TRATAMENTO DE Rhabdias labiata COM LEVAMISOL E IVERMECTINA EM JIBÓIAS (Boa constrictor amarali)

Autores

  • Marcela Miranda Luppi Fundação Zoo-Botânica de Belo Horizonte
  • Maria Elvira Loyola Teixeira da Costa Fundação Zoo-Botânica de Belo Horizonte
  • Marcelo de Campos Cordeiro Malta Fundação de Tecnologia e Educação - Lins.SP
  • Herlandes Penha Tinoco Autônomo
  • Rafael Otávio Cançado Motta Fundação Zoo-Botânica de Belo Horizonte

Palavras-chave:

Rhabdias, nematódeo pulmonar, jibóia

Resumo

Os nematódeos pulmonares, Rhabdias labiata podem ser encontrados em espécimes de répteis escamados. Sinais clínicos normalmente não são observados em decorrência dessa parasitose. O objetivo do presente trabalho foi comparar a eficácia de duas diferentes drogas no controle de Rhabdias em oito espécimes de Boa constrictor amarali, naturalmente infectados. Os animais foram divididos em dois grupos, cada qual tratado com um dos seguintes protocolos, ivermectina 0,2mg/kg e levamisol 10mg/kg, ambos por via subcutânea. O diagnóstico desta parasitose baseou-se em lavados pulmonares. Amostras de sangue foram coletadas, para auxílio da avaliação clínica. Pode-se observar presença de hemogregarinas e apenas dois dos animais apresentaram leucopenia. Quanto ao controle do Rhabdias labiata em serpentes Boa constrictor amarali, ambas as medicações mostraramse eficazes

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2008-03-05

Como Citar

Miranda Luppi, M., Loyola Teixeira da Costa, M. E., de Campos Cordeiro Malta, M., Penha Tinoco, H., & Otávio Cançado Motta, R. (2008). TRATAMENTO DE Rhabdias labiata COM LEVAMISOL E IVERMECTINA EM JIBÓIAS (Boa constrictor amarali). Veterinária Notícias, 13(1). Recuperado de https://seer.ufu.br/index.php/vetnot/article/view/18835

Edição

Seção

Artigos