Quando o professor é o estudante a formação continuada como atividade de estudo

Conteúdo do artigo principal

Maria Lucia Panossian
https://orcid.org/0000-0001-5847-4485
Claudia Maria Witt
https://orcid.org/0000-0003-4132-5912
Gabriel José Cavassin Fabri
https://orcid.org/0000-0002-6207-3526
Natalia Mota Oliveira
https://orcid.org/0000-0001-6821-4273

Resumo

Este artigo, de natureza teórica, tem como objetivo reconhecer manifestações da atividade de estudo de uma professora em processo de formação continuada na Oficina Pedagógica de Matemática. Um dos enfoques do processo de aprendizagem na psicologia soviética é a concepção de atividade de estudo, investigadas por Elkonin, Davidov e Repkin, que tem como componente essencial a tarefa de estudo e como conteúdo principal a apropriação de modos generalizados de ação, recorrendo a conceitos científicos e promovendo alterações qualitativas no desenvolvimento psíquico. A tarefa de estudo se constitui na unidade entre objetivo da ação e as condições para a sua realização e se apresenta como unidade de análise da atividade de estudo que orienta para a formação do pensamento teórico. Nesta perspectiva, considera-se a importância de ampliar a compreensão sobre a atividade de estudo não só para as crianças, mas também em relação ao professor em formação continuada. O movimento de estudo do professor é influenciado por ações e necessidades derivadas da atividade docente que ele exerce enquanto profissional. Neste sentido, realizou-se o acompanhamento de uma professora durante as ações da Oficina Pedagógica de Matemática (no primeiro semestre de 2020), projeto de extensão universitária que promove a formação continuada de professores. A partir deste estudo, foi possível reconhecer as manifestações de sua atividade de estudo no movimento de apropriação dos conceitos científicos revelados pelas ações e motivos desencadeados pelas tarefas do projeto.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Detalhes do artigo

Como Citar
Panossian, M. L., Witt, C. M. ., Fabri, G. J. C. ., & Oliveira , N. M. . (2021). Quando o professor é o estudante: a formação continuada como atividade de estudo. Obutchénie. Revista De Didática E Psicologia Pedagógica, 5(2), 407–429. https://doi.org/10.14393/OBv5n2.a2021-61408
Seção
DOSSIÊ - SISTEMA DIDÁTICO ELKONIN-DAVIDOV-REPKIN

Referências

AMIN, V. A. A. PANOSSIAN, M. L. SANTOS, D. de S. S. dos. MOCROSKY, L. F. O Processo de Elaboração de uma Situação Desencadeadora de Aprendizagem na Oficina Pedagógica de Matemática. In: I Encontro Nacional Online de Professores Que Ensinam Matemática. 2020. Disponível em: http://matematicanaescola.com/eventos/index.php/ienopem/ienopem/paper/viewFile/95/69.

DAVIDOV, V.; MARKOVA, A. A concepção de atividade de estudo dos alunos. In: PUENTES, R.V.; MELLO, S. A. Teoria da Atividade de Estudo: contribuições de pesquisadores brasileiros e estrangeiros, Livro II. Uberlândia: EDUFU, 2019, p.191-212.

DAVIDOV. Os Princípios do ensino na escola do futuro. In: PUENTES, R.V.; MELLO, S. A. Teoria da Atividade de Estudo: contribuições de pesquisadores brasileiros e estrangeiros, Livro II. Uberlândia: EDUFU, 2019, p.183-190.

ELKONIN, D.B. Atividade de estudo: importância na vida do estudante. In: PUENTES, R.V.; CARDOSO, C.G.C.; AMORIM, P.A.P. (org). Teoria da Atividade de Estudo: contribuições de D.B.Elkonin, V.V. Davidov e V.V.Repkin.Curitiba, PR: CRV, 2019b. Co-edição: Uberlândia, MG: EDUFU, 2019b. Cap. 5.

ELKONIN, D.B. Atividade de estudo: sua estrutura e formação. In: PUENTES, R.V.; CARDOSO, C.G.C.; AMORIM, P.A.P. (org). Teoria da Atividade de Estudo: contribuições de D.B.Elkonin, V.V. Davidov e V.V.Repkin.Curitiba, PR: CRV, 2019d. Co-edição: Uberlândia, MG: EDUFU, 2019d. Cap. 7.

ELKONIN, D.B. Estrutura da Atividade de Estudo. In: PUENTES, R.V.; CARDOSO, C.G.C.; AMORIM, P.A.P. (org). Teoria da Atividade de Estudo: contribuições de D.B.Elkonin, V.V. Davidov e V.V.Repkin.Curitiba, PR: CRV, 2019c. Co-edição: Uberlândia, MG: EDUFU, 2019c. Cap. 6.

ELKONIN, D.B. Questões psicológicas relativas à formação da atividade de estudo. In: PUENTES, R. V.; CARDOSO, C. G. C.; AMORIM, P.A.P. (org). Teoria da Atividade de Estudo: contribuições de D. B. Elkonin, V.V. Davidov e V. V. Repkin. Curitiba, PR: CRV, 2019a. Co-edição: Uberlândia, MG: EDUFU, 2019a. Cap. 4.

LEONTIEV, A. N. Uma contribuição à teoria do desenvolvimento da psique infantil. In: VIGOTSKI, L. S.; LURIA, A. R.; LEONTIEV, A. N. Linguagem, desenvolvimento e aprendizagem. 6. ed. São Paulo: EDUSP, 1998. p. 59-83.

LIBÂNEO, José Carlos. A aprendizagem escolar e a formação de professores na perspectiva da psicologia histórico-cultural e da teoria da atividade. Educar, Curitiba, n. 24, p. 113-147. Editora UFPR, 2004.

MORAES, S. P. G. de; LAZARETTI, L. M., & LACANALLO ARRAIS, L. F. Formar formando: o movimento de aprendizagem docente na Oficina Pedagógica de Matemática. Obutchénie: Revista de Didática e Psicologia Pedagógica, v. 2, n. 3, p. 643-668, 2019. DOI: https://doi.org/10.14393/OBv2n3.a2018-47439.

MORAES, S. P. G.; ARRAIS, L. F. L.; GOMES, T. S.; GRACILIANO, E. C. VIGNOTO, J. Pressupostos teórico-metodológicos para formação docente na perspectiva da teoria histórico-cultural. Revista Eletrônica de Educação, v. 6, n. 2, nov. 2012. Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal de São Carlos, Brasil.

MOURA, M. O. ARAÚJO, E. S. SERRÃO, M. B. Atividade Orientadora de Ensino: fundamentos. Linhas Críticas, v. 24, 2018. DOI: https://doi.org/10.26512/lc.v24i0.19817.

MOURA, M. O. de; et al. ATIVIDADE ORIENTADORA DE ENSINO: unidade entre ensino e aprendizagem. Revista Diálogo Educacional, Curitiba, v. 10, n. 29, p.205-229, abr. 2010. DOI: http://dx.doi.org/10.7213/rde.v10i29.3094.

MOURA, M. O. de. A Atividade de Ensino como Unidade Formadora. Bolema: Boletim de Educação Matemática, v. 11, n. 12, p. 1-14, 1996. Disponível em: .

MOURA, M. O. et al. A Atividade Pedagógica na Teoria Histórico-Cultural. Autores Associados: Campinas, SP. 2. Ed. 2016.

MOURA, M. O. LANNER DE MOURA, A. R. Matemática na educação Infantil: conhecer, (re)criar -um modo de lidar com as dimensões do mundo. Escola: um espaço cultural. São Paulo: Diadema/Secel, 1998.

PANOSSIAN, M. L.; SILVA, A. L. DA; PALLU, F.; OLIVEIRA, L. S. DE. A oficina pedagógica de matemática como atividade. Obutchénie. Revista de Didática e Psicologia Pedagógica, v. 1, n. 4, p. 14-39, 23 maio 2018. DOI: https://doi.org/10.14393/OBv2n1a2018-2.

PUENTES, R. V. Didática desenvolvimental da atividade: o sistema Elkonin-Davidov (1958-2015). Obutchénie. Revista de Didática e Psicologia Pedagógica, v. 1, n. 1, p. 20-58, 10 abr. 2017. DOI: https://doi.org/10.14393/OBv1n1a2017-2.

PUENTES, R. V., LONGAREZI, A. M. Sistemas didáticos desenvolvimentais. Obutchénie. Revista De Didática E Psicologia Pedagógica, v. 4, n. 1, p. 201-242. 2020. DOI: https://doi.org/10.14393/OBv4n1.a2020-57369.

REPKIN, V. V. Ensino desenvolvente e atividade de estudo. In: PUENTES, R. V.; MELLO, S. A. Teoria da Atividade de Estudo: contribuições de pesquisadores brasileiros e estrangeiros, Livro II. Uberlândia: EDUFU, 2019. p.213-240.

SANTOS, L. X. M. de. ANDRADE, M. M. TOCHA, N. N. Situação da vovó: uma proposta para ensinar estatística nos anos iniciais do ensino fundamental. In: I Encontro Nacional Online de Professores Que Ensinam Matemática. 2020. Disponível em:
.

SILVA, R. A. OLIVEIRA, N. M. MANCINI, P. H. M. PANOSSIAN, M. L. O Movimento de Formação Docente nas Reformulações de uma Situação Desencadeadora de Aprendizagem. In: I Encontro Nacional Online de Professores Que Ensinam Matemática. 2020. Disponível em: .

VIGOTSKI, L. S. A construção do pensamento e da linguagem. São Paulo: Editora Martins Fontes, 2001.