Entre as duas vezes que o corpo dançou: Coreografia para a câmara Bausch, Fuller e Deren

Autores

  • Ana Rito Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa - Centro de Investigação e Estudo em Belas Artes

DOI:

https://doi.org/10.14393/OUV18-v12n1a2016-12

Palavras-chave:

Corpo performativo, Imagem movente, Presença, Ausência, Coreografia

Resumo

RESUMO É a imagem videográfica que, registando o corpo, edifica o conceito de "coreografia para a câmara", não pressupondo que as acções sejam experienciadas ao vivo por um público, logo permitindo um desfasamento conceptual que auxilia a definição de um campo esquivo e entre mundos: os gestos são agora "arquivos" do corpo em trânsito. A figura, agora tornada o corpo da imagem (podemos talvez considerar dois corpos unidos, o corpo enquanto figura, e o corpo próprio do vídeo ou do filme enquanto representação, "objecto"), estabelece a transmutação e a instabilidade da própria condição do medium das imagens em movimento - filme ou vídeo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Rito, Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa - Centro de Investigação e Estudo em Belas Artes

Artista Visual, Curadora e Investigadora. Especialidade Vídeo-instalação: Performance e Imagem Movente

Downloads

Publicado

2016-10-13

Como Citar

RITO, A. Entre as duas vezes que o corpo dançou: Coreografia para a câmara Bausch, Fuller e Deren. ouvirOUver, [S. l.], v. 12, n. 1, p. 196–207, 2016. DOI: 10.14393/OUV18-v12n1a2016-12. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/ouvirouver/article/view/30113. Acesso em: 6 dez. 2022.