O questionamento do irrepresentável em Jacques Rancière

A propósito de The Disintegration Loops, de William Basinski

Autores

  • Osvaldo Fontes Filho Escola de Filosofia, Letras e Ciências Humanas/Depto de História da Arte/ UNIFESP-campus Guarulhos https://orcid.org/0000-0002-2358-3902

DOI:

https://doi.org/10.14393/OUV-v17n1a2021-54655

Palavras-chave:

Jacques Rancière, William Basinski, Irrepresentável, Sublime

Resumo

Em sua vasta obra, Jacques Rancière tem apontado  com recorrência para modos de entendimento da noção de representação e suas normativas  de organização  do fazer, do ver e do julgar. Este texto procura esclarecer em que medida se torna possível estimar, nos registros do que Rancière denomina o “regime estético das artes”, a expressão artística de acontecimentos ditos impensáveis ou irrepresentáveis. Analisar nessa chave a obra (musical e visual) de William Basinski The Disintegration Loops, em torno doa atentados de 11 de setembro de 2001, permite pensar modos de inserção de uma arte não representativa no interior de um contexto de resposta afetiva à catástrofe, bem como questionar criticamente a valorização do conceito de sublime sobre o pano de fundo de uma suposta crise pós-moderna da representação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Osvaldo Fontes Filho, Escola de Filosofia, Letras e Ciências Humanas/Depto de História da Arte/ UNIFESP-campus Guarulhos

Doutor em Filosofia pela FFLCH/USP e Pós-Doutor pelo IBILCE/UNESP. Docente no Departamento de História da Arte da EFLCH/UNIFESP e em seu Programa de Pós-Graduação.  É autor de Merleau-Ponty na trama da experiência sensível (São Paulo: Editora FAP/Unifesp, 2012), bem como de diversos artigos em revistas acadêmicas e de capítulos de livros. Tradutor no Brasil de Georges Didi-Huberman.

Downloads

Publicado

2021-09-25

Como Citar

FONTES FILHO, O. O questionamento do irrepresentável em Jacques Rancière: A propósito de The Disintegration Loops, de William Basinski. ouvirOUver, [S. l.], v. 17, n. 1, p. 84–98, 2021. DOI: 10.14393/OUV-v17n1a2021-54655. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/ouvirouver/article/view/54655. Acesso em: 10 dez. 2022.

Edição

Seção

Artigos