O ensino de teorias da tradução no curso de Letras

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/LL63-v32n1a2016-6

Palavras-chave:

Ensino de tradução, Teorias da tradução, Formação de tradutores., Ensino de língua e literatura.

Resumo

Neste artigo, abordo o ensino de teorias da tradução a partir do percurso histórico brasileiro que privilegia uma abordagem sobre a tradução que não desvencilha a reflexão teórica da prática e da crítica de traduções, com destaque para as obras de Paulo Rónai (1976/2012), José Paulo Paes (1990) e Paulo Henriques Britto (2012). Esta contextualização histórica serve como ponto de apoio para o meu próprio relato como professora de teorias da tradução para turmas multilíngues do curso de Letras da Universidade[1], no qual procuro refletir sobre o papel do ensino de teorias da tradução na formação tanto de tradutores como dos estudantes de Letras em geral.

[1] Caso o artigo seja aceito, em todas as instâncias onde há esse termo, haverá identificação da instituição.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carolina Paganine, Universidade Federal Fluminense

Doutora em Estudos da Tradução pela Universidade Federal de Santa Catarina (2011), com pesquisa na área de tradução comentada de textos literários. Bacharel em Letras - Tradução Inglês pela Universidade de Brasília (2004). Professora Adjunto II do Departamento de Ciências da Linguagem, setor de Teorias da Tradução, na Universidade Federal Fluminense. Áreas de interesse e atuação: Estudos da Linguagem; Literaturas Estrangeiras Modernas, em especial a literatura inglesa do século XIX e a obra ficcional de Thomas Hardy; Estudos da Tradução: tradução comentada, literatura traduzida, crítica de tradução e variação linguística. Desde 12/2014, atuo como vice-coordenadora de Bacharelado em Letras da UFF, coordenando o Programa de Tutoria da Letras e o Estágio da Letras. 

Downloads

Publicado

2016-08-21

Como Citar

PAGANINE, C. O ensino de teorias da tradução no curso de Letras. Letras & Letras, [S. l.], v. 32, n. 1, p. 109–123, 2016. DOI: 10.14393/LL63-v32n1a2016-6. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/letraseletras/article/view/33017. Acesso em: 11 ago. 2022.