Apresentação

Conteúdo do artigo principal

Gisele Toassa
https://orcid.org/0000-0003-3166-7935

Resumo

Desde a publicação dos livros A formação social da mente (1984) e Pensamento e linguagem (1987), a temática deste Dossiê firma-se como uma das mais características da psicologia baseada na obra de Lev Semionovich Vigotski (1896-1934) em nosso país. Mas as configurações da assim chamada teoria histórico-cultural de Vigotski modificaram-se bastante desde as primeiras edições do autor publicadas na Europa e Estados Unidos, mudando com respeito ao viés intelectualista-cognitivista de Jerome Bruner e Michael Cole, principais responsáveis pelo impulso inicial às obras de Vigotski e seu Círculo de pesquisadores no Ocidente. A interpretação cognitivista de Vigotski vem sendo cada vez mais questionada no Brasil e no exterior, por diferentes intérpretes, como Nikolai Veresov, Anton Yasnitsky, Ekatierina Zavershneva, Bader Burihan Sawaya, Fernando González-Rey entre outros. Conceitos como drama/eventos dramáticos, imaginação, afetos e vivências são peças-chave dessa mudança epistemológica, cujas consequências para a pesquisa e intervenção histórico-cultural podem ser constatadas no presente Dossiê.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Detalhes do artigo

Como Citar
Toassa, G. (2019). Apresentação. Obutchénie. Revista De Didática E Psicologia Pedagógica, 3(2), 8–11. https://doi.org/10.14393/OBv3n2.a2019-51557
Seção
Dossiê: Aprendizagem e Desenvolvimento na Teoria Histórico-Cultural