Escolas de memórias: representações da escola entre novos letrados (Minas Gerais, décadas de 1900 a 1930)

Conteúdo do artigo principal

Cecília Rodrigues Fadul
https://orcid.org/0000-0003-1126-6309
Ana Maria de Oliveira Galvão
https://orcid.org/0000-0001-9063-8267

Resumo

O artigo teve como objetivo analisar as representações de escola que autores(as) de autobiografias – nascidos(as) em Minas Gerais a partir do final do século XIX e considerados novos letrados – construíram ao longo de suas trajetórias de vida e produziram em suas obras. Foram analisadas sete autobiografias, compreendidas como documentos significativos para se alcançar as experiências pessoais de um grupo que construiu representações singulares sobre a escola. Chegou-se à conclusão de que a escola, para os novos letrados, foi supervalorizada, sobretudo como mecanismo de inclusão em uma sociedade que, ao longo dos anos - entre o tempo das memórias e o tempo da escrita - viu crescer a valorização da escolarização e da alfabetização. Os(as) autores(as) buscaram, por meio da escola, se incluírem no grupo daqueles que, pela via do conhecimento, ocupava lugares de distinção. A escrita de um livro pareceu configurar o desfecho ideal dessa ascensão simbólica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Detalhes do artigo

Como Citar
Fadul, C. R., & Galvão, A. M. de O. (2020). Escolas de memórias: representações da escola entre novos letrados (Minas Gerais, décadas de 1900 a 1930). Cadernos De História Da Educação, 19(2), 459–480. https://doi.org/10.14393/che-v19n2-2020-11
Seção
Artigos
Biografia do Autor

Cecília Rodrigues Fadul, Universidade Federal de Minas Gerais (Brasil)

https://orcid.org/0000-0003-1126-6309
http://lattes.cnpq.br/1830588144096290
ceciliafadul@yahoo.com.br

Ana Maria de Oliveira Galvão, Universidade Federal de Minas Gerais (Brasil)

https://orcid.org/0000-0001-9063-8267
http://lattes.cnpq.br/6102383021147824
anamariadeogalvao@gmail.com

Referências

BOTO, Carlota et al. Ética e educação clássica: virtude e felicidade no justo meio. Educação e Sociedade, v.22, n.76, p.21-146, 2001. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/v22n76/ a08v2276.pdf. Acesso em 22 abril 2017. https://doi.org/10.1590/S0101-73302001000300008

BOTO, Carlota. A civilização escolar como projeto político e pedagógico da modernidade: cultura em classes, por escrito. Cadernos Cedes, v. 23, n. 61, p. 378-397, 2003. https://doi.org/10.1590/S0101-32622003006100008

BOURDIEU, Pierre. A distinção: crítica social do julgamento. Porto Alegre, RS: Zouk, 1984.

BOURDIEU, Pierre. Os três estados do capital cultural. In: NOGUEIRA, Maria Alice; CATANI, Afrânio (Org.). Escritos de educação. Petrópolis: Vozes, 1979. p. 73-79 (3. ed., 2001).

BOURDIEU, Pierre. A ilusão biográfica. In: FERREIRA, Marieta de Moraes e AMADO, Janaína. (org.). Usos & abusos da história oral. 8. ed. Rio de Janeiro: FGV, 1996/2006. p. 183-191.

BURKE, Peter. A Escola dos Annales (1929-1989): a Revolução Francesa da Historiografia. São Paulo: Fundação Editora da UNESP, 1997.

CARVALHO, José Murilo de. Os bestializados: o Rio de Janeiro e a República que não foi. São Paulo: Companhia das Letras, 1987.

CARVALHO, José Murilo de. Pontos e Bordados: Escritos de História e Política. Belo Horizonte: Editora UFMG, 1998.

CARVALHO, Carlos Henrique de et al. O projeto modernizador à mineira: reformas administrativas e a formação de professores (Minas Gerais, 1906-1930). Revista História da Educação, v. 20, n. 49, p. 255-271, 2016. https://doi.org/10.1590/2236-3459/60386

CERTEAU, Michel de. A invenção do cotidiano - artes de fazer. Petrópolis: Vozes, 1994.

CHARTIER, Roger. A história cultural entre práticas e representações. Tradução de Maria Manuela Galhardo. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil; 1990.

CHARTIER, Roger. A história ou a leitura do tempo. Tradução de Cristina Antunes. Belo Horizonte: Autêntica, 2009.

FARIA FILHO, Luciano Mendes de. Dos pardieiros aos palácios: cultura escolar em Belo Horizonte na Primeira República. Passo Fundo: UPF, 2000.

FERNANDES, Ana Lúcia e CORREIA, Luís Grosso. O ensino primário nos espaços-tempos da I República no Brasil (1889-1930) e em Portugal (1910-1926). Revista da Faculdade de Letras – HISTÓRIA - Porto, III Série, vol.11 – 2010, p.181-200. Disponível em: http://hdl.handle.net/10451/5500. Acesso em 23 out 2016.

FERRARO, Alceu Ravanello. Analfabetismo no Brasil: desconceitos e políticas de exclusão. Revista Perspectiva, v. 22, n. 01, p. 110-126, 2004.

FERRARO, Alceu Ravanello. Escolarização no Brasil: articulando as perspectivas de gênero, raça e classe social. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 36, n.2, p. 505-526, 117 maio/ago. 2010. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/v36n2/a06v36n2.pdf. Acesso em: 19 set. 2016. https://doi.org/10.1590/S1517-97022010000200006

FERREIRA, Ana Emília Cordeiro Souto. Organização da instrução pública primária no Brasil: impasses e desafios em São Paulo, no Paraná e no Rio Grande do Norte (1890 1930). Tese. (Doutorado em Educação). Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal de Uberlândia. UFU, 2013. Disponível em: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/13661. Acesso em maio 2017.

GALVÃO, Ana Maria Oliveira. Amansando meninos: uma leitura do cotidiano da escola a partir da obra de José Lins do Rego (1890-1920). João Pessoa/PA: Editora Universitária, 1998.

GALVÃO, Ana Maria de Oliveira; LOPES, Eliane Marta Teixeira. Território plural: a pesquisa em História da Educação. São Paulo: Ática, 2010. 112 p.

GALVÃO, Ana Maria de Oliveira; et al. O lugar dos pertencimentos do escritor-adulto na reconstrução das memórias de infância. Pro-posições, Campinas, 2018. https://doi.org/10.1590/1980-6248-2016-0064

HÉBRARD, Jean. A escolarização dos saberes elementares na época moderna. Teoria & Educação. São Paulo, Pannonica, n. 2, 1990.

JINZENJI, Mônica Yumi; GALVÃO, Ana Maria; SILVA, Simone Alves. Memórias sobre a infância no meio rural: a escola e os outros espaços de sociabilidade (Minas Gerais-Brasil, 1920-1950). Revista Portuguesa de Educação, v. 25, n. 2, p. 09-33, 2012. https://doi.org/10.21814/rpe.3000

LE GOFF, Jacques. História e memória. Tradução Bernardo Leitão [et al.] - Campinas, SP. Editora da UNICAMP, 1990.

LEJEUNE, Philippe. O pacto autobiográfico: de Rousseau à Internet... Belo Horizonte: UFMG, 2014.

LOURO, Guacira Lopes. Mulheres na sala de aula. História das mulheres no Brasil, v. 2, p. 443-481, 1997.

DE MELO, Cleide Maria Maciel. A infância em disputa: escolarização e socialização na reforma de ensino primário em Minas Gerais 1927. (Tese de doutorado). Programa de Pós-graduação em Educação. Universidade Federal de Minas Gerais. Belo Horizonte, 2010. Disponível em: http:www.bibliotecadigital.ufmg.br/dspace. Acesso em 02 maio 2017.

MUSIAL, Gilvanice Barbosa da Silva. A emergência da escola rural em Minas Gerais (1892- 1899): quando a distinção possibilita a exclusão. 258 f. (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2011.

PERPÉTUA, Elzira. Aquém do Quarto de despejo: a palavra de Carolina Maria de Jesus nos manuscritos de seu diário. Estudos de literatura brasileira contemporânea, n. 22, p. 63-83, 2003. Disponível em: http: periodicos.unb.br. index.php. Acesso em: 18 abril 2017.

ROMANELLI, Otaíza de Oliveira. História da Educação no Brasil (1930/1973). Petrópolis: Vozes, 1978.

SCHULER, Alessandra Frota Martinez de; MAGALDI, Ana Maria Bandeira de Mello. Educação escolar na primeira república: memória, história e perspectivas de pesquisa. Tempo, vol. 13, n. 26, Niterói, 2008. Disponível em: http:www.scielo.br/scielo.141377. Acesso em: 28 ago. 2014. https://doi.org/10.1590/S1413-77042009000100003

VEIGA, Cynthia Greive. Escola pública para os negros e os pobres no Brasil: uma invenção imperial. Revista Brasileira de Educação, v.13, n.39, 2008. https://doi.org/10.1590/S1413-24782008000300007

ZOTTI, Solange. Organização do ensino primário no Brasil: uma leitura da história do currículo oficial. In: LOMBARDI, José Claudinei; SAVIANI, Dermeval; NASCIMENTO, Maria Isabel Moura (orgs.). Navegando pela história da educação brasileira. Campinas-SP: Graf FE: HISTEDBR, 2006, p. 2-27. Disponível em: http:www.histedbr.fe.unicamp.br/acer_histedbr/ seminario/seminario7/TRABALHOS. Acesso em 23 out. 2016.