Políticas do espaço: desordem e emergências da performance

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/OUV20-v13n1a2017-5

Palavras-chave:

Intervenção, Performance, Espaço, Política.

Resumo

A performance, como prática corporal extra cotidiana, desloca a percepção territorial dos espaços, criando intervenções que perturbam a ordem, questionam a estabilidade dos lugares, seus símbolos, usos e formas de controle. Neste texto, apresentamos as falas e os debates da mesa "Políticas do Espaço: desordem e emergências da performance", sobre a performance em situação de intervenção urbana como instância política de percepção do espaço, que coloca em jogo a emergência de coletividades temporárias. Assim, procurou-se revisar o conceito de linguagem cênica por meio da análise de manifestações que problematizam questões estéticas e éticas do cotidiano nas cidades, através de ações coletivas e ocupações experimentais como protestos, processos de apropriação dos espaços, subversão dos lugares e deslocamentos territoriais. ABSTRACT Performance, as a non-everyday embodied practice, displaces the territorial perception of spaces, creating interventions that disturb order, question the stability of places, their symbols, uses and forms of control. In this text we present the talks and debates of the roundtable "Politics of Space: disorder and emergencies of the performance", dealing with performances in an urban intervention situation as a political instance of perception of space that put at stake the emergence of temporary collectivities. Thus, we sought to revise the concept of scenic language through the analysis of manifestations that problematize aesthetic and ethical issues in daily of the cities, through collective actions and experimental occupations such as protests, processes of appropriation of spaces, subversion of places and territorial displacements. KEY WORDS: Intervention, performance, space, politics.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ines Linke, UFBA

Professora Adjunta na Escola de Belas Artes da Universidade Federal da Bahia, coordenadora do grupo Urbanidades. Artista plástica, cenógrafa e pesquisadora. Fundadora e participante do grupo A.T.A. e do coletivo Thislandyourland. Atua na interface entre arte contemporânea, intervenção urbana e cenografia. Doutorado em Artes (2012) e Mestrado (2007) pela Universidade Federal de Minas Gerais. Graduada em Artes pela Universidade de Iowa (1993).

Eloisa Brantes Mendes, UERJ

Professora Adjunta Instituto de Artes/UERJ. Maître em Artes do Espetáculo pela Université de Paris 8 (1998). Doutora PPGAC

Marcelo Rocco, UFSJ

Professor Adjunto da Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ) - Área de Licenciatura em Teatro (COTEA), fixado no Departamento de Letras, Artes e Cultura (DELAC);

Naira Ciotti, UFRN

Professor-performer, com Bacharelado e Licenciatura em História pela Universidade de São Paulo (1983). Mestrado concluído em 1999 com o título O híbrido professor-performer: uma prática, sob a orientação da Prof. Dr. Ana Cristina Pereira de Almeida. Desenvolveu pesquisa de doutorado sob orientação dos professores Renato Cohen e Christine Greiner sobre questões da performance arte, Arte Contemporânea na tecnocultura, a rede, a memória do corpo e os museus de arte, denominado: O museu como mídia: performance e espaço colaborativo; em setembro de 2005 no Programa de Comunicação e Semiótica da PUC/SP.

Downloads

Publicado

2017-05-25

Como Citar

LINKE, I.; MENDES, E. B.; ROCCO, M.; CIOTTI, N. Políticas do espaço: desordem e emergências da performance. ouvirOUver, [S. l.], v. 13, n. 1, p. 66–77, 2017. DOI: 10.14393/OUV20-v13n1a2017-5. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/ouvirouver/article/view/36935. Acesso em: 8 ago. 2022.

Edição

Seção

Dossiê: Poéticas e estéticas descoloniais - artes cênicas em campo expandido