Ação multiplicadora

uma proposta de inclusão social e acessibilidade no contexto de uma universidade pública brasileira

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/REE-v20n12021-57396

Palavras-chave:

Inclusão social, Acessibilidade, Extensão universitária

Resumo

Este relato de experiência tem como objetivo descrever as ações e metodologias adotadas pelo projeto de extensão universitária “Ação multiplicadora: uma proposta de inclusão social e acessibilidade”, anos 2018 e 2019. As principais metodologias adotadas para o desenvolvimento das ações do projeto foram: pesquisa bibliográfica, entrevistas, preparação de materiais didáticos, seminários, exposições, observação e análise fílmica. O projeto contribuiu para ampliar as discussões acerca da inclusão social e acessibilidade das pessoas com deficiência e conscientizar atores sobre a necessidade de propiciar ambientes inclusivos, de socialização e acessíveis. Concluiu-se que o fortalecimento de projetos dessa natureza promove a reflexão da comunidade universitária e auxilia o processo de inclusão social e acessibilidade das pessoas com deficiência nas Instituições Federais de Ensino Superior.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fernanda Costa Silva, Universidade Federal de Minas Gerais

Mestranda em Administração no Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais, Brasil; servidora técnico-administrativa da Universidade Federal de Minas Gerais, Brasil.

Isadora Oliveira Gondim, Universidade Federal de Minas Gerais

Graduanda em Gestão de Serviços de Saúde na Universidade Federal de Minas Gerais, Brasil.

Sonia Maria Soares, Universidade Federal de Minas Gerais

Doutora em Saúde Pública pela Universidade de São Paulo, Brasil; professora titular da Escola de Enfermagem da Universidade Federal de Minas Gerais, Brasil; coordenadora do Núcleo de Estudos e Pesquisas em Cuidado e Desenvolvimento Humano. 

Referências

ALBRECHT, E.; BASTOS, A. S. A. M. Extensão e sociedade: diálogos necessários. Em Extensão, Uberlândia, v. 19, n. 1, p. 54-71, jan.-jun. 2020. Doi: 10.14393/REE-v19n12020-53428. Disponível em: http://www.seer.ufu.br/index.php/revextensao/article/view/53428. Acesso em: 12 maio 2020.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 9050: acessibilidade a edificações, mobiliário, espaços e equipamentos urbanos. Rio de Janeiro, 2004.

BISSOTO, M. L. Educação inclusiva e exclusão social. Rev. Educ. Espec., Santa Maria, v. 26, n.45, p. 91-108, jan./abr. 2013. Doi: 10.5902/1984686X5434. Disponível em: https://periodicos.ufsm.br/educacaoespecial/article/view/5434. Acesso em: 15 maio 2020.

BRASIL. Decreto nº 6.949, de 25 de agosto de 2009. Promulga a Convenção Internacional sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência e seu Protocolo Facultativo, assinados em Nova York, em 30 de março de 2007. Brasília, DF, 2009.

BRASIL. Lei nº 12.711, de 29 de agosto de 2012. Dispõe sobre o ingresso nas universidades federais e nas instituições federais de ensino técnico de nível médio e dá outras providências. Brasília, DF, 2012.

BRASIL. Lei nº 13.409, de 28 de dezembro de 2016. Altera a Lei no 12.711, de 29 de agosto de 2012, para dispor sobre a reserva de vagas para pessoas com deficiência nos cursos técnico de nível médio e superior das instituições federais de ensino. Brasília, DF, 2016.

CARBONARI, M. E. E.; PEREIRA, A. C. A extensão universitária no Brasil, do assistencialismo à sustentabilidade. Revista de Educação, Londrina, v. 10, n. 10, p. 23-28, 2007. Disponível em: https://revista.pgsskroton.com/index.php/educ/article/view/2133. Acesso em: 15 maio 2020.

CARVALHO, C. V. O cinema como objeto de estudo acadêmico. Revista Política & Trabalho, João Pessoa, n. 31, p. 197-211, set. 2009. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/index.php/politicaetrabalho/article/view/6828. Acesso em: 15 maio 2020.

DINIZ, D. O que é deficiência. São Paulo: Brasiliense, 2007.

FORPROEX - Fórum de Pró-Reitores de Extensão as Instituições Públicas de Educação Superior Brasileiras (FORPROEX). Política Nacional de Extensão Universitária. Porto Alegre: UFRGS/PROEX, 2012.

FRANÇA, I. S. X.; PAGLIUCA, L. M. F. Inclusão social da pessoa com deficiência: conquistas, desafios e implicações para a enfermagem. Rev. esc. enferm. USP, São Paulo, v. 43, n. 1, p. 178-185, mar. 2009. Doi: 10.1590/S0080-62342009000100023. Disponível em: https://www.scielo.br/j/reeusp/a/yR3cywwwzmzN3s6z4Pv4skg/abstract/?lang=pt. Acesso em: 18 abr. 2020.

HOJE Eu Quero Voltar Sozinho. Direção de Daniel Ribeiro. Brasil: Lacuna Filmes, 2014. 1 DVD (96 min.), son., color.

LUHMANN, N. Sociologia do direito I. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1983.

MACIEL, M. R. C. Portadores de deficiência: a questão da inclusão social. São Paulo Perspec., São Paulo, v. 14, n. 2, p. 51-56, abr./jun. 2000. Doi: 10.1590/S0102-88392000000200008. Disponível em: https://www.scielo.br/j/spp/a/3kyptZP7RGjjkDQdLFgxJmg/abstract/?lang=pt. Acesso em: 18 abr. 2020.

MAGALHÃES, J. C.; SEVERINO, M. R. Uma análise da institucionalização da política de cotas nas universidades federais brasileiras. In: CONGRESSO NACIONAL DE EDUCAÇÃO - CONEDU, 6., 2017, João Pessoa. Anais [...]. João Pessoa: Realize, 2017. Disponível em: http://www.editorarealize.com.br/artigo/visualizar/38787. Acesso em: 18 jan. 2020.

MAIA, M. Novo conceito de pessoa com deficiência e proibição do retrocesso. Revista da AGU, v. 12, n. 37, p. 289-306, jul./set., 2013. Disponível em: https://pcd.mppr.mp.br/arquivos/File/novo_conceito_de_pessoa_com_deficiencia_e_proibicao_do_retrocesso.pdf. Acesso: 15 maio 2020.

MEDEIROS, H. A. V.; MELLO NETO, R. D.; GOMES, A. M. Limites da lei de cotas nas universidades públicas federais. Arquivos Analíticos de Políticas Educativas, Arizona, v. 24, n. 6, jan. 2016. Doi: 10.14507/epaa.v24.2200. Disponível em: https://www.redalyc.org/pdf/2750/275043450006.pdf. Acesso em: 18 abr. 2020.

MURTA, M. A.; FELOMENO, T. A. S.; FERNANDES, T. M. Ensino da LIBRAS como instrumento de inclusão educacional nos cursos de licenciatura: desafios, realidades e necessidades. Pedagogia em Ação, Belo Horizonte, v. 6, p. 74-83, 2014. Disponível em: http://periodicos.pucminas.br/index.php/pedagogiacao/article/view/9185. Acesso em: 1º abr. 2020.

PAIVA, M. E. F. Estética e comunicação na fotografia. In.: ENCONTRO DOS NÚCLEOS DE PESQUISA DA INTERCOM. 6., 2006, Brasília. Anais [...]. Disponível em: http://www.portcom.intercom.org.br/pdfs/132540391238908688233998032651539421229.pdf. Acesso em: 10 ago/2020.

PINA-OLIVEIRA, A. A.; CHIESA, A. M. Boaventura de Sousa Santos e suas contribuições para a extensão universitária no século XXI. Extensio, Florianópolis, v. 13, n. 23, p. 3-15, 2016. Doi: 10.5007/1807-0221.2016v13n23p3. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/extensio/article/view/1807-0221.2016v13n23p3. Acesso em: 15 mar. 2020.

PLETSCH, M. D.; LEITE, L. P. Analise da produção cientíifica sobre inclusão no ensino superior brasileiro. Educar em Revista, Curitiba, v. 33, n. especial, p. 87-106, out./dez. 2017. Doi: 10.1590/0104-4060.51042. Disponível em: https://www.scielo.br/j/er/a/HXgzbFY4WGCBsKPBrJgwv3R/abstract/?lang=pt. Acesso em: 15 maio 2020.

RODRIGUES, A. L. L. et al. Contribuições da extensão universitária na sociedade. Cadernos de Graduação: Ciências Humanas e Sociais, Aracajú, v. 1, n. 16, p. 141-148, 2013. Disponível em: https://periodicos.set.edu.br/cadernohumanas/article/view/494. Acesso em: 15 maio 2020.

SIQUEIRA, I. M.; SANTANA, C. S. Propostas de acessibilidade para a inclusão de pessoas com deficiências no ensino superior. Rev. bras. educ. espec. , Bauru, v. 16, n. 1, p. 127-136, jan./abr. 2010. Doi: 10.1590/S1413-65382010000100010. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rbee/a/KkfLLrZ4kTjdTyMhbY3gzfk/abstract/?lang=pt. Acesso em: 14 maio 2020.

SOUZA, L. C. Recomendações para cursos on-line em língua portuguesa com foco na integração de alunos surdos. 2015. Tese (Doutorado em Linguística Aplicada) – Programa de Pós-Graduação em Estudos Linguísticos, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2015.

UNESCO. Declaração de Salamanca sobre princípios, política e práticas na área das necessidades educativas especiais. 1994. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/salamanca.pdf. Acesso em: 15 maio 2020.

VAN PETTEN, A. M. N. et al. Cotas para pessoas com deficiência nas instituições federais de ensino: desafios e perspectivas para a acessibilidade e inclusão na UFMG. In: CONGRESSO DE INOVAÇÃO E METODOLOGIAS NO ENSINO SUPERIOR. 3., 2017, Belo Horizonte. Anais [...]. Disponível em: https://congressos.ufmg.br/index.php/congressogiz/CIM/schedConf/presentations Acesso em: 20 jan. 2020.

Downloads

Publicado

2021-06-30

Como Citar

SILVA, F. C. .; GONDIM, I. O.; SOARES, S. M. Ação multiplicadora: uma proposta de inclusão social e acessibilidade no contexto de uma universidade pública brasileira. Revista Em Extensão, [S. l.], v. 20, n. 1, p. 147–161, 2021. DOI: 10.14393/REE-v20n12021-57396. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/revextensao/article/view/57396. Acesso em: 19 maio. 2022.

Edição

Seção

Relatos de Experiência