Abertura Financeira e Endividamento Externo dos Países Periféricos: uma Análise do Caso Brasileiro

Autores

  • Glenda Nunes Gomes Universidade Estadual de Montes Claros
  • Diogo Daniel Bandeira de Albuquerque Universidade Estadual de Montes Claros
  • Luiz Paulo Fontes de Rezende Universidade Estadual de Montes Claros / Universidade Federal de Minas Gerais

DOI:

https://doi.org/10.14393/REE-v35n1a2020-44159

Resumo

Este trabalho tem como objetivo verificar a existência de associação entre a abertura financeira da economia brasileira e o endividamento externo do país. A metodologia utiliza um modelo VAR para medir as interações entre as seguintes variáveis: dívida externa bruta, índice de abertura financeira, índice de globalização econômica, saldo da conta financeira, taxa de câmbio e taxa de juros no período de 1990 a 2015. Os resultados indicam uma significativa interação entre as variáveis: dívida externa bruta e abertura financeira. A dívida responde positivamente aos choques em todas as variáveis, demonstrando que o grau de vulnerabilidade externa do Brasil aumentou frente às crises econômicas após a abertura financeira.   

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2020-07-29

Como Citar

GOMES, G. N.; DE ALBUQUERQUE, D. D. B.; DE REZENDE, L. P. F. Abertura Financeira e Endividamento Externo dos Países Periféricos: uma Análise do Caso Brasileiro. Revista Economia Ensaios, Uberlândia, Minas Gerais, Brasil, v. 35, n. 1, 2020. DOI: 10.14393/REE-v35n1a2020-44159. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/revistaeconomiaensaios/article/view/44159. Acesso em: 1 dez. 2022.

Edição

Seção

Artigos