TEMPERATURA CLOACAL DE FRANGOS DE CORTE SUBMETIDOS À TEMPERATURA AMBIENTE CÃ?CLICA ELEVADA

Autores

  • MARCHINI, C.F.P. Autonoma
  • SILVA, P.L. FAMEV - UFU
  • NASCIMENTO, M.R.B.M. FAMEV - UFU
  • TAVARES, M. FAMEV - UFU

Palavras-chave:

Parâmetros fisiológicos, estresse cíclico por calor, , ambiência, frango de corte.

Resumo

Este estudo objetivou verificar os efeitos da temperatura ambiente cíclica elevada sobre a temperatura cloacal em frangos de corte. Setenta pintos da linhagem Avian, machos foram alojados em baterias de gaiolas de julho a agosto de 2004 e divididos em dois grupos. O primeiro (grupo ST) foi submetido diariamente, durante uma hora, ou seja, das 12 às 13 horas, à temperatura ambiente elevada - 38ºC do primeiro ao 27º dia de idade e, 40ºC, do 28º ao 42º dia. O segundo, mantido durante 24 horas, em temperatura de conforto térmico (grupo TN) variando de 32 a 35ºC na primeira semana de idade, reduzida gradualmente, nas demais semanas, à 21ºC, de 36 a 42 dias. Analisou-se semanalmente a temperatura cloacal, antes e após o estresse por calor, de dez aves de cada grupo. Utilizou-se um delineamento inteiramente ao acaso num esquema fatorial 7x2. Os dados foram analisados pela análise de variância e as médias comparadas pelo teste de Tukey a 5%. As aves submetidas à temperatura ambiente cíclica elevada apresentaram a temperatura cloacal aumentadas antes e depois do estresse pelo calor. Assim, frangos de corte submetidos à temperatura ambiente cíclica elevada apresentaram aumento na temperatura cloacal, bem como mudança no seu "set-pointâ€?.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2008-02-12

Como Citar

C.F.P., M., P.L., S., M.R.B.M., N., & M., T. (2008). TEMPERATURA CLOACAL DE FRANGOS DE CORTE SUBMETIDOS À TEMPERATURA AMBIENTE CÃ?CLICA ELEVADA. Veterinária Notícias, 12(2). Recuperado de https://seer.ufu.br/index.php/vetnot/article/view/18792

Edição

Seção

Artigos