O reposicionamento político do Barão de Abiahy nos debates educacionais do fim do Império e início da República

Conteúdo do artigo principal

Suenya do Nascimento Costa
https://orcid.org/0000-0002-0148-978X
Jean Carlo de Carvalho Costa
https://orcid.org/0000-0002-6930-8607

Resumo

Este artigo demonstra como Silvino Elvídio Carneiro da Cunha – o barão do Abiahy, figura atuante da elite política na Paraíba e representante do partido conservador, permaneceu monarquista até as vésperas da proclamação republicana, aderindo ao novo regime estabelecido e ajustando seu discurso envolvendo as reformas educacionais para continuar em condições de controle político. Com a República, alguns sujeitos do final do século XIX reposicionaram suas ideias sobre elementos centrais da instrução. Estas discussões, como parte das concorrências políticas, encontravam-se, sobretudo, nos jornais e nos relatórios presidenciais. Percebe-se uma concepção adesista e liberal em vários momentos como: defesa da instrução para os ingênuos, ideário do Ensino Livre e criação de aulas noturnas para o público adulto trabalhador. Assim, constata-se o caráter adesista na atuação do barão de Abiahy, que representava a redefinição do jogo político em período caracterizado pela coexistência de posicionamentos diante do ordenamento educacional, político e social.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Detalhes do artigo

Como Citar
Costa, S. do N., & Costa, J. C. de C. (2022). O reposicionamento político do Barão de Abiahy nos debates educacionais do fim do Império e início da República. Cadernos De História Da Educação, 21(Contínua), e089. https://doi.org/10.14393/che-v21-2022-89
Seção
Artigos
Biografia do Autor

Suenya do Nascimento Costa, Universidade Federal da Paraíba (Brasil)

https://orcid.org/0000-0002-0148-978X
http://lattes.cnpq.br/1514858267423866
suenyacosta@outlook.com

Jean Carlo de Carvalho Costa, Universidade Federal da Paraíba (Brasil)

http://orcid.org/0000-0002-6930-8607
http://lattes.cnpq.br/7279526897191463
jeanccosta@yahoo.com.br

Referências

ALONSO, Ângela. Apropriação de ideias no segundo reinado. In: GRINBERG, Keila; SALLES, Ricardo (org.) Brasil imperial, Volume III – 1870-1889. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira. 2014, p. 83 – 118.

BARROSO, José Liberato. A instrução pública no Brasil. Rio de Janeiro: Garnier editora, 1867.

BERSTEIN, Serge. A Cultura Política. In: RIOUX, Jean-Pierre; SIRINELLI, Jean-François. Para uma história cultural. Lisboa: Editorial Estampa, 1998.

BERSTEIN, Serge. Culturas políticas e historiografia. In: AZEVEDO, Cecília; ROLLEMBERG, Denise; KNAUSS, Paulo; BICALHO, Maria Fernanda Baptista; QUADRAT, Samantha Viz (Org.). Cultura política, memória e historiografia. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2009.

CARVALHO, José Murilo de. A construção da Ordem: a elite política imperial; Teatro das de sombras: a política imperial. 6ª ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2010.

COSTA, Jean Carlo de Carvalho. Intelectuais, instrução e espaço público no Brasil Império: uma análise do pensamento político e educacional de Tavares Bastos. Revista Brasileira de História da Educação, 15(2[38]), 2015, p.81-110. Disponível em: de http://periodicos.uem.br/ojs/index.php/rbhe/article/view/38925. Acesso em 30 de novembro de 2019. DOI: https://doi.org/10.4025/rbhe.v15i2.616.

COSTA, Suênya do Nascimento. As ideias educacionais e políticas de Silvino Elvídio Carneiro da Cunha na província da Parahyba do Norte (1874 - 1876) – Dissertação. (Mestrado em Educação) – Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa, 2017.

DOLHNIKOFF, Miriam. Elites regionais e a construção do Estado Nacional. In: JANCSÓ, István. (Org.). Formação do Estado e da Nação. São Paulo, Unijuí, Fapesp, 2003.

DOLHNIKOFF, Miriam. O pacto imperial. Origens do federalismo no Brasil. São Paulo, Globo, 2005.

FALCON, Francisco. História das Idéias: pluralidade disciplinar e conceitual. Da História das Idéias à História Intelectual e/ou Cultural. IN: CARDOSO & VAINFAS (org). Domínios da História: ensaios de teoria e metodologia. Rio de Janeiro: Campus, 1997. p.91-125.

FAORO, Raymundo, Os donos do poder: formação do patronato político brasileiro. São Paulo: Globo, 2001.

FERREIRA, Marieta de Moraes. (org). A República na velha província: Oligarquias e crise no estado do Rio de Janeiro (1889-1930). Rio de Janeiro: Editora Rio Fundo, 1989.

FERRONATO, Cristiano. Das aulas avulsas ao Lyceu Provincial: as primeiras configurações da instrução secundária na Província da Parahyba do Norte (1836-1884). 2012. Tese (Doutorado em educação) – Universidade Federal da Paraíba, PPGE, João Pessoa, PB, 2012.

FITTIPALDI, Marta Lúcia Lopes. “adesistas” e “históricos”: as disputas discursivas no processo de legitimação dos vários projetos republicanos. Faces de Clio, 6 [3], 2017. p. 41 – 54. Disponível em: https://periodicos.ufjf.br/index.php/facesdeclio/article/view/26673. Acesso em 4 de agosto de 2021.

GOMES, Iordan Queiroz. O Estado da Parahyba e a representação da república: Epitácio Pessoa e a (re)afirmação da tradição familiar à época do governo de Venâncio Neiva (1889-1891). 2017. Disponível em: https://www.snh2017.anpuh.org/resources/anais/ 54/1502851726_ARQUIVO_OESTADODAPARAHYBA-IORDANQUEIROZGOMES.pdf. Acesso em 5 de novembro de 2019.

HEINZ, Flávio M. (Org.) Por outra história das elites. Rio de Janeiro: FGV, 2006.

HOLANDA, Sérgio Buarque de. O Brasil Monárquico. Volume 1: O Processo de Emancipação. São Paulo: DIFEL, 1982.

LEWIN, Linda. Política e parentela na Paraíba: um estudo de caso da oligarquia de base familiar. Rio de Janeiro: Record, 1993.

MACHADO, Maria Cristina Gomes. O decreto de Leôncio de Carvalho e os pareceres de Rui Barbosa em debate. A criação da escola para o povo no século XIX. In STEPHANOU, Maria; BASTOS, Maria Helena Camara(orgs.). Histórias e memórias da educação no Brasil, vol II: séculos XIX. Petrópolis, RJ: vozes, 2005. pp. 91 -103.

MACHADO. Maria Cristina Gomes. Cenário atual das pesquisas sobre intelectuais em história da educação e suas interfaces. In: PINHEIRO, Antônio Carlos Ferreira Pinheiro; CURY; Cláudia Engler; ANANIAS, Mauriceia. (Orgs.). Histórias da educação brasileira: experiências e peculiaridades. João Pessoa, Editora UFPB, 2014.

MARIANO, Serioja Rodrigues C. Gente Opulenta e de Boa Linhagem: família, política e relações de poder na Paraíba (1817-1824). Tese (Doutorado em História) PPGH-UFPE, Recife, PE, 2005.

MARIANO, Serioja Rodrigues C. Culturas políticas, administração e redes familiares na Paraíba (1825-1840). Revista de História Saeculum, João Pessoa, jan/jun, 2011.

MARIANO, Serioja Rodrigues C. “Não aceitei a presidência para ligar-me a partidos”: Cultura política e administração na província da Paraíba nos anos de 1840. In: CURY; GALVES; FARIA (Orgs.) O Império do Brasil: Educação, impressos e confrontos sociopolíticos. São Luís: Café e lápis, editora UEMA, 2015.

NABUCO, Joaquim. Campanha Abolicionista no Recife: Eleições de 1884. Brasília: Senado Federal, Conselho Editorial. 2005.[1884].

PEIXOTO, Antônio Carlos Peixoto. Liberais ou conservadores? In: GUIMARÃES, Lúcia Maria Paschoal; PRADO, Maria Emília. (orgs.). O liberalismo no Brasil Imperial: origens, conceitos e prática. Rio de Janeiro: REVAN: UERJ, 2013. p. 11-29.

SALLES, Ricardo. As águas no Niágara. 1871: crise da escravidão e o caso Saquarema. O Brasil Imperial 1831-1870. Vol. II, Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2014, p. 39 – 82.

SEGAL, Myraí Araújo. Nas Teias do Poder: As Elites Paraibanas e a Construção do Estado Nacional Brasileiro (1840-1889). Trabalho de Conclusão de Curso. (Licenciatura em História) – Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa, PB, 2014.

SILVA, Helenice Rodrigues da Silva. Fragmentos da história intelectual. Entre questionamentos e perspectivas. Campinas, S.P.: Papirus, 2002.

SILVA, Lucian Souza da. Nada mais sublime que a liberdade: O processo de abolição da escravidão na Parahyba do Norte (1870-1888). Dissertação de Mestrado, PPGH, UFPB, 2016.

STEPHANOU, M; BASTOS, Maria Helena C. Histórias e memórias da educação no Brasil: século XIX. Petrópolis, RJ: Vozes, 2004. v. II.

Fontes

A PROVÍNCIA, 28 de novembro de 1874, edição 454, p. 1, 1874. Disponível em: http://memoria.bn.br/DocReader/Hotpage/HotpageBN.aspx?bib=128066_01&pagfis=9381&url=http://memoria.bn.br/docreader#. Acesso em: 3 de dezembro de 2019.

ALAGOAS, Província das. Relatório Provincial. Relatório lido perante a Assembléa Legislativa da Provincia das Alagoas no acto de sua installação em 7 de fevereiro de 1872 pelo Presidente Da Mesma, O Exm. Snr. Dr. Silvino Elvídio Carneiro Da Cunha. Maceió, Typ. Commercial De A.J. Da Costa, 1872. Disponível em: http://brazil.crl.edu/bsd/bsd/40/. Acesso em: 10/04/2016.

ARAUTO PARAHYBANO, 20 de maio de 1888, edição 18, p. 5, 1888. Disponível em: http://memoria.bn.br/DocReader/DocReader.aspx?bib=808865&pesq=SILVINO&pasta=ano%20189. Acesso em: 19 de outubro de 2019.

DIÁRIO DA PARAHYBA, 10 de fevereiro de 1885. Disponível em: http://memoria.bn.br/DocReader/DocReader.aspx?bib=808865&pesq=SILVINO&pasta=ano%20189. Acesso em: 19 de outubro de 2019.

GAZETA DA PARAÍBA, anno III, nº 518, 1890. Disponível em: http://memoria.bn.br/DocReader/DocReader.aspx?bib=808865&pesq=SILVINO&pasta=ano%20189. Acesso em: 19 de outubro de 2019.

GAZETA DA PARAÍBA, anno III, nº 540, 18 de março de 1890. Disponível em: http://memoria.bn.br/DocReader/DocReader.aspx?bib=808865&pesq=silvino&pasta=ano%20188. Acesso em: 19 de outubro de 2019.

PARAHYBA DO NORTE, Província da. Relatório Provincial. Relatório apresentado á Assembleia Legislativa da província da Parahyba do Norte em 7 de agosto de 1874 pelo presidente, exm. sr.dr. Silvino Elvídio Carneiro da Cunha. Parahyba, Typ. do Jornal da Parahyba, 1874. Disponível em: http://brazil.crl.edu/bsd/bsd/601/. Acesso em 12/09/2015.

PARAHYBA DO NORTE, Província da. Relatório Provincial. Relatório apresentado á Assembleia Legislativa da província da Parahyba do Norte em 9 de outubro de 1875 pelo presidente, exm. sr.dr. Silvino Elvidio Carneiro da Cunha. Parahyba, Typ. do Jornal da Parahyba, 1875. Disponível em: http://brazil.crl.edu/bsd/bsd/602/000001.html. Acesso em 12/09/2015.

RIO GRANDE DO NORTE, Província do. Relatório Provincial. Relatório apresentado á Assemblea Legislativa do Rio Grande do Norte pelo exm. sr. doutor Silvino Elvídio Carneiro da Cunha em 5 de outubro de 1870. Recife, Typ. do Jornal do Recife, 1870.Disponível em: http://brazil.crl.edu/bsd/bsd/854/. Acesso em 24/04/2016.