Religiosidade afro-brasileira, educação para as relações étnico-raciais e a formação docente na perspectiva da sociointeratividade

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/REP-2022-66862

Palavras-chave:

Estágio de vivência., Formação docente, Educação étnico-racial

Resumo

O presente artigo relata a experiência extensionista “Estágios de vivência: cultura afro-brasileira e educação para as relações étnico-raciais”. Trata-se de uma iniciativa de inspiração sociointeracionista, que visou subsidiar processos de formação docente (inicial e continuada) antirracista, por meio de estágios de vivência em comunidades de tradição afro-brasileira. Para tanto, promovemos um dia de vivência, de forma que os professores puderam conhecer um terreiro de Candomblé, no qual realizaram atividades de leitura, assim como conheceram a dinâmica de funcionamento de uma comunidade de axé. Observamos que o contato com a comunidade receptora possibilitou a revisão de preconceitos e de estereótipos. Além disso, permitiu ao grupo aprofundar reflexões, visando a educação antirracista e a participação da escola no combate à intolerância religiosa e implementação das Leis Federais nº 10.639/2003 e nº 11.645/2008.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Anderson Pereira Portuguez, Universidade Federal de Uberlândia

Doutor em Geografia e Desenvolvimento: Território Sociedade e Turismo pela Universidad Complutense de Madrid, Espanha; estágio pós-doutoral em Geografia Cultural/Geografia do Sagrado pela Universidade de Brasília, Brasil;  professor associado II do Instituto de Ciências Humanas do Pontal da Universidade Federal de Uberlândia, Minas Gerais, Brasil; líder do Grupo de Estudos e Pesquisa sobre Cultura, Descolonialidade e Território (UFU/CNPq); membro do Grupo de Estudos e Pesquisa Diálogos com a Geografia Cultural (UFU), do Grupo de Estudos e Pesquisa em Turismo no Espaço Rural  (GEPTER/UNESP), do Núcleo de Estudos e Pesquisas em Educação para as Relações Étnico-raciais e Ações Afirmativas (ICHPO/UFU) e da Red Internacional de Investigadores en Turismo, Cooperación y Desarrollo (Universitat Rovira i Virgili).

Mical de Melo Marcelino, Universidade Federal de Uberlândia

Doutora em Educação pela Universidade de São Paulo, Brasil; professora adjunta no Instituto de Ciências Humanas, Campus Pontal, da Universidade Federal de Uberlândia, Minas Gerais, Brasil; membro do Grupo de Estudos e Pesquisa Produção Escrita e Psicanálise (GEPPEP/UFU) e do Grupo de Estudos e Pesquisa sobre Leitura, Escrita, Livros e Linguagens (GEPLELL/UFU).

Referências

ALMEIDA, S. L. de. Racismo estrutural. São Paulo: Jandaia, 2020.

BRASIL. PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL. Lei nº 12.288, de 20 de julho de 2010. Institui o Estatuto da igualdade racial. Brasília, DF, 2010. Disponível em: https://legislacao.presidencia.gov.br/. Acessado em 25 de agosto de 2022.

CARNEIRO, J. L. Religiões afro-brasileiras: uma construção teológica. Petrópolis: Vozes, 2014.

FANTINI, J. A. (org.). Raízes da intolerância. São Carlos: EdUFSCar, 2014.

FREIRE, Paulo, 1977. Extensão e comunicação? Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1977.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

LEITES, M. H. A questão da raça e da diferença: um olhar sobre outros olhares. Belo Horizonte: Nandyala, 2012

NASCIMENTO, S. L. do. Relações raciais e ensino religioso no Brasil. Belo Horizonte: Nandyala, 2012.

OLIVEIRA, M. K. Vygotsky: aprendizado e desenvolvimento, um processo sociointerativo. São Paulo: Scipione, 2006.

PEREIRA, A. M. África: para abandonar estereótipos e distorções. Belo Horizonte: Naddyala, 2012.

PINTO, F. Umbanda, religião brasileira: guia para leigos e iniciantes. Rio de Janeiro: Pallas, 2014.

PINTO, F. #Seliganapolítica: levanta favela! Vamos descolonizar o Brasil. Rio de Janeiro: Conexão 7, 2018.

PORTUGUEZ, A. P. Geografía humana del bajo río Doce. Ituiutaba: Barlavento, 2010.

PORTUGUEZ, A. P. Contos de uma África mítica: a educação pela oralidade nas religiões afro-brasileiras. Ituiutaba: Barlavento, 2018.

PORTUGUEZ, A. P. Espaço e cultura na religiosidade afro-brasileira. 2 ed. Ituiutaba: Barlavento, 2022.

SOUZA, M. de M. África e Brasil africano. 2. ed. São Paulo: Ática, 2007.

TAILLE, Y.; OLIVEIRA, M. K.; DANTAS, H. Piaget, Vygotsky e Wallon. São Paulo: Summus, 1992.

TUAN, Y. Espaço e lugar: a perspectiva da experiência. Algés: Difel, 1981.

Downloads

Publicado

2022-11-05

Como Citar

PORTUGUEZ, A. P.; MARCELINO, M. de M. Religiosidade afro-brasileira, educação para as relações étnico-raciais e a formação docente na perspectiva da sociointeratividade. Revista de Educação Popular, Uberlândia, MG, p. 188–203, 2022. DOI: 10.14393/REP-2022-66862. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/reveducpop/article/view/66862. Acesso em: 28 nov. 2022.