Abiku, nascido para morrer

A fotografia de Rotimi Fani-Kayode

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/OUV-v17n1a2021-51481

Palavras-chave:

Rotimi Fani-Kayode, Fotografia, arte diaspórica, necropolítica, Aids

Resumo

Os retratos do corpo negro e homossexual se apresentam na obra fotográfica do artista nigeriano Rotimi Fani-Kayode, falecido em decorrência da pandemia de Aids em seu início, como um registro poente de esvaecimentos e êxtases, repleto de encruzilhadas que empurram o uso biopolítico da mortalidade em direção ao consumo necropolítico da mortandade, e abrem dignas intersecções entre sexo e morte, emulando o encontro entre os destinos da diáspora e da fatalidade; e triangulando negritude, homossexualidade e enfermidade, bem como identidade, política e espiritualidade iorubá.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

José Roberto Schneedorf Ferreira da Silva, Universidade do Estado de Minas Gerais, Belo Horizonte MG, Brasil

Natural de São Bernardo do Campo, São Paulo, 1973. Artista plástico, pesquisador e professor de Gravura (Xilogravura e Serigrafia) na Universidade do Estado de Minas Gerais, em Belo Horizonte. Doutorando em Artes, com Mestrado em Artes Visuais (2009) e Bacharelado em Belas Artes (Habilitação em Desenho, 1994; Habilitação em Gravura, 1996), produzindo principalmente desenhos e gravuras, e expondo-os desde 1994. Vive e trabalha em Belo Horizonte, Minas Gerais.

AFILIAÇÃO INSTITUCIONAL: Professor do Departamento de Disciplinas Tridimensionais e Artes Visuais da Escola Guignard da Universidade do Estado de Minas Gerais; Doutorando do PPGA da Escola de Belas Artes da Universidade Federal de Minas Gerais.

Downloads

Publicado

2021-09-25

Como Citar

SCHNEEDORF FERREIRA DA SILVA, J. R. Abiku, nascido para morrer: A fotografia de Rotimi Fani-Kayode. ouvirOUver, [S. l.], v. 17, n. 1, p. 67–83, 2021. DOI: 10.14393/OUV-v17n1a2021-51481. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/ouvirouver/article/view/51481. Acesso em: 7 dez. 2022.

Edição

Seção

Artigos