O governo da língua portuguesa na modernidade recente

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/HTP-v4n1-2022-64538

Palavras-chave:

Governo da língua, Bilinguajamento, Estudos discursivos foucaultianos, Globalização linguística

Resumo

Trata-se de um estudo que analisa a perspectiva de governo da língua na modernidade recente, visando ampliar o debate sobre as relações de ensino-aprendizagem de língua portuguesa em um contexto de globalização linguística. Para tanto, consideramos o arcabouço teórico-metodológico de Michel Foucault no quadro dos estudos discursivos (2010a; 2010b; 2010c; 2016a) e a operacionalização conceitual que vem sendo desenvolvida sobre gerenciamento linguístico na Amazônia (LAVAREDA, 2021a; 2021b). Assim, na busca de sistematizar o artigo, os procedimentos técnicos do estudo têm abordagem documental, tendo como instrumento para a produção dos arquivos da pesquisa as filigranas discursivas deixadas por alguns enunciados transversais. Almeja-se, com este texto, potencializar uma visão mais ampla sobre o conceito de língua na contemporaneidade e, em um mesmo gesto, oportunizar em que medida a arqueogenealogia pode ser compreendida como um trabalho dedicado à linguagem nessa articulação fundamental com o ensino de línguas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Welton Diego Carmim Lavareda, Universidade Federal do Pará - UFPA

Doutor em Letras (Área de concentração: Estudos Linguísticos) pela Universidade Federal do Pará (UFPA). Professor Adjunto do Instituto de Letras e Comunicação (ILC-UFPA), atuando na área de ensino-aprendizagem de línguas e formação de professores.

Referências

BAGNO, Marcos. O que é uma língua? Imaginário, ciência e hipóstase. In: LAGARES, X.; BAGNO, M. (Orgs.). Políticas da norma e conflitos linguísticos. São Paulo: Parábola Editorial, 2011, p. 355-387.

BOURREAU, Alain. Propositions pour une histoire restreinte des mentalités. Annales ESC, n. 6, p. 1491-1504, nov.-dez. 1989. Disponível em : <https://www.persee.fr/doc/ahess_0395-2649_1989_num_44_6_283666>. Acesso em : 6 out. 2021. DOI : https://doi.org/10.3406/ahess.1989.283666

CANCLINI, García Néstor. Consumidores e cidadãos: conflitos multiculturais da globalização. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 2010.

CARNEIRO, Alan. Conflitos em torno da (des)construção da(s) língua(s): a situação da língua portuguesa no contexto multilíngue de Timor-Leste. In: MOITA LOPES, L. P. (Org.). O português no século XXI – cenário geopolítico e sociolinguístico. São Paulo: Parábola editorial, 2013, p. 192-218.

CASTRO, Edgardo. Vocabulário de Foucault – um percurso pelos seus temas, conceitos e autores. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2016.

ERAZO, Angela; DEGACHE, Christian; SILVA, Regina Célia da. Contato linguístico e comunicação plurilíngue como meio de inserção acadêmica de estudantes estrangeiros. In: GOROVITZ, S.; GOMES, D. (Orgs.). Fronteiras linguísticas em contextos migratórios. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 2019, p. 11-41. DOI: https://doi.org/10.7476/9788523013448.0002

FOUCAULT, Michel. Linguagem e literatura, texto das duas conferências pronunciadas nas Facultés Universitaires Saint-Louis, de Bruxelas, nos dias 18 e 19 de março de 1964, 1964.

FOUCAULT, Michel. A arqueologia do saber. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2010a.

FOUCAULT, Michel. A hermenêutica do sujeito – curso dado no Collège de France (1981-1982). São Paulo: Editora Wmf Martins fontes, 2010b.

FOUCAULT, Michel. A ordem do discurso. São Paulo: Edições Loyola, 2010c.

FOUCAULT, Michel. Em defesa da sociedade – curso dado no Collège de France (1975-1976). São Paulo: Editora Wmf Martins Fontes, 2010d.

FOUCAULT, Michel. A função política do intelectual. In: MOTTA, M. B. (Org.). Ditos e escritos VII. Arte, epistemologia, filosofia e história da medicina. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2011, p. 264-287.

FOUCAULT, Michel. Microfísica do poder. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2016a.

FOUCAULT, Michel. As palavras e as coisas – uma arqueologia das ciências humanas. São Paulo: Editora Martins Fontes, 2016b.

GOROVITZ, Sabine; GOMES, Dioney (Orgs.). Fronteiras linguísticas em contextos migratórios. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 2019. DOI: https://doi.org/10.7476/9788523013448

GREGOLIN, Maria do Rosário. Bakhtin, Foucault, Pêcheux. In: BRAIT, B. (Org.). Bakhtin: outros conceitos-chave. São Paulo: Contexto, 2012, p. 33-52.

HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. Rio de Janeiro: DP&A, 2006.

LAGARES, Xóan Carlos. Qual política linguística? São Paulo: Parábola Editorial, 2018.

LAVAREDA, Welton. O governo da língua na Cabanagem: (des)encontros coloniais na Amazônia. 2021. Tese (Doutorado em Letras/Estudos Linguísticos), Instituto de Letras e Comunicação, Universidade Federal do Pará, Belém, 2021a.

LAVAREDA, Welton. O “purismo linguístico” como um indicador de exclusão social na Amazônia cabana. Revista Cocar (Online), v. 15, n. 33, p. 1-18, 2021b. Disponível em: <https://periodicos.uepa.br/index.php/cocar/article/view/4477>. Acesso em: 7 jan. 2022.

MACHADO, Roberto. Foucault, a ciência e o saber. Rio de Janeiro: Zahar, 2007.

MARTÍN-BARBERO, Jesús. Dos meios às mediações – comunicação, cultura e hegemonia. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 2009.

MIGNOLO, Walter. Histórias locais/projetos globais – colonialidade, saberes subalternos e pensamento limiar. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2020.

MOITA LOPES, Luiz Paulo da (Org.). Linguística Aplicada na modernidade recente. São Paulo: Parábola Editorial, 2013.

NAVARRO. Pedro. Estudos discursivos foucaultianos: questões de método para análise de discursos. Revista Moara – estudos linguísticos, v. 1, n. 57, p. 8-33, ago-dez. 2020. Disponível em: <https://www.periodicos.ufpa.br/index.php/moara/article/view/9682>. Acesso em: 13 dez. 2021. DOI: http://dx.doi.org/10.18542/moara.v1i57.9682

NEVES-CORRÊA, Maurício. Heterotopias no país do milagre: os corpos indígenas e as histórias filmadas. 2018. 170f. Tese (Doutorado em Linguística e Língua Portuguesa), Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, Faculdade de Ciências e Letras de Araraquara, Araraquara, 2018.

OLIVEIRA, Gilvan. Um atlântico ampliado: o português nas políticas linguísticas do século XXI. In: MOITA LOPES, L. P. (Org.). O português no século XXI – cenário geopolítico e sociolinguístico. São Paulo: Parábola editorial, 2013, p. 53-73.

PEREIRA, Lucas de Almeida. Da Filosofia à História. Jundiaí: Paco Editorial, 2016.

PRADO. Tomás. Foucault e a linguagem do espaço. São Paulo: Perspectiva. Rio de Janeiro: PUC, 2018.

SAUSSURE, Ferdinand de. Curso de Linguística geral. São Paulo: Cultrix, 2006.

SEVERO, Cristine; SITOE, Bento; PEDRO, José. Estão as línguas nacionais em perigo? Lisboa: Escolar Editora, 2014.

SEVERO, Cristine; MAKONI, Sinfree. Políticas linguísticas Brasil-África: por uma perspectiva crítica. Coleção Linguística, vol. 5. Florianópolis: Insular, 2015.

Downloads

Publicado

2022-06-30

Como Citar

CARMIM LAVAREDA, W. D. O governo da língua portuguesa na modernidade recente. Revista Heterotópica, [S. l.], v. 4, n. 1, p. 44–63, 2022. DOI: 10.14393/HTP-v4n1-2022-64538. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/RevistaHeterotopica/article/view/64538. Acesso em: 19 ago. 2022.