Criação-performance partilhada em música

a imprevisibilidade no fazer musical

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/OUV-v15n2a2019-46350

Palavras-chave:

Etnomusicologia, performance musical, criação musical, paradigma da complexidade.

Resumo

Este trabalho dedica-se ao estudo de práticas performativas coletivas nas quais o som, com intenção musical, é usado como material para a criação em tempo real. Trata-se de um tipo de prática musical em grupo onde a performance e a criação são assumidas pelos agentes como indissociáveis e que estão conotadas com formas de adjetivação da música como "improvisada", "livre", "experimental" e/ou "espontânea". Estes modos de fazer musical, diluidores da dicotomia compositor/intérprete, oferece outros valores ao processo de performance musical como "musicar" sem materiais musicais pré-concebidos. A pesquisa parte de um trabalho etnográfico com dois grupos praticantes deste modelo, sendo um no Brasil e outro em Portugal, e o modelo teórico de análise utilizado assenta-se no conceito da imprevisibilidade e no Paradigma da Complexidade que problematiza os conceitos de "ordem" e "desordem".

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ítalo Robert da Silva Araújo, Universidade de Aveiro

Universidade de Aveiro/PT - INET-md - Instituto de Etnomusicologia

Alexsander Jorge Duarte, Universidade de Aveiro

Universidade de Aveiro/PT - INET-md

Downloads

Publicado

2019-12-31

Como Citar

ARAÚJO, Ítalo R. da S.; DUARTE, A. J. Criação-performance partilhada em música: a imprevisibilidade no fazer musical. ouvirOUver, [S. l.], v. 15, n. 2, p. 552–567, 2019. DOI: 10.14393/OUV-v15n2a2019-46350. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/ouvirouver/article/view/46350. Acesso em: 16 abr. 2024.