VARIAÇÕES CLIMÁTICAS E ADOÇÕES DE MEDIDAS PÚBLICAS NA DISSEMINAÇÃO DO NOVO CORONAVÍRUS NO BRASIL

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/RCG249263336

Palavras-chave:

Saúde pública, Ações governamentais, Parâmetros meteorológicos, SARS-CoV-2

Resumo

Diversos estudos foram desenvolvidos para identificar a relação entre variáveis meteorológicas e a disseminação do vírus SARS-CoV-2. Embora existam pesquisas que investiguem tal relação no Brasil, o período de análise foi curto e a influência de decisões políticas sobre o número de registros não foi considerada. Pelo exposto, este estudo investigou a correlação dos parâmetros meteorológicos com a disseminação da COVID-19, bem como o impacto das ações governamentais para conter o avanço da doença. Foram escolhidas como áreas de estudo 4 cidades brasileiras com diferentes tipos climáticos - Manaus, Brasília, São Paulo e Porto Alegre. Os resultados não identificaram uma forte relação entre a disseminação da COVID-19 no Brasil com a variação meteorológica da temperatura, da umidade relativa do ar, do vento e da chuva. Entende-se, que as ações governamentais que estimulem o distanciamento social e a vacinação em massa devam ser empregadas como políticas públicas prioritárias para reduzir a transmissibilidade do novo coronavírus no Brasil.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ananda Santa Rosa de Andrade , Universidade de Brasília

Geógrafa, mestra e doutoranda em Geografia pela Universidade de Brasília (UnB). Trabalha com monitoramento ambiental, análise da paisagem e validação de dados geoespaciais. Atuou no Ibama (Prevfogo), ICMBio e no INPE (Programa Queimadas). Foi consultora da Curupira Tecnologia para desenvolver diagnósticos sobre queimadas em terras indígenas. No âmbito da pesquisa, auxiliou em atividades de validação de produtos de área queimada com o LASA/UFRJ e análise do impacto de políticas públicas para mitigar incêndios florestais em terras indígenas na PÓS GEA|UnB. Atualmente é coordenadora de projetos queimadas na COIAB e está vinculada ao grupo de pesquisas Biogeografia Aplicada da UnB.

Rafael Rodrigues da Franca, Universidade de Brasília

Possui graduação em Geografia (Bacharelado) pela Universidade Federal de Minas Gerais (2006), Mestrado em Geografia (Análise Ambiental), com ênfase em Climatologia, pela Universidade Federal de Minas Gerais (2009) e Doutorado em Geografia, com ênfase em Climatologia, pela Universidade Federal do Paraná (2015). É professor do Departamento de Geografia da Universidade de Brasília e ministra disciplinas nesse curso e nos cursos de Engenharia Florestal e Ciências Ambientais. Tem experiência em Geografia Física, atuando principalmente em Climatologia, dinâmica e variabilidade climática e clima urbano. Atualmente (desde 2017) é coordenador do Laboratório de Climatologia Geográfica da UnB.

Thiago Almeida de Lima, Universidade de Brasília

Geógrafo pela Universidade de Brasília, professor de Ensino Básico.

Ana Júlia Tomasini , Universidade de Brasília

Doutoranda em Bioética pelo Programa de Pós-graduação em Bioética da Universidade de Brasília. Mestre em Geografia com foco em Geografia da Saúde (Geoprocessamento) - pela Universidade de Brasília (2016).Bacharela e Licenciada em Geografia pela Universidade de Brasília (2012). Experiência em Geografia Humana, ênfase em Geografia Urbana e da Saúde, Geotecnologias Aplicadas à Análise Ambiental e Saúde, Saúde Coletiva, Filosofia, Suicidologia, Bioética, Ética, Modernidade e Colonialidade , Raça e Gênero.

Ercilia Torres Steinke, Universidade de Brasília

Possui graduação em Geografia pela Universidade de Brasília - UnB (1994), mestrado em Tecnologia Ambiental e Recursos Hídricos pela Universidade de Brasília (1997) e doutorado em Ecologia pela Universidade de Brasília (2004). Professora e pesquisadora do Departamento de Geografia da UnB. Fundadora do Laboratório de Climatologia Geográfica - LCGea da Universidade de Brasília. Coordenadora do Curso de Licenciatura em Geografia a Distância desde 2019. Tem experiência na área de Geografia, com ênfase em Climatologia Geográfica, atuando principalmente no ensino de Climatologia.

Ruth Elias de Paula Laranja, Universidade de Brasília

Graduação em Licenciatura e Bacharelado em Geografia pela Universidade de Brasília.Pós-Doutorado pela Universidade de Porto- Portugal. Doutorado pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (2002). Atualmente é professor associada I da Universidade de Brasília. Tem experiência na área de Geografia, com ênfase em Geografia Física, atuando principalmente nos seguintes temas: avaliação e impacto ambiental, gestão ambiental, biogeografia, áreas degradadas, ensino de geografia e geografia da saúde.

Downloads

Publicado

04-04-2023

Como Citar

ANDRADE , A. S. R. de; FRANCA, R. R. da; LIMA, T. A. de; TOMASINI , A. J.; STEINKE, E. T.; LARANJA, R. E. de P. VARIAÇÕES CLIMÁTICAS E ADOÇÕES DE MEDIDAS PÚBLICAS NA DISSEMINAÇÃO DO NOVO CORONAVÍRUS NO BRASIL. Caminhos de Geografia, Uberlândia, v. 24, n. 92, p. 177–190, 2023. DOI: 10.14393/RCG249263336. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/caminhosdegeografia/article/view/63336. Acesso em: 18 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos