Para entender a questão fiscal brasileira pós-Plano Real: uma abordagem de Economia Política Institucionalista

Autores

  • Henrique de Abreu Grazziotin Universidade Federal do Rio Grande do Sul
  • Ronaldo Herrlein Jr. Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Resumo

O presente trabalho tem como objetivo analisar a política fiscal brasileira posterior ao Plano Real a partir de uma abordagem de Economia Política Institucionalista, ou seja, com enfoque primordial nos aspectos políticos e institucionais do processo econômico e com uma discussão sobre as diferentes dimensões da política fiscal. A evolução dos índices analíticos entre 1995 e 2010 aponta para uma grande relevância dos pagamentos de juros da dívida pública, que foram acomodados pela política de obtenção de superávits primários e pelo aumento da carga tributária, com grande desequilíbrio nos resultados nominais. Esses resultados evidenciam a existência de um elevado custo com o qual a política fiscal deve arcar, criado pela política monetária contracionista, em correspondência com os interesses do capital financeiro. Por fim, a conclusão apresenta a lógica que estrutura a política fiscal posterior ao Plano Real.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Henrique de Abreu Grazziotin, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Graduando em Ciências Econômicas pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Ronaldo Herrlein Jr., Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Doutor em Economia, Professor da FCE-UFRGS, Pesquisador do PPGE-UFRGS e do PNPD-IPEA.

Downloads

Publicado

2012-10-04

Como Citar

GRAZZIOTIN, H. de A.; HERRLEIN JR., R. Para entender a questão fiscal brasileira pós-Plano Real: uma abordagem de Economia Política Institucionalista. Revista Economia Ensaios, Uberlândia, Minas Gerais, Brasil, v. 25, n. 1, 2012. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/revistaeconomiaensaios/article/view/14519. Acesso em: 3 dez. 2022.

Edição

Seção

Artigos