Por um balé somático: Laban e Béziers no aprenderensinar a técnica clássica

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/OUV23-v14n2a2018-18

Resumo

O presente artigo apresenta uma proposta metodológica para o aprenderensinar balé clássico a partir do Sistema Laban/Bartenieff e da Coordenação Motora de Marie-Madeleine Béziers, entendidos como abordagens somáticas. Neste sentido, os procedimentos metodológicos foram desenvolvidos tendo como base princípios destas duas abordagens e da Educação Somática. Desta forma, a proposta metodológica aqui apresentada distancia-se do modo como geralmente as aulas de balé clássico são desenvolvidas, guiadas pelo pensamento do ensino da forma (código da dança clássica), que parte da demonstração dos movimentos, pelos(as) professores(as), e da cópia dos mesmos pelos(as) alunos(as). Na proposta aqui apresentada a chegada ao código da técnica clássica nasce da exploração de movimentos que estão nos princípios desta técnica, utilizando-se de aportes somáticos que ajudam não apenas na aprendizagem da dança clássica, mas também na ressignificação da mesma. Conclui-se que o balé somático pode facilitar o processo de aprendizagem, bem como torná-lo mais significativo, e favorecer a autonomia do sujeito frente à construção do seu conhecimento em dança no/pelo corpo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Neila Cristina Baldi, Universidade Federal de Santa Maria

Doutora em Artes Cênicas pela Universidade Federal da Bahia (UFBA)

Downloads

Publicado

2018-11-28

Como Citar

BALDI, N. C. Por um balé somático: Laban e Béziers no aprenderensinar a técnica clássica. ouvirOUver, [S. l.], v. 14, n. 2, p. 510–520, 2018. DOI: 10.14393/OUV23-v14n2a2018-18. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/ouvirouver/article/view/39854. Acesso em: 6 dez. 2022.