PRÁTICAS ESCOLANOVISTAS NO ENSINO PRIMÁRIO: UMA ANÁLISE A PARTIR DE IMAGENS FOTOGRÁFICAS DO GRUPO ESCOLAR LAURO MÃœLLER (1946-1947)

Conteúdo do artigo principal

Fernanda Ramos Oliveira Prates
Gladys Mary Ghizoni Teive

Resumo

Neste artigo analisamos a prática de cinco Associações Auxiliares no Grupo Escolar Lauro Müller, de Florianópolis, capital de Santa Catarina, no período de 1946 e 1947. Dirigidas por alunos, estas Associações Auxiliares objetivavam contribuir para transformar a escola em uma "sociedade embrionária". Para compreender como o "Lauro Müller" operacionalizou este e outros objetivos de base escolanovista, foram analisadas uma série de nove imagens fotográficas em interconexão com documentos oficiais e relatórios enviados pela direção deste grupo escolar ao Departamento de Educação. Tais análises nos possibilitaram constatar bricolagens de práticas inovadoras e tradicionais, levando-nos a concluir que é no espaço de encontro entre tradição e inovação que as imagens fotográficas nos oferecem um maior leque de possibilidades na área da história da educação, especificamente, no campo da cultura escolar.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Detalhes do artigo

Como Citar
Prates, F. R. O., & Teive, G. M. G. (2015). PRÁTICAS ESCOLANOVISTAS NO ENSINO PRIMÁRIO: UMA ANÁLISE A PARTIR DE IMAGENS FOTOGRÁFICAS DO GRUPO ESCOLAR LAURO MÃœLLER (1946-1947). Cadernos De História Da Educação, 14(1). Recuperado de https://seer.ufu.br/index.php/che/article/view/32121
Seção
Artigos