Apresentação

Conteúdo do artigo principal

Terciane Ângela Luchese
https://orcid.org/0000-0002-6608-9728
Alberto Barausse
https://orcid.org/0000-0002-8326-046X

Resumo

A Itália, assim como Alemanha, Polônia e Espanha, para mencionar apenas alguns europeus, se constituíram em países de emigração e o Brasil de imigração, acentuadamente entre meados do século XIX e primeiras décadas do século XX. A presença de movimentos migratórios nos provoca a pensar a transnacionalidade e a necessária suspensão de recortes de pesquisa que se pautem exclusivamente no contexto das fronteiras nacionais. Pensar as relações entre processos de escolarização e produção de livros escolares, permenado pelo olhar dos movimentos migratórios é o intuito principal deste dossiê. Atentamos para as ideias que circularam por meio dos materiais escolares que foram produzidos em épocas distintas e com intuitos diferenciados. Compreendemos que no interior das escolas se encontram e confrontam culturas e, por meio de olhares históricos, é possível compreender a diversidade étnica, bem como a pluralidade de práticas e de itinerários. Tal movimento investigativo também é importante para os interessados em compreenderem a história das instituições escolares. Especial atenção reside nos materiais escolares produzidos pelo governo italiano e distribuídos entre imigrantes no contexto brasileiro.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Detalhes do artigo

Como Citar
Luchese, T. Ângela, & Barausse, A. (2019). Apresentação. Cadernos De História Da Educação, 18(2), 305–308. https://doi.org/10.14393/che-v18n2-2019-2
Seção
Dossiê: Escolarização, livros escolares e movimentos migratórios
Biografia do Autor

Terciane Ângela Luchese, Universidade de Caxias do Sul (Brasil)

https://orcid.org/0000-0002-6608-9728
http://lattes.cnpq.br/7640634913198342
taluches@ucs.br

Alberto Barausse, Università degli Studi del Molise (Italia)

https://orcid.org/0000-0002-8326-046X
barausse@unimol.it