Educação freireana em comunidades quilombolas e implementação do ensino de História na comunidade Manga/Iús no município de Batalha, Piauí

Autores

  • Elvis Gomes Marques Filho Universidade Estadual do Piauí https://orcid.org/0000-0003-2681-6094
  • Luiz Gustavo da Rocha Moraes Universidade Estadual do Maranhão
  • Ingred Dayane Carvalho Macêdo Universidade Estadual do Piauí
  • Francisca Maria Sousa Melo Secretaria Estadual de Educação do Piauí

DOI:

https://doi.org/10.14393/REP-2021-62160

Palavras-chave:

Educação Quilombola, Ensino de História, Dificuldades de Implementação, Leis Educacionais

Resumo

O processo colonizador brasileiro perpetuou uma cultura eurocêntrica, marginalizando grupos não brancos. Esse apagamento resultou no não reconhecimento de indivíduos negros e indígenas como partícipes da sociedade. Por esse motivo, em conquista dos movimentos negros, reconheceu-se a importância da educação quilombola nas escolas públicas e privadas brasileiras, a fim de perpetuar a história e cultura afro-brasileira e indígenas. Todavia, esse ensino ainda é precário, haja vista o racismo estrutural brasileiro. Esse texto busca mostrar a eficácia da aplicação da Lei nº 10.639/2003 em uma escola presente na comunidade quilombola remanescente Manga-Iús, localizada no município de Batalha, Piauí. Para a pesquisa foi realizada uma pesquisa bibliográfica de caráter qualitativo, fundamentada nas ideias de Paulo Freire, levando em consideração seus pensamentos, e entrevistas do presidente da comunidade e do professor de história da escola pesquisada.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Elvis Gomes Marques Filho, Universidade Estadual do Piauí

Mestrando em Direito (Direitos Humanos) na Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Brasil; professor efetivo da Universidade Estadual do Piauí, Brasil; líder do Grupo de Estudo, Pesquisa e Extensão Esperança Garcia (GEPEG/UESPI/CNPq); membro do Núcleo Docente Estruturante do Curso de Direito (UESPI).

Luiz Gustavo da Rocha Moraes, Universidade Estadual do Maranhão

Graduando em História na Universidade Estadual do Maranhão, Brasil; membro do Grupo de Estudo, Pesquisa e Extensão Esperança Garcia (GEPEG/UESPI/CNPq).

Ingred Dayane Carvalho Macêdo, Universidade Estadual do Piauí

Graduanda em Direito na Universidade Estadual do Piauí, Brasil; membro do Grupo de Estudo, Pesquisa e Extensão Esperança Garcia (GEPEG/UESPI/CNPq).

Francisca Maria Sousa Melo, Secretaria Estadual de Educação do Piauí

Especialista em História do Brasil pela Universidade Estadual Vale do Acaraú, Ceará, Brasil; membro do Grupo de Estudo, Pesquisa e Extensão Esperança Garcia (GEPEG/UESPI/CNPq); professora da rede estadual de educação do Piauí, Brasil.

Referências

BRASIL. [Constituição (1988)]. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Brasília, DF: Senado Federal, 1988.

BRASIL. Decreto nº 4.887, de 20 de novembro de 2003. Regulamenta o procedimento para identificação, reconhecimento, delimitação, demarcação e titulação das terras ocupadas por remanescentes das comunidades dos quilombos de que trata o art. 68 do ato das disposições constitucionais transitórias. Brasília, DF, 2003a. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/2003/d4887.htm. Acesso em: 20 mar. 2021.

BRASIL. Ministério da Educação. Educação Quilombola: Apresentação Disponível em: http://portal.mec.gov.br/educação-quilombola. Acesso em: 23 mar. 2021.

BRASIL. Lei nº 10.639, de 9 de janeiro de 2003. Altera a Lei n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional para incluir no Currículo Oficial da Rede de Ensino a obrigatoriedade da temática “História e Cultura Afro-Brasileira” e dá outras providências. Brasília, DF, 2003b. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2003/l10.639.htm#:~:text=LEI%20No%2010.639%2C%20DE%209%20DE%20JANEIRO%20DE%202003.&text=Altera%20a%20Lei%20no,%22%2C%20e%20d%C3%A1%20outras%20provid%C3%AAncias. Acesso em: 20 mar. 2021.

BRASIL. Lei nº 11.645, de 10 de março de 2008. Altera a Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, modificada pela Lei n. 10.639, de 9 de janeiro de 2003, que estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional para incluir no currículo oficial da rede de ensino a obrigatoriedade da temática “História e Cultura Afro-Brasileira e Indígena”. Brasília, DF, 2008. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2008/lei/l11645.htm. Acesso em: 21 jan. 2021.

BRASIL. Resolução nº 1, de 17 de junho de 2004. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação das Relações Étnico-Raciais e para o Ensino de História e Cultura Afro-Brasileira e Africana. Brasília, DF, 2004. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/dmdocuments/cnecp_003.pdf. Acesso em: 20 mar. 2021.

BRASIL. Resolução nº 8, de 20 de novembro de 2012. Define as Diretrizes Curriculares Nacionais para a educação escolar quilombola na educação básica. Brasília, DF, 2012. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=11963-rceb008-12-pdf&category_slug=novembro-2012-pdf&Itemid=30192. Acesso em: 10 jul. 2021.

CARRIL, L. de F. B. Os desafios da educação quilombola no Brasil: o território como contexto e texto. Rev. Bras. Educ, Rio de Janeiro, v. 22, n. 69, p. 539-564, abr./jun. 2017. Doi: 10.1590/S1413-24782017226927. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rbedu/a/L9vwgCcgBY6sF4KwMpdYcfK/?lang=pt. Acesso em: 2 jul. 2021.

SILVA, F. das C. da ; LEITE, M. J. dos S. Educação escolar na Comunidade Quilombola Contente. Curitiba: Appris, 2020.

FREIRE, P. A pedagogia do oprimido. 17. ed. Paz e Terra. Rio de Janeiro, 1987.

FREIRE, P. Educação como prática da liberdade. Paz e Terra. Rio de Janeiro, 1967.

MIRANDA, S. A.de. Educação escolar quilombola em Minas Gerais: entre ausências e emergências. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, v. 17, n. 50, p. 369-498, maio/ago. 2012. Doi: 10.1590/S1413-24782012000200007. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rbedu/a/vtvxW4PdPS4DjskgsjXqxHN/?lang=pt. Acesso em: 30 jun. 2021.

MOURA, C. Quilombos: resistência ao escravismo. São Paulo: Ática, 1987.

MUNANGA, K.; GOMES, N. L. Para entender o negro no Brasil de hoje: história, realidades, problemas e caminhos. São Paulo: Global: Ação Educativa Assessoria, Pesquisa e Informação, 2004.

PEREIRA, A. A. O Movimento Negro Brasileiro e a Lei nº 10.639/2003: da criação aos desafios para a implementação. Revista Contemporânea de Educação, Rio de Janeiro, v. 11, n. 22, p. 13-30, jan./abr. 2016. Doi: 10.20500/rce.v12i23.3452. Disponível em: https://revistas.ufrj.br/index.php/rce/article/view/3452. Acesso em: 15 jun. 2021.

ROCHA, M. S. da; SILVA, J. B. da. Reflexões sobre educação escolar quilombola. Teoria & Prática, Campinas, São Paulo, v. 34, n. 68, p. 79-91, dez. 2016. Doi: 10.34112/2317-0972a2016v34n68p79-91. Disponível em: https://ltp.emnuvens.com.br/ltp/article/view/534. Acesso em: 12 jun. 2021.

Downloads

Publicado

29-09-2021

Como Citar

MARQUES FILHO, E. G.; MORAES, L. G. da R.; MACÊDO, I. D. C. .; MELO, F. M. S. . Educação freireana em comunidades quilombolas e implementação do ensino de História na comunidade Manga/Iús no município de Batalha, Piauí. Revista de Educação Popular, Uberlândia, p. 471–490, 2021. DOI: 10.14393/REP-2021-62160. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/reveducpop/article/view/62160. Acesso em: 20 maio. 2024.