Entre Iracenas, Jaciaras, Marias e Josés

relato do processo criativo de “O futuro é ancestral”

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/OUV-v19n2a2023-70592

Palavras-chave:

Ancestralidade, Processo criativo, Povos indígenas

Resumo

Este texto narra o processo de montagem realizado pela turma da disciplina Ateliê de Criação Cênica do Curso de Teatro da Universidade Federal de Uberlândia. Os Ateliês de Criação Cênica têm como objetivo oferecer às/aos estudantes a possibilidade de imersão numa criação, na qual possam experimentar e participar ativamente de todas as etapas de um processo criativo. Aqui apresento o relato do processo da última montagem que coordenei, “O futuro é ancestral”, na qual realizamos uma pesquisa sobre ancestralidade. Para tanto, houve um estudo sobre as árvores genealógicas das/dos participantes e sobre a cultura de alguns povos indígenas do Brasil. O título da montagem é uma citação de Ailton Krenak, líder indígena brasileiro, ambientalista, filósofo, poeta e escritor do povo Krenak, para quem só poderemos ter um futuro se rompermos com a visão extrativista sobre o organismo vivo chamado Terra e aprendermos a nos reconciliar com as nossas origens. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mara Lucia Leal, Universidade Federal de Uberlândia

Mara Lucia Leal é artista, pesquisadora e docente do Curso de Teatro, do Programa de Pós-Graduação em Artes Cênicas (PPGAC) da UFU e do Mestrado Profissional em Artes (PROF-ARTES). Desenvolve pesquisa sobre Cena Contemporânea e Performance na interface entre criação e práticas artístico-pedagógicas. Pesquisadora do grupo GEAC (CNPq) e integrante da equipe editorial da Revista ouvirOUver. Organizou os InterFaces e os dossiês sobre Desmontagem (2013/14) e Performance e Pedagogia (2016/17), publicados na Revista Rascunhos. É autora do livro Performance e(m) Memória (EDUFU, 2014) e de artigos de divulgação de suas pesquisas. Em 2017 realizou a pesquisa de pós-doutorado Performance e pedagogias: poéticas e políticas do corpo: Universidad Autónoma Metropolitana (Cuajimalpa-México-DF) e Universidad Castilla-La Mancha (Cuenca-Espanha). Desde 2013 apresenta a desmontagem Memória em processos. Em 2018, organizou em colaboração com Ileana Diéguez o livro Desmontagens: processos de pesquisa e criação nas artes da cena (7Letras). Atualmente (2023), desenvolve pesquisa de pós-doutorado na Universidade de São Paulo.

Downloads

Publicado

2023-10-31

Como Citar

LEAL, M. L. Entre Iracenas, Jaciaras, Marias e Josés: relato do processo criativo de “O futuro é ancestral”. ouvirOUver, [S. l.], v. 19, n. 2, p. 78–107, 2023. DOI: 10.14393/OUV-v19n2a2023-70592. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/ouvirouver/article/view/70592. Acesso em: 16 jul. 2024.

Edição

Seção

Dossiê RED CITU: Rede Latino-Americana de Criação e Pesquisa de Teatro Universitário