As ações extensionistas do programa "Meninas da Física" durante a pandemia da Covid-19

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/REE-v0n00-63009

Palavras-chave:

Divulgação científica, Covid-19, Mulheres na ciência, Extensão

Resumo

Com a pandemia do Covid-19, as recomendações de distanciamento social e prevenção à saúde, o uso das redes sociais aumentou significativamente. O programa de extensão “Meninas da Física”, durante a pandemia, encontrou desafios para continuar as atividades presenciais do programa, tendo que adaptá-las para encontros remotos, com a utilização de recursos tecnológicos e das redes sociais. Este trabalho apresentará os encontros on-line realizados com o intuito de promover ações de ensino e de divulgação científica, destacando os avanços científicos devido às pesquisas realizadas por mulheres engajadas na ciência. Foram 28 lives, sendo 5 com Intérprete de Libras, 5 minicursos, 2 palestras em escola pública e 1 curso de capacitação de profissionais da saúde, de forma on-line (remota). Também, ações extensionistas voltadas para divulgação de informações sobre o Covid-19, sendo 7 posts de orientação e informativos sobre a Covid-19, e 2 lives. Por fim, o programa e suas ações ocasionam impactos importantes na formação acadêmica, profissional e social das alunas colaboradoras, e principalmente na sociedade em que as ações foram realizadas e alcançadas, mediante aos recursos tecnológicos utilizados.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Monique França e Silva, Universidade Federal de Uberlândia

Doutoranda em Engenharia Biomédica na Universidade Federal de Uberlândia, Minas Gerais, Brasil; subcoordenadora do programa de extensão "Meninas da Física".

Evelyn Christiny Marques Prais, Universidade Federal de Uberlândia

Graduanda em Física de Materiais na Universidade Federal de Uberlândia, Minas Gerais, Brasil; subcoordenadora do programa de extensão "Meninas da Física".

Lucio Pereira Neves , Universidade Federal de Uberlândia

Doutor em Tecnologia Nuclear pela Universidade de São Paulo, Brasil; estágio pós-doutoral no Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares, São Paulo, Brasil; professor da Universidade Federal de Uberlândia, Minas Gerais, Brasil;  membor do Grupo de Pesquisa Ionizing Radiation Dosimetry in Medicine (UFU); coordenador do Laboratório de Instrumentação e Dosimetria (LInDa) e do projeto de extensão "Meninas da Física".

Ana Paula Perini, Universidade Federal de Uberlândia

Doutora em Tecnologia Nuclear pela Universidade de São Paulo, Brasil; estágio pós-doutoral no Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares, São Paulo, Brasil; professora da Universidade Federal de Uberlândia, Minas Gerais, Brasil; coordenadora do programa de extensão "Meninas da Física".

Referências

AGUIAR, G. A. Uso das ferramentas de redes sociais em bibliotecas universitárias: um estudo exploratório na UNESP, UNICAMP e USP. 2012. 184 f. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2012. Disponível em: https://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/27/27151/tde-03122012-160409/pt-br.php. Acesso em: 23 ago. 2021.

AMARAL, I. G.; NAVES, F. O enfrentamento das opressões de gênero numa universidade pública: o papel dos coletivos na ótica do feminismo decolonial. Revista Brasileira de Estudos Organizacionais, Curitiba, v. 7, n. 1, p. 877-910, 2020. Doi: 10.21583/2447-4851.rbeo.2020.v7n1.305. Disponível em: https://rbeo.emnuvens.com.br/rbeo/article/view/305. Acesso em: 23 ago. 2021.

BARBOSA, L. M. S. Psicopedagogia: um diálogo entre a psicopedagogia e a educação. 2 ed. Curitiba: Bolsa Nacional do Livro, 2006.

BUENO, W. C. Jornalismo científico no brasil: os desafios de uma longa trajetória. In: PORTO, C. M. (org.). Difusão e cultura científica: alguns recortes, Salvador, 2009. p. 113-125. Disponível em: https://repositorio.ufba.br/ri/bitstream/ufba/125/1/Difusao%20e%20cultura%20cientifica.pdf. Acesso em: 23 ago. 2021.

CARBONI, R. M.; NOGUEIRA, V. O. Facilidades e dificuldades na elaboração de trabalhos de conclusão de curso. ConScientiae e Saúde, São Paulo, v. 3, p. 65-72, 2004. Doi: 10.5585/conssaude.v3i0.321. Disponível em: https://periodicos.uninove.br/saude/article/view/321. Acesso em: 25 ago. 2021.

CASTRO, S. R. F. A abordagem do plágio nos livros didáticos do ensino fundamental e na visão de autores. 2017. 122 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade de Brasília, Brasília, 2017. Disponível em: https://repositorio.unb.br/handle/10482/31525. Acesso em: 25 ago. 2021.

D’OLIVEIRA, A. F. Invisibilidade e banalização da violência contra as mulheres na universidade: reconhecer para mudar. Interface: Comunicação, Saúde, Educação, Botucatu, v. 23, 2019. Doi: 10.1590/Interface.190650. Disponível em: https://www.scielo.br/j/icse/a/CWgFd9wk4fhJJkk9QW3HkRc/?lang=pt. Acesso em: 26 ago. 2021.

FAGUNDES, F.; NAKATA, L. E.; DAUD, L. Assédio moral: o caso dos funcionários terceirizados de manutenção da Universidade Federal de Uberlândia. Tecer, Belo Horizonte, v. 8, n. 15, p. 184-198, 2015. Doi: 10.15601/1983-7631/RT.V8N15P184-198. Disponível em: https://www.metodista.br/revistas/revistas-izabela/index.php/tec/article/view/1022. Acesso em: 26 ago. 2021.

FALKENBERG, M. B. et al. Educação em saúde e educação na saúde: conceitos e implicações para a saúde coletiva. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 19, n. 3, p. 847-852, 2014. Disponível em: https://www.cienciaesaudecoletiva.com.br/artigos/educacao-em-saude-e-educacao-na-saude-conceitos-e-implicacoes-para-a-saude-coletiva/12279?id=12279. Acesso em: 26 ago. 2021.

FÉLIX, J.; OLIVEIRA, M. L. A educação não-escolar como potencializadora de processos (trans)formativos de jovens universitários/as. Interfaces Científicas, Aracaju, v. 9, n. 3, p. 83-95, 2020. Doi: 10.17564/2316-3828.2020v9n3p83-95. Disponível em: https://periodicos.set.edu.br/educacao/article/view/7869. Acesso em: 26 ago. 2021.

FIGUEIREDO, V. C. N.; DA SILVA, Q. E. F.; SANTANA, F. A. L. Assédio moral e gênero na universidade pública: ressonâncias do produtivismo no trabalho docente. Revista Online de Política e Gestão Educacional, Araraquara, v. 24, n. esp. 3, p. 1841-1855, 2020. Doi: 10.22633/rpge.v24iesp3.14291. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/rpge/article/view/14291. Acesso em: 26 ago. 2021.

FREIBERGER, R. M.; BERBEL, N. A. N. A importância da pesquisa como princípio educativo na atuação pedagógica de professores de educação infantil e ensino fundamental. Cadernos de Educação, Pelotas, v. 37, p. 207-245, 2010. Doi: 10.15210/CADUC.V0I37.1587. Disponível em: https://periodicos.ufpel.edu.br/ojs2/index.php/caduc/article/view/1587. Acesso em: 27 ago. 2021.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2017.

GONÇALVES, M. Contribuições das mídias sociais digitais na divulgação científica. In: PINHEIRO, L. V. R. P.; OLIVEIRA, E. C. P. (org.). Múltiplas facetas da comunicação e divulgação científica: transformações em cinco Séculos. Brasília: Ibict, 2012. p. 168-187.

LESKIN, P. Instagram live usage jumped 70% last month: a psychologist says it’s because ‘people are not designed to be isolated’. Insider, 16 abr. 2020. Disponível em: https://www.businessinsider.com/instagram-live-70-percent-increase-social-distancing-psychologist-explains-2020-4?utm_source=feedly&utm_medium=webfeeds. Acesso em: 26 ago. 2021.

LÉVY, P. A inteligência coletiva: por uma antropologia do ciberespaço. São Paulo: Loyola, 1999.

MAIA, R. T. A importância da disciplina de metodologia científica no desenvolvimento de produções acadêmicas de qualidade no nível superior. Urutágua, Maringá, n. 14, 2008. Disponível em: http://www.urutagua.uem.br/014/14maia.htm. Acesso em: 27 ago. 2021.

MARINHO, S. Mulheres trans, violência de gênero e a permanente caça às bruxas. Argumentum, Vitória, v. 12, n. 3, p. 86-101, 2020. Doi: 10.47456/argumentum.v12i3.31355. Disponível em: https://periodicos.ufes.br/argumentum/article/view/31355. Acesso em: 26 ago. 2021.

MARQUES, E. S. et al. A violência contra mulheres, crianças e adolescentes em tempos de pandemia pela Covid-19: panorama, motivações e formas de enfrentamento. Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 36, n. 4, 2020. Doi: 10.1590/0102-311X00074420. Disponível em: https://www.scielo.br/j/csp/a/SCYZFVKpRGpq6sxJsX6Sftx/?lang=pt. Acesso em: 26 ago. 2021.

MASSARANI, L. Curso online de jornalismo científico. Rio de Janeiro: Museu da Vida: Fiocruz, 2009.

NEWALL, C. et al. Science education: adult biases because of the child's gender and gender stereotypicality. Contemporary Educational Psychology, Sydney, v. 55, p. 30-41, 2018. Doi: 10.1016/j.cedpsych.2018.08.003. Disponível em: https://researchers.mq.edu.au/en/publications/science-education-adult-biases-because-of-the-childs-gender-and-g. Acesso em: 24 ago. 2021.

NUNES, V. M. A. Covid-19 e o cuidado de idosos: recomendações para instituições de longa permanência. Natal: EDUFRN, 2020.

OKUNO, E.; YOSHIMURA, E. M. Física das Radiações. São Paulo: Oficina de Textos, 2010.

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DE SAÚDE – OMS. Director-General’s opening remarks at the media briefing on Covid-19 - 11 march 2020. Disponível em: https://www.who.int/director-general/speeches/detail/who-director-general-s-opening-remarks-at-the-media-briefing-on-covid-19---11-march-2020. Acesso em: 24 ago. 2021.

POLAK, Y. N. S.; SANTANA, J. R.; MARINHO, H. L. Dialogando sobre metodologia científica. Fortaleza: Edições UFC, 2011.

PONTES, E. M.; SANTOS, M. K. O uso das redes sociais no âmbito das bibliotecas universitárias federais brasileiras. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE BIBLIOTECONOMIA, DOCUMENTAÇÃO E CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO. 24, 2011, Maceió. Anais [...]. Maceió-AL: FEBAB, 2011.

PRESTES, M.; CAPPELLETTO, E. Aprendizagem significativa no ensino de física das radiações: contribuições da educação ambiental. Remea, Rio Grande, v. 20, p. 180-184, 2008. Doi: 10.14295/remea.v20i0.3839. Disponível em: https://periodicos.furg.br/remea/article/view/3839. Acesso em: 24 ago. 2021.

PRÍNCIPE, E. Comunicação científica e redes sociais. In: ALBAGLI, S. (org). Fronteiras da Ciência da Informação. Brasília: IBICT, 2013. p. 196-216.

BRASIL. Ministério da Saúde. Agência Nacional de Segurança Sanitária. Diretoria Colegiada. Resolução - RDC nº 330, de 20 de dezembro de 2019. Diário Oficial da União, Brasília-DF, 20 dez. 2019. Disponível em: https://www.in.gov.br/web/dou/-/resolucao-rdc-n-330-de-20-de-dezembro-de-2019-235414748?inheritRedirect=true. Acesso em: 25 ago. 2021.

SALES, C. M. M.; SILVA, A. I.; MACIEL, E. L. N. Vigilância em saúde da Covid-19 no Brasil: investigação de contatos pela atenção primária em saúde como estratégia de proteção comunitária. Epidemiologia e Serviços de Saúde, Brasília, v. 29, n. 4, 2020. Doi: 10.5123/S1679-49742020000400011. Disponível em: https://www.scielosp.org/article/ress/2020.v29n4/2020373/. Acesso em: 25 ago. 2021.

SANTAELLA, L. Da cultura de massa às interfaces na era digital. Revista Faced, Salvador, v. 14, p.105-118, 2008. Disponível em: https://repositorio.ufba.br/ri/bitstream/ri/1185/1/2657.pdf. Acesso em: 15 ago. 2021.

SCHRAIBER, L. B. et al. Homens, masculinidade e violência: estudo em serviços de atenção primária à saúde. Revista Brasileira de Epidemiologia, São Paulo, v. 15, n. 4, p. 790-803, 2012. Doi: 10.1590/S1415-790X2012000400011. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rbepid/a/7ShM4VNVVVj7zXRX8rgZngg/abstract/?lang=pt. Acesso em: 25 ago. 2021.

SENNA, A. A trajetória acadêmica de uma psicóloga, mulher trans e negra na universidade. Revista Latino-Americana de Geografia e Gênero, Ponta Grossa, v. 9, n. 2, p. 304-317, 2018. Doi: 10.5212/Rlagg.v.9.i2.0016. Disponível em: https://revistas2.uepg.br/index.php/rlagg/article/view/12852. Acesso em: 25 ago. 2021.

SIMONS, M. Radiation fears infect Brazil after accident. The New York Times, 2 december 1987. Disponível em: https://www.nytimes.com/1987/12/02/world/radiation-fears-infect-brazil-after-accident.html. Acesso em: 25 ago. 2021.

TOMAÉL, M. I.; MARTELETO, R. M. Redes sociais: posições dos atores no fluxo da informação. Encontros Bibli, Florianópolis, 2006. Doi: 10.5007/1518-2924.2006v11nesp1p75. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/eb/article/view/1518-2924.2006v11nesp1p75. Acesso em: 24 ago. 2021.

TRIPP, D. Pesquisa-ação: uma introdução metodológica. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 31, n. 3, p. 443-466, 2005. Doi: 10.1590/S1517-97022005000300009. Disponível em: https://www.scielo.br/j/ep/a/3DkbXnqBQqyq5bV4TCL9NSH/?lang=pt. Acesso em: 25 ago. 2021.

Downloads

Publicado

2021-10-30

Como Citar

SILVA, M. F. e .; PRAIS, E. C. M.; NEVES , L. P.; PERINI, A. P. As ações extensionistas do programa "Meninas da Física" durante a pandemia da Covid-19. Revista Em Extensão, [S. l.], p. 265–280, 2021. DOI: 10.14393/REE-v0n00-63009. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/revextensao/article/view/63009. Acesso em: 23 maio. 2022.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)