Jean-Jacques Lemêtre e a presença da dramaturgia sonora no processo de criação do ator

Autores

  • Alex Beigui Paiva Cavalcante Universidade Federal do Rio Grande do Norte
  • Flávia Fernandes Couto Universidade de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.14393/OUV23-v14n2a2018-16

Resumo

Nesse artigo busca-se melhor compreender historicamente as relações entre a música e o corpo do ator como forma de tecnologia em andamento, presente em vários processos cênicos contemporâneos. Para tanto, destacamos o trabalho do francês Jean-Jacques Lemêtre junto ao Théâtre du Soleil como campo e potencial qualitativo da investigação acerca da sonoridade e sua interação com o corpo em estado pré-cênico e cênico. Destaca-se, ainda, a ideia da música como arquitetura do movimento de obra de arte total reivindicado em diferentes épocas, bem como as relações entre as imagens sonoras e as imagens corporais no repertório da cena contemporânea.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Alex Beigui Paiva Cavalcante, Universidade Federal do Rio Grande do Norte

BEIGUI, Alex.

Flávia Fernandes Couto, Universidade de São Paulo

COUTO, Flávia.

Downloads

Publicado

2018-11-28

Como Citar

CAVALCANTE, A. B. P.; COUTO, F. F. Jean-Jacques Lemêtre e a presença da dramaturgia sonora no processo de criação do ator. ouvirOUver, [S. l.], v. 14, n. 2, p. 482–495, 2018. DOI: 10.14393/OUV23-v14n2a2018-16. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/ouvirouver/article/view/37578. Acesso em: 14 ago. 2022.