“Da ‘A Arqueologia do Saber’ à Genealogia da Ética” ou Quando o futuro repete o passado

o cuidado de si e as políticas públicas de saúde na atualidade

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/HTP-v1n2-2019-52109

Palavras-chave:

Análise do Discurso, Michel Foucault, Arquegenealogia, Cuidado de Si, Prática de Liberdade

Resumo

Este artigo tem por objetivo discutir acerca das práticas do cuidado de si por meio da análise de campanhas veiculadas pelo Ministério da Saúde no tocante às infecções sexualmente transmissíveis em uma perspectiva arquegenealógica no escopo dos estudos discursivos de orientação foucaultiana. Dito isso, pretende-se analisar como há o delineamento do exercício de práticas de governamentalidade do corpo da população pelo funcionamento da biopolítica e do biopoder e como, frente a essas estratégias de poder, ocorre o cuidado de si em um movimento de práticas de liberdade em relação a práticas conservadoras exercidas por tais campanhas, as quais normatizam e normalizam os corpos e as condutas dos sujeitos no que tange à sexualidade. Os resultados deste estudo indicam que a educação sexual funciona como um modo de cuidado de si para que os sujeitos possam se constituir como bons governantes de suas condutas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Bruno Franceschini, Universidade Federal de Goiás, Regional Catalão – UFG

Professor Adjunto da Unidade Acadêmica Especial de Letras e Linguística e do Programa de Pós-Graduação em Estudos da Linguagem da Universidade Federal de Goiás – Regional Catalão.

Referências

FOUCAULT, Michel. A ética do cuidado de si como prática da liberdade. In: Ditos & Escritos V - Ética, Sexualidade, Política. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2004.

FOUCAULT, Michel. A ordem do discurso. Tradução Laura Fraga de Almeida Sampaio. 18 ed. São Paulo: Edições Loyola, 2008.

FOUCAULT, Michel. A arqueologia do saber. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2009.

FOUCAULT, Michel. As Relações de Poder Passam para o Interior dos Corpos. In: Ditos & Escritos IX. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2014.

FOUCAULT, Michel. Sobre a Genealogia da Ética: um Resumo do Trabalho em Curso. Ditos & Escritos IX. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2014.

FOUCAULT, Michel. Em defesa da Sociedade – curso no Collège de France (1975-1976). São Paulo: Martins Fontes, 2016.

FOUCAULT, Michel. História da sexualidade: o uso dos prazeres. São Paulo: Paz e Terra, 2017.

FOUCAULT, Michel. As relações de poder perpassam para o interior dos corpos. Ditos & Escritos IX. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2017.

GUILHAUMOU, Jacques; MALDIDIER, Denise. Efeitos do arquivo: a análise do discurso no lado da história. In: Eni Puccinelli Orlandi. (Org.). Gestos de leitura: da história no discurso. Tradução Bethania S. C. Mariani et. al., 2 ed. Campinas: Editora da Unicamp, 1997.

SANCHES, Hoster Older. Dispositivo de sexualidade, sujeito e o acontecimento discursivo da AIDS no Brasil. 2014. 114f. Dissertação (Mestrado em Letras) - Programa de Pós-Graduação em Letras, Universidade Estadual de Maringá, Maringá, 2014.

RIBAS, Thiago Fortes. Práticas de liberdade em Foucault. Dois Pontos (UFPR) Digital, v. 14, p. 181-197, 2017. DOI: https://doi.org/10.5380/dp.v14i1.49491

Downloads

Publicado

2019-12-18

Como Citar

FRANCESCHINI, B. “Da ‘A Arqueologia do Saber’ à Genealogia da Ética” ou Quando o futuro repete o passado: o cuidado de si e as políticas públicas de saúde na atualidade. Revista Heterotópica, [S. l.], v. 1, n. 2, p. 79–93, 2019. DOI: 10.14393/HTP-v1n2-2019-52109. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/RevistaHeterotopica/article/view/52109. Acesso em: 15 jul. 2024.