Atividade de estudo e sentido pessoal: uma revisão teórica

Conteúdo do artigo principal

Ana Bárbara Joaquim Mendonça
https://orcid.org/0000-0001-5921-380X
Flávia da Silva Ferreira Asbahr
https://orcid.org/0000-0002-7338-0003

Resumo

Trata-se de uma revisão bibliográfica cujo objetivo é analisar como os conceitos de sentido pessoal e atividade de estudo aparecem nas pesquisas brasileiras, tendo como referência a Psicologia Histórico-Cultural. Constou-se que existem poucos trabalhos sobre atividade de estudo, revelando lacunas na investigação desta atividade. Já o sentido foi conceituado de diversas formas, as quais foram agrupadas em três categorias: a partir do pensamento e linguagem; a partir da atividade e consciência; a partir do simbólico e emocional. Concluiu-se que há necessidade de um maior rigor conceitual dentro da teoria, bem como de um aprofundamento sobre a atividade de estudo, atividade-guia da idade escolar.


 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Detalhes do artigo

Como Citar
Mendonça, A. B. J., & Asbahr, F. da S. F. (2019). Atividade de estudo e sentido pessoal: : uma revisão teórica. Obutchénie. Revista De Didática E Psicologia Pedagógica, 2(3), 780–800. https://doi.org/10.14393/OBv2n3.a2018-47450
Seção
Varia/Varies

Referências

AGUIAR, W. M. J. de; OZELLA, S. Núcleos de significação como instrumento para a apreensão da constituição dos sentidos. Revista Psicologia: ciência e profissão, São Paulo, v. 26, n. 2, p. 222-245, 2006.

AGUIAR, W. M. J. de; OZELLA, S. Apreensão dos sentidos: aprimorando a proposta dos núcleos de significação. Rev. Bras. Estud. Pedagog., Brasília, v. 94, n. 236, p. 299-322, 2013.

ANDRADA, E. G. C.; ZANELLA, A. V. Processos de significação no brincar: problematizando a constituição do sujeito. Psicologia em Estudo, Maringá, v. 7 n.2, p.127-133, 2002.

ASBAHR, F. da S. F. A pesquisa sobre a atividade pedagógica: contribuições da teoria da atividade. Rev. Bras. Educ., Rio de Janeiro, n. 29, p. 108-118, 2005.

ASBAHR, F. da S. F.; SOUZA, M. P. R. de. "Por que aprender isso, professora?" Sentido pessoal e atividade de estudo na psicologia histórico-cultural. Estud. Psicol., Natal, v. 19, n. 3, p. 169-178, 2011.

ASBAHR, F. da S. F. Sentido pessoal, significado social e atividade de estudo: uma revisão teórica. Psicol. Esc. Educ., Maringá, v. 18, n. 2, p. 265-272, 2014.

BARBOSA, E. T.; SOUZA, V. L. T. de. Sentidos do Respeito para Alunos: uma Análise na Perspectiva da Psicologia Histórico-Cultural. Psicol. cienc. Prof., Brasília, v. 35, n. 2, p. 255-270, 2015.

BARROS, J. P. P. et al. O conceito de "sentido" em Vygotsky: considerações epistemológicas e suas implicações para a investigação psicológica. Psicol. Soc., Florianópolis, v. 21, n. 2, p. 174-181, 2009.

BERNARDES, M. E. M.; MOURA, M. O. de. Mediações simbólicas na atividade pedagógica. Educ. Pesqui., São Paulo v. 35, n. 3, p. 463-478, 2009.

DAVYDOV, V.: MÁRKOVA, A. La concepcion de la atividade de estudio de los escolares. In: DAVYDOV, V.: SHUARE, M. La psicologia evolutiva y pedagogia em la URSS: antologia.Moscou: Editorial Progresso, 1987.

FACCI, M. G. D. A periodização do desenvolvimento psicológico individual na perspectiva de Leontiev, Elkonin e Vigostski.Cad. CEDES, Campinas, v. 24, n. 62, p. 64-81, 2004.

GOMES, C. A. V. O lugar do afetivo no desenvolvimento da criança: implicações educacionais. Psicol. estud., Maringá, v. 18, n. 3, p. 509-518, 2013.

GONZÁLEZ REY, F. L. O social na psicologia e a psicologia social. Petrópolis: Vozes, 2003.

GONZÁLEZ REY, F. As categorias de sentido, sentido pessoal e sentido subjetivo: Sua evolução e diferenciação na teoria histórico-cultural. Psicologia da Educação, São Paulo, n. 24, 155-179, 2007.

GONZÁLEZ REY, F. L. As configurações subjetivas do câncer: um estudo de casos em uma perspectiva construtivo-interpretativa.Psicol. cienc. prof., Brasília, v. 30, n. 2, p. 328-345, 2010.

LEONARDO, N. S. T.; LEAL, Z. F. de R. G.; ROSSATO, S. P. M. A naturalização das queixas escolares em periódicos científicos: contribuições da Psicologia Histórico-Cultural. Psicol. Esc. Educ., Maringá, v. 19, n. 1, p. 163-171, 2015.

LEONTIEV, A.N. O desenvolvimento do psiquismo. Lisboa: Livros Horizonte, 1978.

LEONTIEV, A.N. Actividad, conciencia e personalidad.Havana: Pueblo y Educacion, 1983.

LEONTIEV, A. N. Uma contribuição à teoria do desenvolvimento da psique infantil. In: VIGOTSKII, L. S.; LURIA, A. R.; LEONTIEV, A. N. Linguagem, desenvolvimento e aprendizagem.9. ed. São Paulo: Ícone, 2001.

MACEDO, L. M. de; MARTIN, S. T. F. Interdependência entre os níveis de atenção do Sistema Único de Saúde (SUS): significado de integralidade apresentado por trabalhadores da Atenção Primária. Interface, Botucatu, v. 18, n. 51, p. 647-660, 2014.

MAHEIRIE, K. et al. Imaginação e processos de criação na perspectiva histórico-cultural: análise de uma experiência. Estud. psicol., Campinas, v. 32, n. 1, p. 49-61, 2015.

MARQUES, P. B.; CASTANHO, M. I. S. O que é a escola a partir do sentido construído por alunos. Psicol. Esc. Educ. (Impr.), Maringá, v. 15, n. 1, p. 23-33, 2011.

MARTINS, L. M.; EIDT, N. M. Trabalho e atividade: categorias de análise na psicologia histórico-cultural do desenvolvimento. Psicol.estud, Maringá, v. 15, n. 4, p. 675-683, 2010.

MONTEZI, A. V.; SOUZA, V. L. T. de. Era uma vez um sexto ano: estudando imaginação adolescente no contexto escolar. Psicol. Esc. Educ., Maringá, v. 17, n. 1, p. 77-85, 2013.

MORI, V. D.; GONZÁLEZ REY, F. L. Reflexões sobre o social e o individual na experiência do câncer. Psicol. Soc., Florianópolis, v. 23, n. spe, p. 99-108, 2011.

PASQUALINI, J. C. A perspectiva histórico-dialética da periodização do desenvolvimento infantil. Psicol. estud., Maringá, v. 14, n. 1, p. 31-40, 2009.

PASQUALINI, J. C. Periodização do desenvolvimento psíquico e ações educativas. In: SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE BAURU. Proposta pedagógica de Educação Infantil do Município de Bauru. Bauru: SME/PMB, 2016. p. 75-85.

PETRONI, A. P.; SOUZA, V. L. T. de. As relações na escola e a construção da autonomia: um estudo da perspectiva da psicologia.Psicol. Soc., Florianópolis, v. 22, n. 2, p. 355-364, 2010.

PUENTES, R. V.; LONGAREZI, A. M. Escola e didática desenvolvimental: seu campo conceitual na tradição da teoria histórico-cultural. Educ. rev., Belo Horizonte, v. 29, n. 1, p. 247-271, 2013.

SOUZA, V. L. T. de; ANDRADA, P. C. de. Contribuições de Vigotski para a compreensão do psiquismo. Estud. psicol., Campinas, v. 30, n. 3, p. 355-365, 2013.

TACCA, M. C. V. R.; GONZÁLEZ REY, F. L. Produção de sentido subjetivo: as singularidades dos alunos no processo de aprender. Psicol. cienc. prof., Brasília, v. 28, n. 1, p. 138-161, 2008.

VECCHIA, M. D.; MARTINS, S. T. F. Concepções dos cuidados em saúde mental por uma equipe de saúde da família, em perspectiva histórico-cultural. Ciênc. saúde coletiva, Rio de Janeiro, v. 14, n. 1, p. 183-193, 2009.

VYGOTSKI, L.S. Obras escogidas. Madrid: Visor, 1996. v. 4.

VIGOSTKY, L.S. (2001). A construção do pensamento e da linguagem. Trad. Paulo Bezerra. 2. ed. São Paulo: WMF Martins Fontes, 2009.

WAZLAWICK, P.; CAMARGO, D. de; MAHEIRIE, K. Significados e sentidos da música: uma breve "composição" a partir da psicologia histórico-cultural. Psicol. estud., Maringá, v. 12, n. 1, p. 105-113, 2007.

WORTMEYER, D. S.; SILVA, D. N. H.; BRANCO, A. U. Explorando o território dos afetos a partir de Lev Semenovich Vigotski. Psicol. estud., Maringá, v. 19, n. 2, p. 285-296, 2014.