AS CONDIÇÕES SÓCIO-AMBIENTAIS DE ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE NA ZONA URBANA DE UBERLÂNDIA: ASPECTOS PAISAGÍSTICOS E SOCIAIS

Autores

  • David Jackson Vieira Borges Universidade Federal de Uberlândia
  • Ana Maria Oliveira Cunha Universidade Federal de Uberlândia
  • Oswaldo Marçal Júnior Universidade Federal de Uberlândia

DOI:

https://doi.org/10.14393/RCG71815425

Palavras-chave:

Áreas de preservação permanente, Ecologia de paisagem, Percepção ambiental, Degradação ambiental

Resumo

O objetivo desta pesquisa foi realizar um diagnóstico das condições ambientais das Áreas de Preservação Permanente (APPs) localizadas na zona urbana de Uberlândia (MG) e avaliar a percepção da população que vive no entorno destas áreas. O enfoque metodológico utilizado foi quali - quantitativo. Foram realizadas visitas de campo, onde levantou-se dados sobre a paisagem local e com a aplicação de formulário estruturado junto a população que vive no entorno das APPs avaliou-se a percepção desses indivíduos, investigando suas opiniões, atitudes e valores em relação as áreas investigadas. Com os resultados obtidos concluiu-se que as nascentes e margens dos córregos de Uberlândia se encontram nas categorias de degradação média e alta, onde os principais problemas são o desmatamento, o uso e a ocupação desordenada do solo, a poluição do solo e da água. A população entrevistada demonstrou perceber os problemas nas APPs, reconhecendo sua importância estética e funcional, quanto ao fornecimento de água. Programas de recuperação das APPs devem ser acompanhados de projetos de Educação Ambiental, de forma a garantir o sucesso da regeneração e conservação destas áreas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

20-06-2006

Como Citar

BORGES, D. J. V.; CUNHA, A. M. O.; MARÇAL JÚNIOR, O. AS CONDIÇÕES SÓCIO-AMBIENTAIS DE ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE NA ZONA URBANA DE UBERLÂNDIA: ASPECTOS PAISAGÍSTICOS E SOCIAIS. Caminhos de Geografia, Uberlândia, v. 7, n. 18, p. 146–161, 2006. DOI: 10.14393/RCG71815425. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/caminhosdegeografia/article/view/15425. Acesso em: 3 mar. 2024.

Edição

Seção

Artigos