Beijar, verbo intransitivo

Narrativas, diversidade e sexualidade na formação de professores/as de línguas

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/LL63-v35nEsp2019-4

Palavras-chave:

Narrativas, Formação de Professores de Línguas, Gênero e Sexualidade

Resumo

O ensaio aqui apresentado discute a formação de professores a partir de desafios propostos pela vida cotidiana. A partir de duas cenas surgidas durante disciplinas de estágio curricular em língua portuguesa e língua inglesa, argumentamos em favor de espaços nos cursos de formação de professores para tratar de temas suprimidos nos documentos oficiais da educação brasileira, mas muito presentes nas vivências escolares e nos extramuros. Ao discutirmos a formação de professores de línguas, especificamente, defendemos o espaço das narrativas, dos questionamentos, das críticas, da transdiciplinaridade, do olhar para as dinâmicas micropolíticas como modo de intervir na formação docente de forma sensível à diversidade social.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Alexandre José Cadilhe, Universidade Federal de Juiz de Fora

Doutor em Estudos da Linguagem pela Universidade Federal Fluminense. Professor Adjunto do Departamento de Educação (área de Ensino de Língua Portuguesa) e do Programa de Pós-graduação em Linguística da Universidade Federal de Juiz de Fora. 

 

Ana Cláudia Peters Salgado , Universidade Federal de Juiz de Fora

Doutora em Estudos da Linguagem pela PUC-Rio. Professora Associada da Faculdade de Letras e Coordenadora do Programa de Pós-graduação em Linguística da Universidade Federal de Juiz de Fora - MG. 

Referências

ALMEIDA FILHO, José Carlos Paes. Linguística Aplicada, ensino de língua e comunicação. Campinas: Pontes, 2007.

BLOMMAERT, Jan. Discourse: a critical introduction. Cambridge: Cambridge University Press, 2005. https://doi.org/10.1017/CBO9780511610295

BRITZMAN, Deborah. Curiosidade, sexualidade e currículo. In: LOURO, Guacira (Org.). O corpo educado: pedagogias da sexualidade. Belo Horizonte: Autêntica, 2013. p. 83-111.

BRUNER, Jerome. Fabricando histórias: direito, literatura, vida. São Paulo: Letra e Voz, 2014.

CADILHE, Alexandre. Letramentos, gênero e sexualidade na escola: reflexões para uma transversalidade curricular. In: GARCIA-REIS, Andreia; MAGALHAES, Tânia (Org.). Letramentos e práticas de ensino. Campinas: Pontes, 2016. p. 167-181.

CADILHE, Alexandre. “Tenho dificuldades em lidar com essa situação”: narrativas, gênero e sexualidade na formação continuada de professores/as. Revista Humanidades e Inovação, v. 4, n. 6, p. 46-54, 2017.

CANAGARAJH, Surresh. From critical research practice to critical research reporting. TESOL Quaterly, v. 30, n. 2, p. 321-330, 1996. https://doi.org/10.2307/3588146

CAVALCANTI, Marilda. Educação linguística na formação de professores de línguas. In: MOITA LOPES, Luiz Paulo (Org.). Linguística Aplicada na Modernidade Recente. São Paulo: Parábola, 2013. p. 211-226.

FREIRE, Paulo. Conscientização. São Paulo: Cortez, 2016.

GERGEN, Kenneth J.; GERGEN, Mary M. Narratives of the self. In: HINCHMAN, L. P.; HINCHMAN, S. Memory, Identity, Community. New York: State University Press, 2001. p. 161-284

GUATARRI, Félix; ROLNIK, Suely. Micropolítica: cartografias do desejo. Petrópolis: Vozes, 2008.

GIROUX, Henry. Os professores como intelectuais: rumo a uma pedagogia crítica da aprendizagem. Porto Alegre: Artes Médicas, 1997.

HOOKS, Bell. Ensinando a transgredir: educação como prática da liberdade. São Paulo: Martins Fontes, 2013.

JOHSON, Karen; GOLOMBEK, Paula. The transformative power of Narrative in Second Language Teacher Education. In Tesol Quaterly, v. 45, n.3, p. 486-509, 2011. https://doi.org/10.5054/tq.2011.256797

KUMARAVADIVELU, B. Beyond Methods: macrostrategies for language teaching. Yale: Yale University Press, 2003.

LIMA, Diógenes Cândido (Org.). Inglês em escolas públicas não funciona? Uma questão, múltiplos olhares. São Paulo: Parábola Editorial, 2011.

LOURO, Guacira. Pedagogias da sexualidade. In: LOURO, Guacira (Org.). O corpo educado: pedagogias da sexualidade. Belo Horizonte: Autêntica, 2013. p. 7-34. https://doi.org/10.3895/cgh.v7n25/26.6099

MILLER, Inês. Formação de professores de línguas: da eficiência à reflexão crítica e ética. In: MOITA LOPES, Luiz Paulo (Org.). Linguística Aplicada na Modernidade Recente. São Paulo: Parábola, 2013. p. 99-122.

NELSON, Cynthia. Narrativas queer da vida em sala de aula: lições intrigantes para os Estudos de Linguagem. In: FERREIRA, Aparecida (org.). Narrativas autobiográficas de identidade sociais de raça, gênero, sexualidade e classe em Estudos de Linguagem. Campinas: Pontes, 2015. p. 235-258.

NÓVOA, Antônio. Desafios do trabalho do professor no mundo contemporâneo. Sindicato dos Professores de São Paulo. São Paulo: Sinpro, 2007.

OSTERMANN, Ana; ROSA, Débora. Do que não se fala: assuntos tabus e momentos delicados em consultas ginecológicas e obstétricas. In: OSTERMANN, Ana; MENEGHEL, Stela. Humanização, Gênero, Poder: contribuições dos estudos da fala-em-interação para a atenção à saúde. Campinas: Mercado de Letras, 2012. p. 47-64.

PESSOA, Rosane Rocha e HOELZLE, Maria José. Ensino de línguas como palco de política linguística: Mobilização de repertórios sobre gênero. Trab. Ling. Aplic., Campinas, n. 56, v. 3, p. 781-800, 2017. https://doi.org/10.1590/010318138649840291441

REICHMANN, Carla. Letras e Letramentos: escrita situada, identidade e trabalho docente no estágio supervisionado. Campinas: Mercado de Letras, 2015.

SILVA, Kleber; ARAGÃO, Rodrigo. Conversas com formadores de professores de línguas: avanços e desafios. Campinas/SP: Pontes Editores, 2013.

STREET, Brian. Evento e práticas de letramento: teoria e prática nos Novos Estudos do Letramento. In: MAGALHAES, Izabel (Org.). Discursos e práticas de letramento: pesquisa etnográfica e formação de professores. Campinas: Mercado de Letras, 2012. p. 69-92.

TARDIFF, Maurice. Saberes docentes e formação profissional. Petrópolis: Vozes, 2014.

WORTHAM, Stanton. Socialization beyond the speech event. Journal of Linguistic Anthropology, v. 15, n. 1, p. 95-112, 2005. https://doi.org/10.1525/jlin.2005.15.1.95

Downloads

Publicado

2019-10-23

Como Citar

PINTO CADILHE DE ASSIS JÁCOME, A. J.; PETERS SALGADO , A. C. . Beijar, verbo intransitivo: Narrativas, diversidade e sexualidade na formação de professores/as de línguas. Letras & Letras, [S. l.], v. 35, n. especial, p. 75–89, 2019. DOI: 10.14393/LL63-v35nEsp2019-4. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/letraseletras/article/view/49423. Acesso em: 15 ago. 2022.