¿Tiene límites la interpretación?

Apuntes sobre la intencionalidad en el arte

Autores

  • Hamlet Fernández Díaz Universidade de Uberaba

DOI:

https://doi.org/10.14393/OUV-v15n2a2019-48703

Palavras-chave:

Teoria da recepção, Compreensão, Interpretação, Intencionalidade, Práticas artísticas contemporâneas

Resumo

O presente trabalho propõe como objetivo central refletir sobre a complexidade dialética do processo de interpretação na arte. Para fazer isso, primeiro abordamos o problema da interpretação a partir de uma perspectiva semiótica. Qual é a explicação semiótica da interpretação; qual é sua especificidade no campo da arte; quais são os fatores que condicionam o processo de interpretação/compreensão estética? Como parte desse quadro problemático, tentamos responder à questão de saber se há limites na interpretação artística. E, finalmente, analisamos o fenômeno da intencionalidade na arte: qual é a dialética que se estabelece entre a intenção do autor, a intenção da obra e a intenção do receptor? Consideramos que a discussão teórica proposta no artigo é de interesse fundamental para os estudantes de História da Arte, assim como para artistas em processo de formação e professores de artes visuais em geral.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2019-12-31

Como Citar

FERNÁNDEZ DÍAZ, H. ¿Tiene límites la interpretación? : Apuntes sobre la intencionalidad en el arte. ouvirOUver, [S. l.], v. 15, n. 2, p. 526–539, 2019. DOI: 10.14393/OUV-v15n2a2019-48703. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/ouvirouver/article/view/48703. Acesso em: 9 ago. 2022.