A Dinâmica Geográfica do Setor Supermercadista em Brasília (DF)
PDF-pt
PDF-en (English)

Palavras-chave

Varejo alimentar
Estratégias territoriais
Distrito Federal

Como Citar

BEZERRA, J. E.; AGNER, M. R. A Dinâmica Geográfica do Setor Supermercadista em Brasília (DF). Sociedade & Natureza, [S. l.], v. 33, 2021. DOI: 10.14393/SN-v33-2021-59769. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/sociedadenatureza/article/view/59769. Acesso em: 25 maio. 2022.

Resumo

A comercialização de alimentos nas cidades é cada vez mais influenciada pela presença das redes de supermercado, que são estabelecimentos de varejo de autosserviço com predominância de produtos alimentícios. O modelo de comercialização ágil, eficiente e de baixo custo foi o que mais se fortaleceu no contexto da urbanização da sociedade.  No Brasil há uma demanda por estudos que possam contextualizar o panorama nacional da atuação do capital varejista nos demais centros urbanos localizados fora da região sudeste do país. O presente artigo tem como objetivo analisar a dinâmica geográfica do setor supermercadista em Brasília – DF por meio da compreensão da multiescalaridade da atuação das redes no território conforme sua origem de capital, as estratégias de localização e seus perfis de estabelecimento. A metodologia consistiu na produção e na sistematização de informações sobre o setor supermercadista por meio da evolução quantitativa e qualitativa dos estabelecimentos vinculados à Associação de Supermercados de Brasília (ASBRA). Conforme os resultados verificados na pesquisa, foi possível encontrar em Brasília as principais redes varejistas do mundo, o que demonstra a importância da capital federal como espaço de consumo na economia globalizada. A seletividade do uso do território pelas diferentes redes possibilitou a adoção de estratégias diferenciadas a depender do padrão de renda de cada região administrativa. A pesquisa contribuiu para evidenciar a heterogeneidade do setor e a conformação de estratégias comerciais adaptadas à realidade geográfica marcada por uma desigualdade socioespacial estrutural.

https://doi.org/10.14393/SN-v33-2021-59769
PDF-pt
PDF-en (English)

Referências

AZEVEDO FILHO, G. L. S. As grandes redes no setor supermercadista brasileiro e seus impactos na concorrência em Brasília. 2016. 99f. Monografia (Graduação em Geografia) – Instituto de Ciências Humanas, Universidade de Brasília, Brasília, 2016.

BAPTISTA, J. A. et al. Canais de distribuição Logístico Atacarejo: Um estudo de caso na empresa XYZ Dist. Com. Ind. Ltda. In: IX SIMPÓSIO DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO E TECNOLOGIA, Rio de Janeiro, 2012, Anais,p.1-16.

BEZERRA, J. E. A fruticultura no Nordeste semiárido: internacionalização, conflitos territoriais e a precarização do trabalho. 2012. 376p. Tese (Doutorado em Geografia) – Universidade Estadual Paulista, Presidente Prudente, 2012.

BORGES, A. R. Marketing de Varejo: as estratégias adotadas pelos supermercados de vizinhança para conquistar e fidelizar clientes. 2001. 155f. Dissertação (Mestrado em Engenharia da Produção) – Centro Tecnológico, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2001.

CLEPS, G. D. G.. Estratégias de reprodução do capital e as novas espacialidades urbanas: o comércio de auto- serviço em Uberlândia – MG. Tese (Doutorado em Geografia) – Instituto de Geociências e Ciências Exatas, Universidade Estadual Paulista, Rio Claro, 2005.

CODEPLAN. Pesquisa Distrital por Amostra de Domicílios - PDAD 2018. Disponível em: http://www.codeplan.df.gov.br/wp-content/uploads/2019/03/PDAD_DF-Grupo-de-Renda-compactado.pdf/. Acesso em: 17 abr. 2019.

CODEPLAN. Projeções Populacionais para as Regiões Administrativas do Distrito Federal 2010-2020. Disponível em: http://www.codeplan.df.gov.br/wp-content/uploads/2019/05/Sum%C3%A1rio-Executivo-Proje%C3%A7%C3%B5es-Populacionais.pdf . Acesso em: 12 abr. 2020

COE, N.. M; WRIGLEY, Neil. Towards new economic geographies of retail globalization. In: CLARK, G. L., FELDMAN, M. P., GERTLER, M. S., WOJCIK, D. and KAISER, A. (eds.). The New Oxford Handbook of Economic Geography. Oxford: Oxford University Press, 2018. https://doi.org/10.1093/oxfordhb/9780198755609.013.37

COE, N. M. The internationalisation/globalisation of retailing: towards an economic-geographical research agenda. Environment & Planning A,v.36, n. 9, p. 1571-1594, 2004. https://doi.org/10.1068/a36241

DELLOITE. Global Powers of Retailing, 2019. Disponível em: https://www2.deloitte.com/br/pt.html. Acesso em: 10 out. 2019.

DESIDÉRIO, M. Sem Walmart, Sam’s Club vira pilar do Grupo Big e ganha novas lojas. Revista Exame, São Paulo, set. 2019. Disponível em: https://exame.com/negocios/sem-walmart-sams-club-sera-pilar-para-crescimento-do-grupo-big/. Acesso em: 12 set. 2019.

EXAME. Carrefour compra 30 lojas da rede Makro para acelerar atacadão. Revista Exame, São Paulo, fev. 2020. Disponível em: https://exame.com/negocios/carrefour-compra-30-lojas-da-rede-makro-para-acelerar-atacadao/ . Acesso em: 5 mar. 2020.

FARINA, E.; NUNES, R.; MONTEIRO, G. Supermarkets and Their Impacts on the Agrifood System of Brazil: The Competition among Retailers. Agribusiness, v. 21, n. 2, p. 133-47, 2005. https://doi.org/10.1002/agr.20039

FERREIRA, P. R. A.. O processo de globalização do varejo de massa e as lutas competitivas: o caso do setor supermercadista no Brasil. 2013. 286f. Dissertação (Mestrado em Administração) – Instituto COPPEAD de Administração, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2013.

HUMPHREY, J. The supermarket revolution in developing countries: tidal wave or tough competitive struggle? Journal of Economic Geography, v.7, n.4, p. 433–450, 2007. https://doi.org/10.1093/jeg/lbm008

KOIKE, Beth. Assaí ganhará 20 novas lojas em 2019 e mais três no começo de 2020. Valor Econômico, São Paulo, out. 2019. Disponível em: https://valor.globo.com/empresas/noticia/2019/10/31/assai-ganhara-11-novas-lojas-em-2019-e-mais-tres-no-comeco-de-2020.ghtml. Acesso em: 05 nov. 2019.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Projeções da população. Rio de Janeiro: IBGE, 2018. Disponível em: https://www.ibge.gov.br/estatisticas/sociais/populacao/9109-projecao-da-populacao.html?=&t=resultados. Acesso em: 02 nov. 2019.

LAWRENCE, G.; BURCH, D. Understanding Supermarkets and Agri-food Supply chains. In: LAWRENCE, Geoffrey; BURCH, David. (Org.). Supermarkets and Agri-food Supply Chains: Transformations in the Production and Consumption of foods. London: Edward Elgar, 2007.

LAZZARINI, J. C. A definição do sortimento-profundidade nos supermercados brasileiros: influência nas vendas e critérios utilizados. 2012. 255f. Dissertação (Mestrado em Administração) – Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2012.

MARKETING, IPC. IPC Maps. São Paulo: IPC Marketing. 2012. v. 4. http://www.ipcbr.com/downpress/Release_IPCMaps_2020.pdf. Acesso em: 02 nov. 2020.

MINADEO, R.; CAMARGOS, M. A. Fusões e Aquisições no Varejo Alimentar: uma análise das estratégias de entrada e de crescimento do Carrefour e Wal-Mart no mercado brasileiro. Revista de Ciências da Administração, v. 11, p. 102-135, 2009. https://doi.org/10.5007/2175-8077.2009v11n24p102

OOESTERVEER, P.; SONNENFELD, D. A. Food, Globalization and Sustainability. London/New York: Earthscan, 2012. https://doi.org/10.4324/9781849776790

OOSTERVEER, P.; GUIVANT, J. S.; SPPARGAREN, Gert. Alimentos verdes em supermercados globalizados: uma agenda teórico-metodológica. In: GUIVANT, Julia. S.; SPAARGAREN, Gert.; RIAL, Carmen. (Org.). Novas práticas alimentares no mercado global. Florianópolis: Editora da UFSC, 2010.

PAVIANI, A. Geografia urbana do Distrito Federal: evolução e tendências. Espaço & Geografia, Brasília, v. 10, n.1, p. 1-22, 2007.

PINTAUDI, S. M. Os supermercados na grande São Paulo: contribuição ao estudo da transformação do comércio varejista de gêneros alimentícios nas grandes metrópoles. 1981. 105f. Dissertação (Mestrado em Geografia) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 1981.

REARDON, T.; BERDEGUÉ, J. A. The rapid rise of supermarkets in Latin America: challenges and opportunities for development. Development Policy Review,v. 20, n. 4, p. 371-388, 2002. https://doi.org/10.1111/1467-7679.00178

REVISTA SUPERHIPER. São Paulo: ABRAS. Ranking ABRAS. Maio, 2019. Disponível em:https://www.abras.com.br/superhiper/edicoes-anteriores/.Acesso em: 10 Abril. 2019.

REVISTA SUPERHIPER. São Paulo: ABRAS. Os motores da economia voltam a funcionar. Dezembro, 2017. Disponível em: https://www.abras.com.br/superhiper/edicoes-anteriores/. Acesso em: 10 set. 2019.

SERRENTINO, A. Varejo e Brasil: reflexões estratégicas. São Paulo: Varese, 2015.

SILVA, C. H. C. As grandes superfícies comerciais: os Hipermercados Carrefour no Brasil. Espaço e Tempo, São Paulo, n. 14, p. 89-106, 2003. https://doi.org/10.11606/issn.2179-0892.geousp.2003.123834

SILVA, C. H. C. Estudos sobre o comércio e o consumo na perspectiva da geografia urbana. Geosul, Florianópolis, v. 29, n. 58, p 149-178, jul./dez. 2014.

SILVA, I. V. I. A dinâmica das redes supermercadistas em Taguatinga e sua relação com o território. 2017. 78f. Monografia (Graduação em Geografia) – Instituto de Ciências Humanas/Departamento de Geografia, Universidade de Brasília, Brasília, 2017.

WRIGLEY, N.; COE, N. M; CURRAH, A. Globalizing retail: conceptualizing the distribution-based transnational corporation (TNC). Progress in Human Geogrraphy, v. 29, n. 4, p. 437-457, 2005. https://doi.org/10.1191/0309132505ph559oa

Direitos Autorais para artigos publicados nesta revista são do autor, com direitos de primeira publicação para a revista. Em virtude de aparecerem em revista de acesso público, os artigos são licenciados sob Creative Commons Attribution (BY), que permite o uso irrestrito, distribuição e reprodução em qualquer meio, desde que o trabalho original seja devidamente citado.

 
 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...