Teoria da Subjetividade e Educação Social o valor heurístico da Teoria da Subjetividade para a formação de educadoras(es) sociais

Conteúdo do artigo principal

Juliana dos Santos Rocha
https://orcid.org/0000-0001-6923-2107
Virgínia Dornelles Baum
https://orcid.org/0000-0003-4770-8447
Marlene Rozek
https://orcid.org/0000-0001-8740-6166

Resumo

Este texto refere-se à reflexão teórica sobre o valor heurístico da Teoria da Subjetividade, desenvolvida por González Rey, a partir da perspectiva da Psicologia Cultural-histórica, para a formação de educadoras(es) sociais. Esta é, pois, uma ocupação que ainda está em processo de profissionalização no Brasil e sobre a qual as pesquisas têm se ampliado paulatinamente. Contudo, trata-se de um fazer pedagógico consideravelmente distinto do educativo escolar e sobre o qual ainda é necessário percorrer um caminho bastante longo no que se refere a geração de inteligibilidade. Deste modo, o referencial teórico refere-se fundamentalmente à Teoria da Subjetividade, de González Rey e colaboradores. Dita teoria permite uma reflexão importante sobre a criação de espaços dialógicos para a formação em serviço desses profissionais, os quais possibilitam o engajamento de educadoras(es) com vistas a encontrar soluções criativas para enfrentar as adversidades encontradas no cotidiano de trabalho e para descobrir caminhos subjetivos alternativos, promovendo o desenvolvimento subjetivo dos envolvidos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Detalhes do artigo

Como Citar
Rocha, J. dos S., Baum, V. D., & Rozek, M. (2019). Teoria da Subjetividade e Educação Social: o valor heurístico da Teoria da Subjetividade para a formação de educadoras(es) sociais . Obutchénie. Revista De Didática E Psicologia Pedagógica, 3(1), 158–179. https://doi.org/10.14393/OBv3n1.a2019-50595
Seção
Dossiê Desdobramentos da Teoria da Subjetividade no campo da educação

Referências

AVOGLIA, H.R.C.; SILVA, A.M.; MATTOS, P.M. Educador social: imagem e relações com crianças em situação de Acolhimento Institucional. Revista mal estar e subjetividade, Fortaleza, vol 12, n 1-2, p 265-292, mar/jun 2012.

BARRIOS DÍAZ, D.A. Docência na educação infantil: a constituição subjetiva de professores. 2017. 148 f. Dissertação (Mestrado em Educação) — Programa de Pós-graduação em Educação, Universidade de Brasília, Brasília, 2017.

BRASIL, Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Resolução nº 109, de 11 de novembro de 2009. Dispõe sobre a Tipificação do Serviços Socioassistenciais. Brasília, DF: Conselho Nacional de Assistência Social, 2009.

BRAVIN, R. A prática do educador social de rua com crianças e adolescentes em situação de rua. Pró-Discente: Caderno de Prod. Acad.-Cient. Prog. Pós-Grad. Educ., Vitória-ES, v. 20, n. 2, jul./dez. 2014.

CARIDE, J. A. Las fronteras de la Pedagogia Social: perspectivas científica e histórica. Barcelona: Editorial Gedisa, 2005.

COSTA, R.P.; ALAPANIAN, S. O trabalho do educador social na socioeducação. In. VI JORNADA INTERNACIONAL DE POLÍTICAS PÚBLICAS: O DESENVOLVIMENTO DA CRISE CAPITALISTA E A ATUALIZAÇÃO DAS LUTAS CONTRA A EXPLORAÇÃO, A DOMINAÇÃO E A HUMILHAÇÃO, 1, 2013. Cidade Universitária da UFMA. Anais. São Luiz do Maranhão: UFMA, 2013.

DIAS, S.P. Educadores e Educadoras Sociais de Porto Alegre em busca de reconhecimento. 2018. 162 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Sociais) – Programa de Pós-graduação em Ciências Sociais, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2018.

DEL POZO SERRANO, F.J. Pedagogía Social en Colombia: entre la experiência de la educación pupolar y el reto de la investigación-acción en la profesionalización socioeducativa de un país en posconclicto. Ensino & Pesquisa, v. 15, nº 2, p. 97-116, jul. 2017.

http://periodicos.unespar.edu.br/index.php/ensinoepesquisa/article/view/1644/pdf5

GALLERT, A.Z. A constituição subjetiva do professor enquanto sujeito da sua ação. 2016. 211 f. Tese (Doutorado em Educação) – Programa de Pós-graduação em Educação, Universidade de Brasília, Brasília, 2016.

GONZÁLEZ REY, F. Advances in subjectivity from a cultural-historical perspective: Unfoldings and consequences for cultural studies today. In: FLEER, Marilyn; GONZÁLEZ REY, Fernando; VERESOV, Nikolai (Eds.). Perezhivanie, Emotions and Subjectivity: Advancing Vygotsky´s Legacy. Singapore: Springer, 2017. p. 230-267.

GONZÁLEZ REY, F. Sujeito e subjetividade: uma aproximação histórico-cultural. São Paulo: Thomson Learning, 2003.

GONZÁLEZ REY, F.; MITJÁNZ MARTÍNEZ, A. Subjetividade: teoria, epistemologia e método. Campinas: Alínea, 2017.

INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANISIO TEIXEIRA (INEP). Enciclopédia de pedagogia universitária. Glossário. Brasília: INEP, 2006. v. 2.

MITJÁNS MARTÍNEZ, A. A teoria da subjetividade de González Rey: uma expressão do paradigma da complexidade na psicologia. In: GONZÁLEZ REY, Fernando (Org.). Subjetividade, complexidade e pesquisa em psicologia. São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2005. p. 1-25.

MORALES, M. El educador social: entre la profesión y la contingencia. In: CAMORS, J. et al. Pedagogia social e educação social: reflexões sobre as práticas educativas no Brasil e Uruguai. Montevidéu: Mastergraf SRL, 2016. p. 55-70.

OLIVEIRA, L.S. Constituição subjetiva de professores: caminhos alternativos para a formação continuada. Curitiba: CRV, 2016.

OLIVEIRA, L.S.; TACCA, M.C.V.R. Subjetividade, docência e ação formativa: o valor heurístico de uma nova base teórica. In. TACCA, M.C.V.R. (org). Ação formativa docente e práticas pedagógicas na escola. Campinas: Alínea, 2016.

PÉREZ SERRANO, G. Pedagogía Social – Educación Social: construcción científica e intervención práctica. Bogotá: Ediciones de la U, 2015.

PETRUS, A. (Coord.). Pedagogía Social. Barcelona: Editorial Ariel, 1997.

RIBAS MACHADO, E. R. O desenvolvimento da pedagogia social sob a perspectiva comparada: o estágio atual no Brasil e Espanha. 2014. 304 f. Tese (Doutorado em Educação) – Programa de Pós-graduação em Educação, Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, São Paulo, 2014.

ROCHA, J. S. O aprender como produção humana: os sentidos subjetivos produzidos acerca da aprendizagem por adolescentes em situação de vulnerabilidade social. 2016. 217 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Programa de Pós-graduação em Educação, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2016.

ROCHA, J.S.; BAUM, V.D.; ROZEK, M. O fazer e a formação do educador social: articulando as percepções e as necessidades do profissional. In: INTERNATIONAL CONFERENCE OF RESEARCH IN EDUCATION, 1, (18-19). Porto. Anais... Porto: Escola Superior de Educação - Politécnico do Porto, Portugal, 2017.

ROCHA, J.S.; LEMOS, M.S.; ALVES, T.P. Aprendizagem: como educadora e educador social, o que é fundamental saber sobre o tema? In. MONTEIRO, S.A.S. Filosofia, política, educação, direito e sociedade. V. 6. Ponta Grossa/PR: Editora Atena, 2019. p. 295-306.

ROMANS, M.; PETRUS, A.; TRILLA, J. Profissão Educador Social. Porto Alegre: Artmed, 2003.

SILVA, S.C. Trajetórias de formação e práticas de educadores sociais nos Centros Pop da grande Vitória/ES. 2018. 175 f. Dissertação (Mestrado em Educação Física) – Programa de Pós-graduação em Educação Física, Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, 2018.

SOUZA, T.Y. Processo de desenvolvimento de educadores sociais do sistema de medidas socioeducativas: indicadores de formação. 2012. 222 f. Tese (Doutorado em Processos de Desenvolvimento Humano e Saúde) – Programa de Pós-graduação em Processos de Desenvolvimento Humano e Saúde, Universidade de Brasília, Brasília, 2012.

UCAR, X. Pedagogía de la elección. Barcelona: UOC, 2016.

VANGRELINO, A.C.S. Processo de Formação de Educadores Sociais na Área da Infância e Juventude. 2004. 156 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Programa de Pós-graduação em Educação, Universidade Federal de São Carlos, São Carolos, 2004.