Diferencial de Salários por Cor e Sexo no Brasil: Uma Análise por Grandes Regiões

Autores

  • Marielly Viana da Costa Universidade Católica de Brasília
  • Carlos Enrique Carrasco-Gutierrez Universidade Católica de Brasília
  • Carlos Vinícius Santos Reis Universidade Católica de Brasília

DOI:

https://doi.org/10.14393/REE-v35n1a2020-49476

Resumo

Este trabalho tem como objetivo analisar as diferenças de rendimento com base em sexo e raça no mercado de trabalho brasileiro e em suas regiões. Para tanto, utilizamos a decomposição de Oaxaca-Blinder para identificar e medir o quanto da desigualdade de renda entre grupos de sexo e raça é explicado por fatores discriminatórios e quanto dessa desigualdade é explicada por fatores produtivos. A análise é realizada a partir de microdados da Pesquisa Nacional de Amostra por Domicílios 2015. Os principais resultados mostram que ainda há uma diferença salarial entre sexo e raça: os homens ganham mais que as mulheres, e os brancos ganham mais que os não brancos, sendo que a diferença salarial entre sexos foi menor que a diferença salarial entre raças.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2020-07-29

Como Citar

VIANA DA COSTA, M. .; CARRASCO-GUTIERREZ, C. E.; SANTOS REIS , C. V. Diferencial de Salários por Cor e Sexo no Brasil: Uma Análise por Grandes Regiões. Revista Economia Ensaios, Uberlândia, Minas Gerais, Brasil, v. 35, n. 1, 2020. DOI: 10.14393/REE-v35n1a2020-49476. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/revistaeconomiaensaios/article/view/49476. Acesso em: 24 abr. 2024.

Edição

Seção

Artigos