MEMÓRIA E IDEIAS EDUCATIVAS EM MOVIMENTO: O LEGADO DE FRANCISCO LUCRÉCIO E IRONIDES RODRIGUES

Conteúdo do artigo principal

Gilca Ribeiro dos Santos
Armindo Quillici Neto

Resumo

Este artigo é resultado de pesquisa realizada para defesa de dissertação de mestrado no Programa de Pós-graduação em Educação, da Universidade Federal de Uberlândia. A pesquisa analisa as experiências educativas, construídas pela Frente Negra Brasileira (FNB) e pelo Teatro Experimental do Negro (TEN), entre os anos de 1930 a 1960, sob a óptica de seus fundadores, Francisco Lucrécio e Ironides Rodrigues. A partir das contribuições da historiografia e da análise de fontes documentais, entre as quais os registros oficiais, as memórias de ex-militantes, os jornais da grande imprensa e o jornal oficial da Frente Negra Brasileira, "A Voz da Raça" e o "Quilombo", jornal editado pelo Teatro Experimental do Negro, pretende-se refutar a tese da "marginalidade" do negro, que confere a ideia de que este segmento social pouco contribuiu para o campo educacional, pois pouco dele se beneficiou. A conclusão central da pesquisa é que os cursos de alfabetização, objeto de análise desta pesquisa, foram criados a partir do anseio do segmento negro por dar aplicabilidade prática às ideologias acerca do saber escolarizado como instrumento de ingresso e mobilidade social. Outrossim, também surgiu como alternativa às dificuldades de acesso às escolas oficiais e pela necessidade de instituir um projeto educacional com características culturais específicas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Detalhes do artigo

Como Citar
Santos, G. R. dos, & Neto, A. Q. (2015). MEMÓRIA E IDEIAS EDUCATIVAS EM MOVIMENTO: O LEGADO DE FRANCISCO LUCRÉCIO E IRONIDES RODRIGUES. Cadernos De História Da Educação, 14(1). Recuperado de https://seer.ufu.br/index.php/che/article/view/32122
Seção
Artigos