Imersão Cristal: Princípios, recorrências e reverberações.

Autores

  • Ciane Fernandes Universidade Federal da Bahia - PPGAC - UFBA
  • Líria de Araújo Morais Universidade Federal da Paraíba
  • Melina Scialom University of Rohemapton, Reino Unido
  • Alba Pedreira Vieira Universidade Federal de Viçosa

DOI:

https://doi.org/10.14393/OUV20-v13n1a2017-4

Palavras-chave:

Imersão, Abordagem somático-performativa, Padrões cristal, performance-instalação.

Resumo

O artigo resulta de mesa apresentada no IX Congresso da ABRACE na Universidade Federal de Uberlândia, em novembro de 2016, em que integrantes do Coletivo A-FETO compartilharam e teceram considerações sobre suas vivências na obra Cristal (MAC-SP, junho de 2016). Cristal é uma Imersão somático-performativa com participação do público, que acontece a partir de Padrões de Crescimento, de Mudança ou Padrões Cristal. Este princípio composicional da Abordagem Somático-Performativa foi inspirado na mutabilidade inerente às formas cristalinas das teorias de Rudolf Laban. Coerente com essa perspectiva em crescimento inerente ao próprio movimento criativo, a obra é uma instalação-performance que inclui dança, escrita, projeções, paisagem sonora em tempo real, e que aconteceu durante os dias da exposição Vesica Piscis (sob curadoria de Maria Mommensohn), como uma obra de tempo continuado. O público não foi apenas um visitante, mas também trouxe suas contribuições cristal. Do mesmo modo, as reflexões aqui apresentadas contribuem para desdobramentos e sistematizações performativas e integradas, conectando vivências pessoais e coletivas, criação e(m) pesquisa. ABSTRACT The article results of a roundtable presented at the IX ABRACE Congress at Federal University of Uberlândia, in November 2016, in which members of the Collective A-FETO shared and developed considerations regarding their experience in Cristal (MAC-SP, June 2016). Cristal is a somatic-performative merger with audience participation that is based on Growth Patterns, Change Patterns or Crystal Patterns. This compositional principle of the Somatic-Performative Approach was inspired on the inherent mutability of the crystal forms of Rudolf von Laban's theories. Coherent with this growing perspective - which is also inherent to creative movement -, the piece is a performance-installation that includes dance, writing, projection, soundscape in real time, and that happened during the days of the exhibition Vesica Piscis (curated by Maria Mommensohn) as a continuous durational piece. The audience is not only a visitor to the installation, but they can also bring their own crystal contributions. In the same way, the current reflections presented here contribute to performative and integrative unfolding and systematizations, connecting personal and collective experience, creative processes and/in research. KEYWORDS Merger, Somatic-performative approach, Crystal patterns, performance-installation.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ciane Fernandes, Universidade Federal da Bahia - PPGAC - UFBA

Professora titular da Escola de Teatro e do PPGAC/UFBA, graduada em enfermagem, licenciada em artes plásticas e especialista em saúde mental (arteterapia) pela Universidade de Brasília; mestre e Ph.D. em Artes & Humanidades para Intérpretes das Artes Cênicas pela New York University e Analista de Movimento pelo Laban/Bartenieff Institute of Movement Studies (New York), de onde é pesquisadora associada; e pós-doutora em Comunicação e Cultura Contemporâneas pela UFBA. Pesquisadora Produtividade em Pesquisa 1C (CNPq). Desde 1997, dirige o Coletivo A-FETO e ensina e pesquisa sobre educação somática, análise do movimento, formação corporal do ator, dança-teatro, interartes, performance e transculturalidade.

Líria de Araújo Morais, Universidade Federal da Paraíba

Professora adjunta do curso de Licenciatura em Dança da Universidade Federal da Paraíba. Professora do programa de Mestrado ProfArtes - UFPB. Doutora em Artes Cênicas pelo PPGAC-UFBA, Mestre e Especialista pelo PPGDança

Melina Scialom, University of Rohemapton, Reino Unido

Doutora em Dança (University of Rohemapton, Reino Unido), Especialista em Estudos Coreológicos (Trinity-Laban, Reino Unido), Mestre em Artes Cênicas (UFBA), Bacharel e Licenciada em Dança (UNICAMP), e Diretora artística do Núcleo Maya-Lila (São Paulo) tem atuado junto ao Maya-Lila como diretora, coreógrafa e performer das obras do núcleo desde 2005. Paralelamente à pesquisa acadêmica colabora com diferentes artistas em âmbito interdisciplinar na criação de obras de dança, performance, artes visuais e teatro. Atualmente tem se dedicado à investigação da dramaturgia na dança e suas interfaces com a criação cênica contemporânea.

Alba Pedreira Vieira, Universidade Federal de Viçosa

Professora associada do Curso de Dança da Universidade Federal de Viçosa/UFV, doutora em Dança pela Temple University (Estados Unidos) e pós-doutora em Artes Cênicas pela UFBA. Diretora artística do Grupo de Dança Contemporânea Mosaico, no qual desenvolve pesquisas teórica-práticas em performance, processos criativos em dança, improvisação e somática. Membro da Comissão de Criação do Curso de Dança (Licenciatura e Bacharelado) e Coordenadora Geral do Curso de Especilização em Dança Educativa Moderna da UFV. Líder do Grupo de Pesquisa Transdisciplinar em Dança, membro da Diretoria do World Dance Alliance Americas (vice-presidente, 2013-2017) e da Dance and the Child International/DaCi.

Downloads

Publicado

2017-05-25

Como Citar

FERNANDES, C.; MORAIS, L. de A.; SCIALOM, M.; VIEIRA, A. P. Imersão Cristal: Princípios, recorrências e reverberações. ouvirOUver, [S. l.], v. 13, n. 1, p. 48–65, 2017. DOI: 10.14393/OUV20-v13n1a2017-4. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/ouvirouver/article/view/37023. Acesso em: 9 dez. 2022.

Edição

Seção

Dossiê: Poéticas e estéticas descoloniais - artes cênicas em campo expandido