Estratégias lúdico-interativas para a promoção de hábitos alimentares saudáveis e práticas desportivas de escolares

Autores

  • Francisco Antônio de Oliveira Júnior Universidade Federal da Paraíba
  • Vinícius José Baccin Martins Universidade Federal da Paraíba
  • Rita de Cássia da Silveira e Sá Universidade Federal da Paraíba
  • Maria Regina de Freitas Universidade Federal da Paraíba

DOI:

https://doi.org/10.14393/REE_v16n22017_art04

Palavras-chave:

Escolares, Obesidade, Alimentação saudável, Atividade física, Ações lúdicas

Resumo

O aumento do sobrepeso e obesidade em crianças e adolescentes são fatores de grande preocupação global. As escolas são ambientes favoráveis para prevenção do excesso de peso pelo estímulo ao consumo de alimentos saudáveis e à prática de atividade física. Esse trabalho objetivou verificar o estado nutricional de alunos da rede pública de João Pessoa, PB, Brasil, e divulgar os benefícios do exercício físico e da alimentação saudável por meio de atividades lúdicas e da discussão de temas relacionados às pirâmides alimentar e de atividade física. A análise do estado nutricional demonstrou que a maioria dos escolares avaliados apresentou estatura/idade (95,3%) e peso/idade ou índice de massa corporal/idade adequados (70,9%). Entretanto, aproximadamente 25% dos escolares apresentaram excesso de peso. Foi também observado que eles não conheciam os aspectos de proporcionalidade no consumo dos alimentos e nem a necessidade de diversificação dos exercícios físicos, embora os praticassem rotineiramente. As atividades lúdicas com a apresentação das pirâmides alimentar e de exercícios físicos, desenvolvidas durante o projeto de extensão, ressaltaram os benefícios da alimentação equilibrada associada à pratica regular e diversificada de exercícios físicos, necessários à manutenção de uma vida saudável e à prevenção de doenças.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Francisco Antônio de Oliveira Júnior, Universidade Federal da Paraíba

Doutorando em Ciências Fisiológicas na Universidade Federal da Paraíba, Brasil; técnico de laboratório do Departamento de Fisiologia e Patologia da Universidade Federal da Paraíba, Brasil.

Vinícius José Baccin Martins, Universidade Federal da Paraíba

Doutor em Ciências Endocrinológicas pela Universidade Federal de São Paulo, Brasil; professor adjunto do Departamento de Fisiologia e Patologia da Universidade Federal da Paraíba, Brasil.

Rita de Cássia da Silveira e Sá, Universidade Federal da Paraíba

Pós-doutora em Métodos Alternativos em Experimentação Animal pela Johns Hopkins Bloomberg School of Public Health, Baltimore, MD, USA; professora associada do Departamento de Fisiologia e Patologia da  Universidade Federal da Paraíba, Brasil.

 

Maria Regina de Freitas, Universidade Federal da Paraíba

Doutora em Farmacologia Celular e Molecular pela Université Louis Pasteur Strasbourg, França; professora
associada do Departamento de Fisiologia e Patologia da Universidade Federal da Paraíba, Brasil. 

Referências

ALVARENGA, W. D. A. et al. Fatores determinantes e condicionantes para o sobrepeso e a obesidade em pré-escolares: uma revisão integrativa. Revista Interdisciplinar, Teresina, v. 6, n. 4, p. 216- 222, out.-dez.2014. Disponível em: https://revistainterdisciplinar. uninovafapi.edu.br/index.php/revinter/article/viewFile/228/pdf_86. Acesso em: 10 maio 2017.

ALVES, U. S. Não ao sedentarismo, sim à saúde: contribuições da educação física escolar e dos esportes. O Mundo da Saúde, São Paulo, v. 31, n. 4, p. 464-469, out.-dez. 2007. Disponível em: https://www. saocamilo-sp.br/pdf/mundo_saude/56/01_nao_ao_sedentarismo. pdf. Acesso em: 10 abr. 2017.

AMIGO, H. et al. Factores condicionantes de la estatura en escolares de alta vulnerabilidad social. Impresos Maigret. Santiago: Maigret, 1994.

ANDERSEN, R. E. et al. Relationship of physical activity and television watching with body weight and level of fatness among children: results from the Third National Health and Nutrition Examination Survey. JAMA, v. 279, n. 12, p. 938-942, mar. 1998. doi: 10.1001/jama.279.12.938.

ARAÚJO, E. D. D. S. Estado nutricional e adiposidade de escolares de 7 a 14 anos das cidades de Florianópolis-SC e Pelotas- RS. Brazilian Journal of Kinanthropometry and Human Performance, Florianópolis, v. 3, n. 1, p. 111, 2001. doi: http:// dx.doi.org/10.5007/%25x.

ASSIS, M. A. et al. Validation of the third version of the Previous Day Food Questionnaire (PDFQ-3) for 6-to-11-years-old schoolchildren. Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 25, n. 8, p. 1816-1826, ago. 2009. doi: http://dx.doi.org/10.1590/S0102- 311X2009000800018.

BARQUERA, S. et al. Coexistence of maternal central adiposity and child stunting in Mexico. International Journal of Obesity, Boston, v. 31, n. 4, p. 601-607, 2007. doi: 10.1038/sj.ijo.0803529.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Guia alimentar para a população brasileira. 2. ed., Brasília, DF: Ministério da Saúde, 2014. 156 p.

CDCP - Center for Diseases Control and Prevention. School health guidelines to promote healthy eating and physical activity. MMWR, Atlanta, v. 16. n. 5, p. 1-77, 2011.

COELHO, L. G. et al. Association between nutritional status, food habits and physical activity level in schoolchildren. Jornal de Pediatria, Porto Alegre, v. 88, n. 5, p. 406-12, set.-out. 2012. doi: http://dx.doi.org/10.2223/JPED.2211.

ENES, C. C.; SLATER, B. Obesity in adolescence and its main determinants. Revista Brasileira de Epidemiologia, São Paulo, v. 13, n. 1, p. 163-71, mar. 2010. doi: http://dx.doi.org/10.1590/ S1415-790X2010000100015.

FERNALD, L. C.; NEUFELD, L. M. Overweight with concurrent stunting in very young children from rural Mexico: prevalence and associated factors. European Journal of Clinical Nutrition, v. 61, n. 5, p. 623-632, May 2007. doi: 10.1038/sj.ejcn.1602558.

FISBERG, R. M. et al. Índice de qualidade da dieta: avaliação da adaptação e aplicabilidade. Revista de Nutrição, Campinas, v. 17. n. 3, p. 301-318, jul. 2004. doi: http://dx.doi.org/10.1590/S1415- 52732004000300003.

GABRIEL, C. G.; SANTOS, M. V. D.; VASCONCELOS, F. D. A. G. D. Avaliação de um programa para promoção de hábitos alimentares saudáveis em escolares de Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. Revista Brasileira de Saúde Materno Infantil, Recife, v. 8, n. 3, p. 299-308, 2008. doi: http://dx.doi.org/10.1590/S1519- 38292008000300009.

GOLDBERG, J. P. et al. The obesity crisis: don’t blame it on the pyramid. Journal of the American Dietetic Association, v. 104, n. 7, p. 1141-1147, Jul. 2004. doi: 10.1016/j.jada.2004.04.026.

GUTHOLD, R. et al. Physical activity and sedentary behavior among schoolchildren: a 34-country comparison. The Journal of Pediatrics, v. 157, n. 1, p. 43-49 e1, Jul. 2010. doi: 10.1016/j.jpeds.2010.01.019.

HA, A. et al. Eating and physical activity practices in risk of overweight and overweight children: compliance with US Department of Agriculture food guide pyramid and with National Association for Sport and Physical Activity guidelines for children. Nutrition Research, v. 25, n. 10, p. 905-915, 2005. doi: http://dx.doi. org/10.1016/j.nutres.2005.09.010.

HALLAL, P. C. et al. Prevalence of sedentary lifestyle and associated factors in adolescents 10 to 12 years of age. Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 22, n. 6, p. 1277-1287, jun. 2006. doi: http://dx.doi.org/10.1590/S0102-311X2006000600017.

HUNT, J. B. Childhood obesity and academic outcomes. Institute for Educational Leadership and Policy. 2008. Disponível em: http:// www.huntinstitute. org/elements/media/files/Hunt_Obesity_Memo.pdf. Acesso em: 4 mar. 2017.

IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Pesquisa de Orçamentos Familiares 2008-2009: Antropometria e Estado Nutricional de Crianças, Adolescentes e Adultos no Brasil. Rio de Janeiro, 2010.

JARDIM, J. B.; DE SOUZA, I. L. Obesidade infantil no Brasil: uma revisão integrativa. Journal of Management & Primary Health Care, Recife, v. 8, n. 1, p. 66-90, 2017. Disponível em: http://www. jmphc.com.br/saude-publica/index.php/jmphc/article/view/275. Acesso em: 15 mar. 2017.

KAIN, B. et al. Validación y aplicación de instrumentos para evaluar intervenciones educativas en obesidad de escolares. Revista Chilena de Pediatría, Santiago, v. 72, n. 4, p. 308-318, jul. 2001. doi: http:// dx.doi.org/10.4067/S0370-41062001000400005.

KENNEDY, E. T. et al. Popular diets: correlation to health, nutrition, and obesity. Journal of the American Dietetic Association, v. 101, n. 4, p. 411-20, Apr 2001. doi: 10.1016/S0002-8223(01)00108-0.

LAMAS, R.; LORENZO, T. Prevenção da obesidade em crianças e adolescentes em Cuba. In: FISBERG, M. (Org.). Atualização em obesidade na infância e adolescência. São Paulo: Atheneu, 2004. 218 p.

LEE, Y. S. Consequences of childhood obesity. Annals Academy of Medicine Singapore, v. 38, n. 1, p. 75-77, Apr. 2009. Disponível em: https://pdfs.semanticscholar. org/51b9/11cf27bdd03fbb817e8baac86e19260aa72c.pdf. Acesso em: 15 maio 2017.

LICHTENSTEIN, A. H. et al. Diet and lifestyle recommendations revision 2006: a scientific statement from the American Heart Association Nutrition Committee. Circulation, Waltham, v. 114, n. 1, p. 82-96, Jul. 2006. doi: 10.1161/CIRCULATIONAHA.106.176158.

LOHMAN, T. G. Skinfolds and body density and their relation to body fatness: a review. Human Biology, Detroit, v. 53, n. 2, p. 181- 225, May 1981.

MALTA, D. C. et al. Prevalência de fatores de risco e proteção de doenças crônicas não transmissíveis em adolescentes: resultados da Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar (PeNSE), Brasil, 2009. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 15, n. 2, p. 3009-3019, out. 2010. doi: http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232010000800002.

MALTA, D. C.; MORAIS NETO, O. L. D.; SILVA JUNIOR, J. B. D. Apresentação do Plano de ações estratégicas para o enfrentamento das doenças crônicas não transmissíveis no Brasil, 2011 a 2022. Epidemiologia e Serviços de Saúde, Brasília, v. 20, n. 4, p. 425- 438, 2011.

MARTINS, C. O. Pirâmide da atividade física para crianças e adolescentes. Laboratório de Estudos e Pesquisas em Atividade Física e Saúde, João Pessoa-PB, 2009. Disponível em: http://carolinemartins.yolasite.com/resources/aula2.pdf. Acesso em: Acesso em 30/08/2016.

MARTINS, V. J. et al. Long-lasting effects of undernutrition. International Journal of Environmental Research and Public Health, Boston, v. 8, n. 6, p. 1817-1846, 2011. doi: 10.1038/ sj.ijo.0803529.

MAYER, A. P. F.; WEBER, L. D. A influência da escola na alimentação e na atividade física da criança. CAMINE: Caminhos da Educação, Franca, v. 5, n. 1, p 1-19, 2013. Disponível em: https://ojs.franca. unesp.br/index.php/caminhos/article/view/682. Acesso em: 10 abr. 2017.98

MCDONALD, C. M. et al. The effect of multiple anthropometric deficits on child mortality: meta-analysis of individual data in 10 prospective studies from developing countries. The American Journal of Clinical Nutrition, Rockville, v. 97, n. 4, p. 896-901, Apr. 2013. doi: 10.3945/ajcn.112.047639.

MELLO, E. D.; LUFT, V. C.; MEYER, F. Childhood obesity-towards effectiveness. Jornal de Pediatria, Porto Alegre, v. 80, n. 3, p. 173- 182, maio-jun. 2004. doi: http://dx.doi.org/10.2223/JPED.1180.

MENDONCA, C. P.; DOS ANJOS, L. A. Dietary and physical activity factors as determinants of the increase in overweight/obesity in Brazil. Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 20, n. 3, p. 698-709, maio-jun. 2004.

MUST, A.; TYBOR, D. J. Physical activity and sedentary behavior: a review of longitudinal studies of weight and adiposity in youth. International Journal of Obesity, London, v. 29 Suppl 2, p. S84- 96, Sep. 2005.

OGDEN, C. L. et al. Prevalence of childhood and adult obesity in the United States, 2011-2012. JAMA, v. 311, n. 8, p. 806-814, 2014. doi: 10.1001/jama.2014.732.

ONIS, M. WHO Child Growth Standards based on length/height, weight and age. Acta Paediatr Suppl., v. 95, n. S450, p. 76-85, Apr. 2006. doi: 10.1080/08035320500495548.

ONIS, M. D. et al. Development of a WHO growth reference for school-aged children and adolescents. Bulletin of the World Health Organization, Bethesda, v. 85, n. 9, p. 660-667, 2007. doi: 10.2471/ BLT.07.043497.

RIVERA, J. A. et al. Childhood and adolescent overweight and obesity in Latin America: a systematic review. Lancet Diabetes Endocrinol, v. 2, n. 4, p. 321-332, Apr. 2014. doi: 10.1016/S2213- 8587(13)70173-6.

SAWAYA, A. L. et al. Os dois Brasis: quem são, onde estão e como vivem os pobres brasileiros. Estudos avançados, São Paulo, v. 17, n. 48, p. 21-44, maio-ago. 2003. doi: http://dx.doi.org/10.1590/ S0103-40142003000200003.99

SOUSA, C. P.; OLINDA, R. A.; PEDRAZA, D. F. Prevalence of stunting and overweight/obesity among Brazilian children according to different epidemiological scenarios: systematic review and meta-analysis. São Paulo Medical Journal, São Paulo, v. 134, n. 3, p. 251-262, maio-jun. 2016. doi: http://dx.doi.org/10.1590/1516- 3180.2015.0227121.

TAVELLI, S. et al. Sources of error and nutritional adequacy of the food guide pyramid. Journal of American College Health, Carbondale, v. 47, n. 2, p. 77-82, Sep. 1998. Doi: https://doi. org/10.1080/07448489809595623

TRICHES, R. M.; GIUGLIANI, E. R. J. Obesidade, práticas alimentares e conhecimentos de nutrição em escolares. Revista de Saúde Pública, São Paulo, v. 39, n. 4, p. 541-547, 2005. doi: http:// dx.doi.org/10.1590/S0034-89102005000400004.

VELASQUEZ-MELENDEZ, G. et al. Mild but not light or severe food insecurity is associated with obesity among Brazilian women. The Journal of Nutrition, Rockville, v. 141, n. 5, p. 898-902, May 2011.

VEUGELERS, P. J.; FITZGERALD, A. L. Effectiveness of school programs in preventing childhood obesity: a multilevel comparison. American Journal of Public Health, Rockville, v. 95, n. 3, p. 432-5, Mar. 2005. doi: 10.2105/AJPH.2004.045898.

WHO - World Health Organization. Physical status: the use of and interpretation of anthropometry. 1995. Disponível em: http://www. who.int/childgrowth/publications/physical_status/en/. Acesso em: 16 maio. 2017.

______. Global strategy on diet, physical activity and health. 2004. Disponível em: http://www.who.int/dietphysicalactivity/strategy/ eb11344/strategy_english_web.pdf. Acesso em: 16 maio 2017.

______. WHO child growth standards: length/height for age, weight-for-age, weight-for-length, weight-for-height and body mass index-for-age, methods and development. 2006. Disponível em: http://www.who.int/childgrowth/standards/technical_report/en/. Acesso em: 20 maio 2017.100

______. Global status report of non-communicable diseases 2014. 2014. Disponível em: http://www.who.int/nmh/publications/ncd-status-report-2014/en/. Acesso: 18 mar. 2017.

______. Obesity and Overweight. 2016. Disponível em: http:// www.who.int/mediacentre/factsheets/fs311/en/. Acesso em: 30 ago. 2016.

WILLETT, W. C.; STAMPFER, M. J. Rebuilding the food pyramid. Scientific American, v. 288, n. 1, p. 64-71, Jan. 2003. doi: 10.1038/ scientificamerican1206-12sp.

ZHANG, G. et al. Television watching and risk of childhood obesity: a meta-analysis. European Journal of Public Health, v. 26, n. 1, p. 13-18, Feb. 2016. doi: 10.1093/eurpub/ckv213.

Downloads

Publicado

2018-02-28

Como Citar

OLIVEIRA JÚNIOR, F. A. de; MARTINS, V. J. B. .; SÁ, R. de C. da S. e .; FREITAS, M. R. de. Estratégias lúdico-interativas para a promoção de hábitos alimentares saudáveis e práticas desportivas de escolares. Revista Em Extensão, [S. l.], v. 16, n. 2, p. 75–100, 2018. DOI: 10.14393/REE_v16n22017_art04. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/revextensao/article/view/38681. Acesso em: 8 ago. 2022.

Edição

Seção

Artigos Originais