classe, pelo livro: a fundação de uma História da Educação para professores, no Brasil e na Argentina. In: VIDAL, Diana.; ASCOLANI, Adrián. (Org.). Reformas educativas no Brasil e Argentina. São Paulo: Cortez, 2009.

GONDRA, José; TEIXEIRA, Giselle Baptista. Observatório das aulas? Livros escolares e pesquisa em história da educação. In: Ana Waleska Mendonça. (Org.). História e Educação - Dialogando com as fontes. Rio de Janeiro: Editora Forma & Ação, 2010.

GONDRA, José G. Temperar a alma, retemperar os músculos: corpo e História da Educação em Afranio Peixoto. Pro-Posições, Campinas, v.22, n.3, p.19-34, 2011. http://dx.doi.org/10.1590/S0103-73072011000300003

GONDRA, José; SILVA, José Cláudio S. Escritas da história - um estudo da produção de Afranio Peixoto. In: GONDRA, José; SILVA, José Cláudio. História da Educação na América Latina: ensinar & escrever. Rio de Janeiro: EdUERJ, 2011.

GONDRA, José G.; SILVA, José C. Sooma. Textbooks in the history of education: notas para pensar as narrativas de Paul Monroe, Stephen Duggan e Afranio Peixoto. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, v. 92, p. 702-722, 2011a.

GONDRA, José G.; SILY, Paulo R. M. Narrativas da História e Representações do Estado: Um estudo do caso Stephen Duggan (1870-1950). Teias, v. 28, p. 1-17, 2012.

GONDRA, José G.; SILY, Paulo R. M. Narrativas em Trânsito: Apontamentos sobre internacionalização da história e historiografia da educação nas Américas (1916-1934). Revista Mexicana de Historia de la Educación, v.1, p.199-227, 2013. https://doi.org/10.29351/rmhe.v1i2.24

HOFSTETTER, Rita. Matrizes do internacionalismo educativo à era de sua primeira institucionalização em uma escala global: o exemplo do bureau internacional de educação no entreguerras. In GONDRA, José; SIMÕES, Regina Helena; MACHADO, Maria C. G. (Orgs.). História da Educação, matrizes interpretativas e internacionalização. Vitória: EDUFES, 2017.

MEDINA, José. Toward a Foucaultian Epistemology of Resistance: Counter-Memory, Epistemic Friction, and Guerrilla Pluralism. Foucault Studies, No. 12, pp. 9-35, October, 2011. https://doi.org/10.22439/fs.v0i12.3335

MIGNOT, Ana C. V. Baú de memórias, bastidores da história: legado de Armanda Alvaro Alberto. Bragança Paulista, EDUSF, 2002.

MONARCHA, Carlos; LOURENÇO FILHO, Ruy (orgs). Por Lourenço Filho: uma bioblibliografia. Brasília: Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais, 2001. Disponível em http://portal.inep.gov.br/documents/186968/484703/Por+Louren%C3%A7o+ Filho+uma+bibibliografia/f0480a5b-3b43-43a3-b491-f7fedd3eca0c?version=1.5. Acesso em 1 de fevereiro de 2019.

MONROE, Paul. A brief-course in the history of education. New York: Macmillan, c1907.

MONROE, Paul. História da educação. Tradução de Nelson Cunha de Azevedo. 1. ed. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1939.

MORAES, José D. Armanda Álvaro Alberto: Pensamento e ação nos anos 1930. Anais do IV CBHE, 2006. Disponível em http://www.sbhe.org.br/novo/congressos/cbhe4/individuais-coautorais/eixo06/Jose%20Damiro%20de%20Moraes%20-%20Texto.pdf. Acesso em 1 de fevereiro de 2019.

PEIXOTO, Afrânio. Noções de História da Educação. São Paulo: Cia. Editora Nacional, 1933.

PEIXOTO, Afrânio. Noções de História da Educação. 2ª. ed. São Paulo: Cia. Editora Nacional, 1936.

PEIXOTO, Afrânio. Noções de História da Educação. 3ª. ed. São Paulo: Cia. Editora Nacional, 1942.

PINHEIRO, Fernanda; SILY, Paulo & GONDRA, José. A natureza por princípio e a ciência como meio: apropriações de Herbert Spencer no eixo luso-brasileiro (1861-1886), 2019 (no prelo).

RESENDE, Haroldo. A história na perspectiva genealógica de Michel Foucault. ANPUH – XXIII Simpósio Nacional de História. Londrina, 2005.

RIBEIRO, Leonídio. Afranio Peixoto. Rio de Janeiro: Edições Conde, 1950.

ROTHBARD, Murray. Educação: livre e obrigatória. São Paulo: Instituto Ludwig von Mises, 2013.

SILVA, José Cláudio Sooma; FAVARO, Marta Regina Gimenez. Paul Monroe e a circulação de uma modalidade narrativa para se pensar e ensinar as histórias da educação. Revista Brasileira de História da Educação, Maringá-PR, v. 14, n. 3 (36), p. 181-204, set./dez. 2014. http://dx.doi.org/10.4025/rbhe.v14i3.574.1

SOBE, Noah. Fontes, teoria, escolarização e infância: afeto e corporeidade nas escolas progressistas norteamericanas do amanhã. In: GONDRA, José; SIMÕES, Regina Helena; MACHADO, Maria C. G. (Orgs.). História da Educação, matrizes interpretativas e internacionalização. Vitória: EDUFES, 2017.

TAMBIAH, Stanley. Múltiplos ordenamentos de realidade: o debate iniciado por Lévy-Bruhl
Cadernos de campo, São Paulo, n. 22, p. 1-384, 2013. Disponível em www.revistas.usp.br/cadernosdecampo/article/download/52613/pdf_5/. Acesso em 4 de fevereiro de 2019.

TAMBOUKOU, Maria. Writing Genealogies: an exploration of Foucault's strategies for doing research. Discourse: Studies in the Cultural Politics of Education, 20:2, 201-217, 1999.

VIEIRA, Carlos Eduardo. A escrita da História da Educação no Brasil: formando professores através de noções de história. In: GONDRA, José; SILVA; José Cláudio. História da Educação na América Latina: ensinar & escrever. Rio de Janeiro: EdUERJ, 2011.