Intervenções educativas em grupos

um ensaio clínico com idosos portadores de diabetes melito e hipertensão arterial

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/REE-v21n12022-64187

Palavras-chave:

Grupos educativos, Diabetes, Hipertensão, Educação Alimentar e Nutricional, Atenção Primária `à Saúde

Resumo

As doenças crônicas não transmissíveis são consideradas um grave problema de saúde pública, com maior prevalência em idosos. Neste contexto, a realização de grupos educativos é vista como uma estratégia de prevenção de agravos no âmbito da Atenção Primária à Saúde. O objetivo deste estudo foi analisar o papel das estratégias de educação em saúde realizadas com idosos portadores de hipertensão arterial e diabetes melito. Realizou-se um ensaio clínico não randomizado, com abordagem quali-quantitativa, entre os meses de abril a agosto de 2019. A amostra foi composta por 10 portadores de diabetes e/ou hipertensão, com idade maior ou igual a 60 anos. A intervenção foi feita por meio de oficinas educativas em grupo, que tratavam sobre temas relacionados à alimentação e mudança de hábitos. Inicialmente, foram reunidas informações sobre características sociodemográficas, hábitos de vida, percepção da saúde e conhecimento sobre as doenças. Também, foram coletadas variáveis clínicas, antropométricas e de consumo alimentar. Os resultados apontaram baixo conhecimento sobre as doenças e algumas variações nos dados clínicos e de consumo alimentar. Portanto, após a realização das estratégias educativas, os participantes obtiveram melhor percepção de saúde e mudanças pontuais no consumo alimentar e em variáveis clínicas, porém, sem significância estatística.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Camila Evangelista Torres Gonçalves, Universidade Federal de Uberlândia

Graduanda em Nutrição na Universidade Federal de Uberlândia, Minas Gerais, Brasil.

Nathalia Rabello Silva, Universidade Federal de Uberlândia

Graduanda em Nutrição na Universidade Federal de Uberlândia, Minas Gerais, Brasil.

Luciana Saraiva da Silva, Universidade Federal de Uberlândia

Doutora em Ciência da Nutrição pela Universidade Federal de Viçosa, Minas Gerais, Brasil; professora adjunta da Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Uberlândia, Minas Gerais, Brasil.

Referências

ALVES, J. E. D. Envelhecimento populacional continua e não há perigo de um geronticídio, Laboratório de Demografia e Estudos Populacionais, 21 jun. 2020. Disponível em: https://www.ufjf.br/ladem/2020/06/21/envelhecimento-populacional-continua-e-nao-ha- perigo-de-um-geronticidio-artigo-de-jose-eustaquio-diniz- alves/#:~:text=O%20n%C3%BAmero%20de%20brasileiros%20idosos,foi%20de%202 7%2C6%20vezes. Acesso em: 23 fev. 2022.

AFONSO, M. L. M.; COUTINHO, A. R. A. Metodologias de trabalho com grupos e sua utilização na área da saúde. In: AFONSO, M. L. M. et al. (org.). Oficinas em dinâmica de grupo na área da saúde. 2. ed. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2006. p. 59-83.

AFONSO, M. L. M. Como construir uma proposta de oficina. In: AFONSO, M. L. M. et al. (org.). Oficinas em dinâmica de grupo na área da saúde. 2. ed. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2006. p. 133-230.

ANDRADE, H. IBGE projeta Brasil com mais idosos do que crianças em 21 anos. Portal UOL. 25 de julho de 2018.. Disponível em: https://noticias.uol.com.br/cotidiano/ultimas-noticias/2018/07/25/ibge-projeta- brasil-com-mais-idosos-do-que-criancas-em-21-anos.htm. Acesso em: 4 mar. 2021.

ANDRÉ, A. I. N. F.; RODRIGUES, S. S. P.; OLIVEIRA, B. M. P. M. Sazonalidade e

alimentação: influência da sazonalidade nos hábitos alimentares. Repositório Aberto da Universidade do Porto, Porto, p. 1-120, mar. 2013. Disponível em: https://repositorio-aberto.up.pt/bitstream/10216/72797/2/29032.pdf. Acesso em: 15 jun. 2020.

ARAÚJO, G. B. S.; GARCIA, T. R. Adesão ao tratamento anti-hipertensivo: uma análise conceitual. Revista Eletrônica de Enfermagem, Goiânia, vol. 8, n. 2, p. 259-272, 2006. Doi: 10.5216/ree.v8i2.7041. Disponível em: https://www.revistas.ufg.br/fen/article/view/7041. Acesso em: 9 jun. 2020.

BARBOSA, E. F.; MOURA, D. G. Metodologias ativas de aprendizagem na educação profissional e tecnológica. Boletim Técnico do SENAC, Rio de Janeiro, v. 39, n. 2, p. 48-67, 2013. Doi: 10.26849/bts.v39i2.349. Disponível em: https://www.bts.senac.br/bts/article/view/349. Acesso em: 25 set. 2020.

BELASCO, A. G. S.; OKUNO, M. F. P. Realidade e desafios para o envelhecimento. Revista Brasileira de Enfermagem, Brasília-DF, v. 72, supl. 2, p. 1-2, 2019. Doi: 10.1590/0034-7167.2019-72suppl201. Disponível em: https://www.scielo.br/j/reben/a/YyPr9QcL5bn3p6TGVGCBzvM/?lang=en. Acesso em: 4 mar. 2021.

BOTELHO, F. C. et al. Estratégias pedagógicas em grupos com o tema alimentação e nutrição: os bastidores do processo de escolha. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 21, n. 6, p. 1889-1898, jun. 2016. Doi: 10.1590/1413-

08862016. Disponível em: https://www.scielo.br/j/csc/a/mMTg8Xry65cmdLY4Kxp5h9S/?lang=pt. Acesso em: 24 set. 2020.

BRASIL. Ministério da Saúde. Hipertensão Arterial: reduzir consumo de sal auxilia na prevenção da doença. 2016. Disponível em: http://www.blog.saude.gov.br/index.php/promocao-da-saude/50910-hipertensao- arterial-reduzir-consumo-de-sal-auxilia-na-prevencao-da-doenca. Acesso em: 18 set. 2020.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Diretrizes para o cuidado das pessoas com doenças crônicas nas redes de atenção à saúde e nas linhas de cuidado prioritárias. Brasília-DF: Ministério da Saúde, 2013a. Disponível em: http://189.28.128.100/dab/docs/portaldab/publicacoes/diretrizes_doencas_cronicas.pdf. Acesso em: 16 mar. 2020.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Estratégias para o cuidado da pessoa com doença crônica: diabetes mellitus. Brasília-DF: Ministério da Saúde, 2013b. 162 p. (Cadernos de Atenção Básica, n. 36). Disponível em: https://central3.to.gov.br/arquivo/404119/. Acesso em: 24 set. 2020.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Estratégias para o cuidado da pessoa com doença crônica: hipertensão arterial sistêmica. Brasília-DF: Ministério da Saúde, 2013c. 128 p. (Cadernos de Atenção Básica, n. 37). Disponível em: https://central3.to.gov.br/arquivo/404120/. Acesso em: 24 set. 2020.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Estratégias para o cuidado da pessoa com doença crônica.. Brasília-DF: Ministério da Saúde, 2014. 162 p. (Cadernos de Atenção Básica, n. 35). Disponível em: http://189.28.128.100/dab/docs/portaldab/publicacoes/caderno_35.pdf. Acesso em: 24 set. 2020.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Análise em Saúde e Vigilância de Doenças não Transmissíveis. Vigitel Brasil 2018. Brasília-DF: Ministério da Saúde, 2019. Disponível em: https://www.gov.br/saude/pt-br/centrais-de-conteudo/publicacoes/publicacoes-svs/vigitel/vigitel-brasil-2018.pdf/view. Acesso em: 10 jun. 2020.

COTTA, R. M. M. et al. Reflexões sobre o conhecimento dos usuários no contexto do Programa de Saúde da Família: a lacuna entre o saber técnico e o popular. Physis, Rio de Janeiro, v. 18, n. 4, p. 745-766, 2008. Doi: 10.1590/S0103-73312008000400008.

Disponível em: https://www.scielo.br/j/physis/a/MYGP7np5HFgCpPHgv9KQY8p/?lang=pt. Acesso em: 10 jun. 2020.

COMISSÃO NACIONAL SOBRE DETERMINANTES SOCIAIS DA SAÚDE (CNDSS). As causas sociais das iniqüidades em saúde no Brasil: Relatório Final da Comissão Nacional sobre Determinantes Sociais da Saúde (CNDSS). Rio de Janeiro: Editora FIOCRUZ, 2008.

Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/causas_sociais_iniquidades.pdf. Acesso em: 17 nov. 2020.

CADASTRO NACIONAL DE ESTABELECIMENTOS DE SAÚDE (CNES ). Ambulatório Jaraguá, 2021. Disponível em: http://cnes2.datasus.gov.br/Exibe_Ficha_Estabelecimento.asp?VCo_Unidade=3170202 146363&VListar=1&VEstado=31&VMun=317020. Acesso em: 10 fev. 2022.

DELL'ACQUA, M. C. Q. et al. Comunicação da equipe multiprofissional e indivíduos portadores de hipertensão arterial. Revista Latino-Americana de Enfermagem, Ribeirão Preto, v. 5, n. 3, jul. 1997. Doi: 10.1590/S0104-11691997000300007. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rlae/a/HsG5BSpNbTvjTp9LZHY47sk/?lang=pt. Acesso em: 15 jun. 2020.

DIAS, E. G. et al. Comportamentos de pacientes com diabetes tipo 2 sob a perspectiva do autocuidado. Journal of Health Sciences, Londrina, v. 19, n. 2, p. 109-113, 2017. Doi: 10.17921/2447-8938.2017v19n2p109-113. Disponível em: https://journalhealthscience.pgsskroton.com.br/article/view/3230. Acesso em: 27 fev. 2022.

DOAK, C.; DOAK, J.; ROOT, C. Teaching patients with low literacy skills. 2nd ed. Health Literacy Studies, Boston, p. 1-9, 1996. Disponível em: https://www.hsph.harvard.edu/healthliteracy/resources/teaching-patients-with-low- literacy-skills/. Acesso em: 9 jun. 2020.

EINLOFT, A. B. N. et al. Influência de intervenções educativas em perfis antropométricos, clínicos e bioquímicos e na percepção de saúde e doença de portadores de hipertensão arterial no contexto da Saúde da Família. Revista de Nutrição, Campinas, v. 29, n. 4, p. 529-541, ago. 2016. Doi: 10.1590/1678-98652016000400008. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415- 52732016000400529&lng=pt&tlng=pt. Acesso em: 13 abr. 2020.

GAMBA, M. A. et al. Amputações de extremidades inferiores por diabetes mellitus: estudo caso-controle. Revista de Saúde Pública, São Paulo, v. 38, n. 3, p. 399-404, 2004. Doi: 10.1590/S0034-89102004000300010. Disponível em:

https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-89102004000300010. Acesso em: 12 jun. 2020.

GLOBAL BURDEN OF DISEASE (GBD). Risk factors collaborators. global, regional, and national comparative risk assessment of 79 behavioural, environmental and occupational, and metabolic risks or clusters of risks, 1990-2015: a systematic analysis for the Global Burden of Disease Study 2015. The Lancet, London, v. 388, p. 1659- 1724, out. 2016. Doi: 10.1016/S0140-6736(16)31679-8. Disponível em:

https://www.thelancet.com/journals/lancet/article/PIIS0140-6736(16)31679-8/fulltext. Acesso em: 13 abr. 2020.

GOMIDES, D. S. et al. Autocuidado das pessoas com diabetes mellitus que possuem complicações em membros inferiores. Acta Paulista de Enfermagem, São Paulo, v. 26, n. 3, p. 289-293, 2013. Doi: 10.1590/S0103-21002013000300014. Disponível em:

https://www.scielo.br/j/ape/a/33wvfN3pN6VzDxnG39CYyLf/?format=pdf&lang=pt. Acesso em: 27 fev. 2022.

GRILLO, M. F. F. et al. Efeito de diferentes modalidades de educação para o autocuidado a pacientes com diabetes. Revista da Associação Médica Brasileira, São Carlos do Pinhal, v. 59, n. 4, p. 400-405, 2013. Doi: 10.1016/j.ramb.2013.02.006. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0104- 42302013000400021&script=sci_abstract&tlng=pt. Acesso em: 10 jun. 2020.

JELLIFFE, D. B. I. et al. Evaluación del estado de nutrición de la comunidad. Genebra: OMS, 1968. Disponível em: https://apps.who.int/iris/handle/10665/41408. Acesso em: 10 jun. 2020.

LIPSCHITZ, D. A. Screening for nutritional status in the elderly. Primary Care, Philadelphia, v. 21, n. 1, p. 55-67, 1994. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/8197257/. Acesso em: 10 jun. 2020.

MACHADO, J. C. et al. Análise de três estratégias de educação em saúde para portadores de hipertensão arterial. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 21, n. 2, p. 611-620, fev. 2016. Doi: 10.1590/1413-81232015212.20112014. Disponível

em: https://www.scielosp.org/article/csc/2016.v21n2/611-620/es/#. Acesso em: 16 mar. 2020.

MALACHIAS, M. V. B. et al. 7ª Diretriz Brasileira de Hipertensão Arterial. Arq. Bras. Cardiol. Rio de Janeiro, v. 107, n. 3, supl. 3, 2016. Disponível em: http://publicacoes.cardiol.br/2014/diretrizes/2016/05_HIPERTENSAO_ARTERIAL.pdf. Acesso em: 16 mar. 2020.

MATSUDO, S. M. et al. Questionário Internacional de Atividade Física (IPAQ): estudo de validade e reprodutibilidade no Brasil. Revista Brasileira de Atividade Física & Saúde, Florianópolis, v. 6, n. 2, p. 5-18, 2001. Doi: 10.12820/rbafs.v.6n2p5-18. Disponível em: https://rbafs.org.br/RBAFS/article/view/931. Acesso em: 10 jun. 2020.

MENEZES, K. K. P.; AVELINO, P. R. Grupos operativos na Atenção Primária à Saúde como prática de discussão e educação: uma revisão. Caderno de Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 24, n. 1, p. 124-130, mar. 2016. Doi: 10.1590/1414- 462X201600010162. Disponível em: https://pdfs.semanticscholar.org/6bd0/31e8e24bfa7e9c01852d7ae3a6222c93dbc9.pdf. Acesso em: 8 abr. 2020.

MENG-PING, W. et al. Effectiveness of a community-based health promotion program targeting people with hypertension and high cholesterol. Nursing & Health Sciences, Taiwan, v. 14, n. 2, p. 173-181, 2012. Doi: 10.1111/j.1442-2018.2011.00675.x.

Disponível em: https://onlinelibrary.wiley.com/doi/abs/10.1111/j.1442- 2018.2011.00675.x. Acesso em: 12 jun. 2020.

MINAYO, M. C. S. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 5. ed. São Paulo: Hucitec; Abrasco, 1998.

MURIMI, M. W. et al. Factors influencing efficacy of nutrition education interventions: a systematic review. Journal of Nutrition Education and Behavior, Hamilton, v. 49, n. 2, p. 142-165, nov. 2017. Doi: 10.1016/j.jneb.2016.09.003. Disponível em: https://www.jneb.org/article/S1499-4046(16)30785-0/fulltext. Acesso em: 27 jul. 2020.

OLIVEIRA, T. L. et al. Eficácia da educação em saúde no tratamento não medicamentoso da hipertensão arterial. Acta Paulista de Enfermagem, São Paulo, v. 26, n. 2, p. 179-184, 2013. Doi: 10.1590/S0103-21002013000200012. Disponível em:

https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103- 21002013000200012&lng=pt&tlng=pt. Acesso em: 15 jun. 2020.

OTERO, L. M.; ZANETTI, M. L.; OGRIZIO, M. D. Knowledge of diabetic patients about their disease before and after implementing a diabetes education program. Revista Latino-Americana de Enfermagem, Ribeirão Preto, v. 16, n. 2, p. 231-237, 2008. Doi: 10.1590/S0104-11692008000200010. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104- 11692008000200010&lng=en&tlng=en. Acesso em: 15 jun. 2020.

PAVA-CÁRDENAS, A. et al. Promoting healthy eating in primary health care from the perspective of health professionals: a qualitative comparative study in the context of South America. BMC Nutrition, London, v. 4, 2018. Doi: 10.1186/s40795-018-0244-9.

Disponível em: https://bmcnutr.biomedcentral.com/articles/10.1186/s40795-018-0244-9. Acesso em: 27 jul. 2020.

PERISSÉ, C.; MARLI, M. Idosos indicam caminhos para uma melhor idade. Agência IBGE Notícias. 19 mar. 2019. Disponível em: https://agenciadenoticias.ibge.gov.br/agencia-noticias/2012-agencia-de- noticias/noticias/24036-idosos-indicam-caminhos-para-uma-melhor-idade. Acesso em: 4 mar. 2021.

RIBEIRO, A. G. et al. Non-pharmacological treatment of hypertension in primary health care: a comparative clinical trial of two education strategies in health and nutrition. BMC Public Health,London, v. 11, 2011. Doi: 10.1186/1471-2458-11-637. Disponível em: https://bmcpublichealth.biomedcentral.com/articles/10.1186/1471-2458-11-637. Acesso em: 15 jun. 2020.

SANTOS, M. F. et al. Atividade de promoção à saúde em um grupo de idosos. Em Extensão, Uberlândia, v. 19, n. 1, p. 136–144, 2020. Doi: 10.14393/REE- v19n12020-50738. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/revextensao/article/view/50738. Acesso em: 27 fev. 2022.

SANTOS, R. D. et al. Sociedade Brasileira de Cardiologia. Diretriz sobre o consumo de Gorduras e Saúde Cardiovascular. Arq. Bras. Cardiol., Rio de Janeiro, v. 100, n. 1, supl. 3, 2013. Disponível em: http://publicacoes.cardiol.br/consenso/2013/Diretriz_Gorduras.pdf. Acesso em: 18 jun. 2020.

SANTOS, R. L. Relato de experiência: importância da atividade física na qualidade de vida de idosas do “Grupo Renascer”. 2014. 22 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Educação Física) - Universidade Estadual da Paraíba, 2014. Disponível em: http://dspace.bc.uepb.edu.br/jspui/bitstream/123456789/4629/1/PDF%20-%20Ramonn%20Lima%20dos%20Santos.pdf. Acesso em: 27 fev. 2022.

SCHEMBRI, L. et al. The effect of nutrition education on nutrition-related health outcomes of Aboriginal and Torres Strait Islander people: a systematic review. Australian and New Zealand Journal of Public Health, Canberra, jun. 2015. Doi: 10.1111/1753-6405.12392. Disponível em: https://onlinelibrary.wiley.com/doi/full/10.1111/1753-6405.12392. Acesso em: 27 jul. 2020.

SILVA, M. V.; VIEIRA, C. M. Oficina da saúde: Grupos de educação nutricional com idosos portadores de doenças crônicas não transmissíveis na Unidade de Saúde Parque Orlanda. UNIMEP, Piracicaba, 2006. Disponível em: http://www.unimep.br/phpg/mostraacademica/anais/4mostra/pdfs/376. Acesso em: 16 mar. 2020.

SOCIEDADE BRASILEIRA DE DIABETES (SBD). Diretrizes da Sociedade Brasileira de Diabetes 2019-2020. São Paulo: Editora Científica, 2019. Disponível em: http://www.saude.ba.gov.br/wp-content/uploads/2020/02/Diretrizes-Sociedade-Brasileira-de-Diabetes-2019-2020.pdf. Acesso em: 13 abr. 2020.

SOUZA, P. C. D. et al. Impacto de ações de educação alimentar e nutricional no perfil antropométrico e consumo alimentar de hipertensos. Revista Eletrônica da Estácio Recife, Recife, v. 4, n. 2, p. 1-11, 2018. Disponível em: https://reer.emnuvens.com.br/reer/article/view/195. Acesso em: 17 jun. 2020.

VINCHA, K. R. R.; SANTOS, A. F.; CERVATO-MANCUSO, A. M. Planejamento

de grupos operativos no cuidado de usuários de serviços de saúde: integrando experiências. Saúde Debate, Rio de Janeiro, v. 41, n. 114, p. 949-962, jul. 2017. Doi: 10.1590/0103-1104201711422. Disponível em:

https://www.scielo.br/pdf/sdeb/v41n114/0103-1104-sdeb-41-114-0949.pdf. Acesso em: 17 jun. 2020.

UNITED NATIONS. Department of Economic and Social Affairs. Population Division. World population prospects: the 2017 revision. 2017. Disponível em: https://population.un.org/wpp/Publications/Files/WPP2017_KeyFindings.pdf. Acesso em: 4 mar. 2021.

UNITED NATIONS. Department of Economic and Social Affairs. Population Dynamics (2019). World Population Prospects 2019. Disponível em: https://population.un.org/wpp2019/Graphs/Probabilistic/POP/60plus/76. Acesso em: 23 fev. 2022.

WORLD HEALTH ORGANIZATION (WHO). Obesity: preventing and managing the global epidemic. Geneva: WHO, 2000. Disponível em: https://apps.who.int/iris/handle/10665/42330. Acesso em: 10 jun. 2020.

WORLD HEALTH ORGANIZATION (WHO). Risk factors, 2019. Geneva: WHO, 2019. Disponível em: https://www.who.int/gho/ncd/risk_factors/en/. Acesso em: 8 abr. 2020.

Downloads

Publicado

2022-06-27

Como Citar

GONÇALVES, C. E. T.; SILVA, N. R.; SILVA, L. S. da. Intervenções educativas em grupos: um ensaio clínico com idosos portadores de diabetes melito e hipertensão arterial. Revista Em Extensão, [S. l.], v. 21, n. 1, p. 39–61, 2022. DOI: 10.14393/REE-v21n12022-64187. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/revextensao/article/view/64187. Acesso em: 13 ago. 2022.

Edição

Seção

Artigos Originais