Atividade orientadora de ensino e proposição davydoviana na organização do ensino de matemática

Conteúdo do artigo principal

Josélia Euzébio da Rosa
https://orcid.org/0000-0001-5738-8518
Cristina Felipe de Matos
https://orcid.org/0000-0001-8121-6572

Resumo

Apresentamos um estudo de natureza bibliográfica sobre os princípios da Teoria Histórico-Cultural, que orientam o modo de organização do ensino de Matemática no contexto da Atividade Orientadora de Ensino (AOE) e da proposição davydoviana. O foco consiste na interpretação e resolução de problemas sobre adição e subtração. O movimento investigativo ocorreu em dois momentos interconectados: estudo teórico e, com base neste, elaboração e organização de uma situação desencadeadora de aprendizagem. Os resultados indicam que o movimento conceitual, no modo de organização do ensino, fundamentado na Teoria Histórico-Cultural, segue do geral para o particular, conduzido pela relação universal parte-todo. As significações aritméticas, algébricas e geométricas são inter-relacionadas nos procedimentos de redução do concreto ao abstrato (modelação gráfica e literal), e de ascensão do abstrato ao concreto (diferentes aplicações).


 


 


 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Detalhes do artigo

Como Citar
Rosa, J. E. da, & de Matos, C. F. (2018). Atividade orientadora de ensino e proposição davydoviana na organização do ensino de matemática . Obutchénie. Revista De Didática E Psicologia Pedagógica, 1(4), 69–91. https://doi.org/10.14393/OBv2n1a2018-4
Seção
Dossiê Cont. teórico-metodológicas da Teoria Histórico-Cultural para a Educ Mat

Referências

BRUNELLI, J. B. Projeto ou atividade de ensino e de aprendizagem? Expressões da implantação da Proposta Curricular do Estado de Santa Catarina.2012. 128 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade do Extremo Sul Catarinense,Criciúma.

CARAÇA, B. J. Conceitos Fundamentais da Matemática. Lisboa: Gradiva, 1998.

DAVÍDOV, V. V. La enseñanza escolar y el desarrollo psíquico: investigación teórica y experimental. Trad. Marta Shuare. Moscú: Editorial Progreso, 1988.

______. O que é a atividade de estudo. Revista Escola inicial. n. 7, 1999.

DAVÝDOV, V. V.Tipos de generalización en la enseñanza. 3.ed. Habana: Editorial Pueblo y Educación, 1982.

FERNANDES, D. Brasil avança em conhecimento básico de Matemática, mas continua atrás no ranking. BBC Brasil:fev. 2016. Disponível em: <http://www.bbc.com/portuguese/noticias/2016/02/160209_ocde_alunos_baixa_performance_pai_df>. Acesso em: 07 ago. 2016.

GALDINO, A. P. S. O conhecimento matemático de estudantes do 3º ano do ensino fundamental sobre o conceito de multiplicação: um estudo com base na Teoria Histórico-Cultural. 2016. 110f. Dissertação (Mestrado em Educação). Universidade do Sul de Santa Catarina, Tubarão, 2016.

GATTI, B. A.; BARRETO, E. S. S. Professores do Brasil: impasses e desafios. Brasília: UNESCO, 2009.

HOBOLD, E. S. F. Proposições para o Ensino da tabuada com base nas Lógicas Formal e Dialética. 2014. 199 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade do Sul de Santa Catarina, UNISUL, Tubarão, 2014.

KALMYKOVA, Z. I. Pressupostos psicológicos para uma melhor aprendizagem da resolução de problemas aritméticos. In: LÚRIA; LEONTIEV, VYGOTSKI, et al. Pedagogia e Psicologia II. Lisboa: Estampa, p. 9 -26,1991.

MATOS, C. F. Resolução de problemas davydovianos sobre adição e subtração por estudantes brasileiros do sexto ano do ensino fundamental. 2013. 168 f. Monografia (Especialização em Educação Matemática) - Universidade do Extremo Sul Catarinense, Criciúma, 2013.

______. Modo de organização do ensino de matemática em cursos de Pedagogia: uma reflexão a partir dos fundamentos da Teoria Histórico-Cultural. 2017. 135 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade do Sul de Santa Catarina, UNISUL, Tubarão, 2017.

MORETTI, V. D. O problema lógico-histórico, aprendizagem conceitual e formação de professores de Matemática. Poiésis - Revista do Programa de Pós-Graduação em Educação, [S.l.], v. 8, p. 29-44, mar. 2014. ISSN 2179-2534. Disponível em:<http://www.portaldeperiodicos.unisul.br/index.php/Poiesis/article/view/1737>. Acesso em: 02 ago. 2016.

doi:http://dx.doi.org/10.19177/prppge.v8e0201429-44.

MOURA, M. O. A atividade de ensino como ação formadora. In: CASTRO, A. & CARVALHO, A (orgs). Ensinar a ensinar: didática para a escola. São Paulo: Editora Pioneira. p. 143 –161, 2001.

______. A atividade de ensino como unidade formadora. Bolema, Rio Claro, UNESP, v. 12, p.29-43, 1996.

ROSA, J. E. Proposições de Davydovy para o ensino de Matemática no primeiro ano escolar: inter-relações dos sistemas de sistema de significações numéricas. Tese (Doutorado em Educação). Universidade Federal do Paraná, 2012, 244 f.

SFORNI, M. S. F. Aprendizagem conceitual e organização do ensino: contribuições da teoria da atividade. In: Anais da 26a Reunião Anual da Associação Nacional de Pós-graduação e Pesquisa em Educação. Caxambu: ANPED, 2003.