Poética do convite

residências artísticas como estratégia de resistência de artistas contemporâneas para criações em colaboração

Autores

  • Janaína Moraes Universidade de Brasília

DOI:

https://doi.org/10.14393/OUV-v15n2a2019-48764

Palavras-chave:

Poética do convite, Residência artística, Composição coreográfica, Improvisação em dança

Resumo

Esse artigo é um recorte imaginário do ajuntamento de duas noções que permeiam minha pesquisa de mestrado: o convite enquanto poética e a residência artística enquanto situação de processo criativo. Nele discorrerei sobre algumas características levantadas para a elaboração da ideia de convites coreográficos, bem como sobre as motivações de configurar situações de residências artísticas como uma estratégia para artistas contemporâneas que re/existem na lógica da colaboração. Ainda, como escolha estética, ética e política, dialoga-se sobre estrutura enquanto conteúdo, ao convidar (metalinguisticamente) a uma leitura que se abra à possibilidade de ser realizada de corpo todo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Janaína Moraes, Universidade de Brasília

Janaína Moraes é dançarina e coreógrafa-diretora. Mestranda em Artes Cênicas (UnB); Pós-graduanda em Estudos Contemporâneos em Dança - lato sensu (UFBA) e Licenciada em Dança pelo Instituto Federal de Brasília (2010-2014). Na Austrália (2014-2016), desenvolveu os trabalhos: Waiting Room (Fringe World Festival/Perth Centre for Photography), Encounters (Short Cuts/STRUT Dance) e A Picnic (The Kiss Club/CIA Studios). Fundou o Coletivo e o Escambau (2014-2015) onde realizou as obras Sala de Espera, Imagens do Não Visto, e Quanto de Mim Ainda me Resta?. Percorre o campo da improvisação na dança contemporânea, com interesse nas relações entre criadores, cena e espectadores.

 

Arquivos adicionais

Publicado

2019-12-31

Como Citar

MORAES, J. Poética do convite: residências artísticas como estratégia de resistência de artistas contemporâneas para criações em colaboração. ouvirOUver, [S. l.], v. 15, n. 2, p. 294–306, 2019. DOI: 10.14393/OUV-v15n2a2019-48764. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/ouvirouver/article/view/48764. Acesso em: 17 abr. 2024.

Edição

Seção

Dossiê Embrenhar a cena – corpos, poéticas, políticas.