Beethoven, a música e a literatura

um diálogo pleno de apropriações

Autores

  • Stéfano Paschoal Universidade Federal de Uberlândia

DOI:

https://doi.org/10.14393/OUV-v17n1a2021-61643

Palavras-chave:

Música, Literatura, Ludwig van Beethoven, Sonata opus 111.

Resumo

Exploramos neste artigo as relações interartes, com ênfase nas relações entre literatura e música. De modo específico, demonstraremos, primeiramente, como a literatura contribui para a construção de uma imagem de Ludwig van Beethoven por meio de inúmeras representações, a partir da obra Doktor Faustus, de Thomas Mann, que também servirá de base para demonstrarmos como a literatura é capaz de sugerir interpretações musicais. Em relação ao primeiro caso, contribui para a formação de uma imagem de Beethoven suas representações narradas por Kretzschmar, personagem central da obra em questão. No tocante ao segundo caso, também a cargo de Kretzschmar, tem-se um discurso muito bem estruturado sobre a Sonata n.32 opus 111. Motivadas pela ausência do terceiro movimento – que não é característica apenas da Opus 111 – as discussões de Kretzschmar põem em destaque uma nota musical, incluída num grupo de notas. A partir deste discurso apresenta-se uma sugestão interpretativa tem sido seguida por diversos pianistas. Ao final do artigo perceber-se-á que as relações apresentadas não se dão apenas numa direção, mas sim, que são recíprocas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2021-09-25

Como Citar

PASCHOAL, S. Beethoven, a música e a literatura: um diálogo pleno de apropriações. ouvirOUver, [S. l.], v. 17, n. 1, p. 141–159, 2021. DOI: 10.14393/OUV-v17n1a2021-61643. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/ouvirouver/article/view/61643. Acesso em: 13 ago. 2022.

Edição

Seção

Artigos