"A RESPEITO DA DÍVIDA DOS PROFESSORES PARA COM A SOCIEDADE (MASCULINA E FEMININA)": EXPECTATIVAS E DEMANDAS DO ESTADO GREGO RELATIVAS AO PAPEL DO PROFESSOR NO SÉCULO XIX

Conteúdo do artigo principal

Efstratios Vacharoglou

Resumo

O trabalho do professor no século XIX envolveu o Estado grego e as autoridades locais (comunidades) que tinham responsabilidade pelo funcionamento das escolas. As expectativas e as exigências dos acionistas e do Estado estão registradas como fontes primárias. A legislação e cartas circulares dos ministros da educação incluem provisões nas referências diretas e indiretas relativas ao papel do professor e identidade educacional, obrigações sociais e didáticas em detalhes, até mesmo o regulamento de condutas. Por um lado, o surgimento da Lei de Educação Compulsória de 1834 na Grécia; por outro lado, a ideologia dominante de diversificação da escola para moços e moças, criou a necessidade de professores para ambos os sexos e por consequência a preparação de ambos para a profissão docente. Nesse trabalho, estudamos coleções de documentos de legislação educacional, publicadas no Governo Gazette (Gazette) número11, 11/03/1834, intituladas "On Elementary School" e cartas circulares que chegaram a 1895, tratando da educação primária no Estado grego.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Detalhes do artigo

Como Citar
Vacharoglou, E. (2015). "A RESPEITO DA DÍVIDA DOS PROFESSORES PARA COM A SOCIEDADE (MASCULINA E FEMININA)": EXPECTATIVAS E DEMANDAS DO ESTADO GREGO RELATIVAS AO PAPEL DO PROFESSOR NO SÉCULO XIX. Cadernos De História Da Educação, 13(2). Recuperado de https://seer.ufu.br/index.php/che/article/view/29209
Seção
Artigos