Instituições públicas de formação da juventude campinense (1950-1960): democratização ou elitização?

Conteúdo do artigo principal

Melânia Mendonça Rodrigues
https://orcid.org/0000-0002-3894-1514
Niédja Maria Ferreira de Lima
https://orcid.org/0000-0003-1289-2002
Vívia de Melo Silva
https://orcid.org/0000-0002-5476-2938

Resumo

Tratando de duas instituições públicas de ensino secundário de Campina Grande-PB, o Colégio Estadual da Prata (1953) e a Escola Normal Estadual (1960), o artigo   discute o prestígio social das duas instituições, destacando as solenidades de inauguração dos prédios e o alunado de cada uma delas, nas respectivas primeiras décadas de funcionamento. Os achados provêm de matérias veiculadas em jornais do estado, bem como das fichas individuais dos alunos, disponíveis nos arquivos das instituições. A cobertura jornalística e a dimensão política das solenidades de inauguração dos prédios constituem forte indício do prestígio social do Colégio Estadual e da Escola Normal. Já o seu alunado foi constituído de jovens (rapazes e moças) oriundos de família tradicionais da elite campinense e regiões circunvizinhas. Tais achados permitem considerar que a trajetória das instituições, no período aqui analisado, evidencia a tensão entre elitização e democratização do ensino secundário campinense, nas décadas de 1950-1960.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Detalhes do artigo

Como Citar
Rodrigues, M. M., Lima, N. M. F. de, & Silva, V. de M. (2022). Instituições públicas de formação da juventude campinense (1950-1960): democratização ou elitização?. Cadernos De História Da Educação, 21(Contínua), e085. https://doi.org/10.14393/che-v21-2022-85
Seção
Artigos
Biografia do Autor

Melânia Mendonça Rodrigues, Universidade Federal de Campina Grande (Brasil)

https://orcid.org/0000-0002-3894-1514
http://lattes.cnpq.br/6786946916201689
melaniarodrigues@gmail.com

Niédja Maria Ferreira de Lima, Universidade Federal de Campina Grande (Brasil)

https://orcid.org/0000-0003-1289-2002
http://lattes.cnpq.br/1022078411182508
niedjafl@yahoo.com.br

Vívia de Melo Silva, Universidade Federal da Paraíba (Brasil)

https://orcid.org/0000-0002-5476-2938
http://lattes.cnpq.br/1129744927667502
viviafag@gmail.com

Referências

A UNIÃO. Ja entregou em campina a milésima obra. A UNIÃO, n. 104, 12 maio 1970. p.01.

ALMANACH de Campina Grande para o ano de 1933. Campina Grande: Livraria Campinense, 1932. 258 p.

ALMEIDA, Jane Soares de. Mulheres na educação: missão, vocação e destino? A feminização do magistério ao longo do século XX. In.: SAVIANI, Dermeval et. al. (org.) O legado educacional do século XX no Brasil. Campinas: Autores Associados, 2004. (Coleção Educação Contemporânea).

ANDRADE, Vivian Galdino de. Alfabetizando os filhos da rainha para a civilidade/modernidade: o Instituto Pedagógico em Campina Grande-PB (1919-1942). 2014. 302 f. Tese (Doutorado em Educação) - Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa, 2014.

BRASIL. PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA. Decreto-lei nº 4.244, de 9 de abril de 1942. Lei Orgânica do Ensino Secundário. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto-lei/1937-1946/Del4244.htm.

BRASIL. PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA. Decreto-Lei nº 8.530, de 2 de janeiro de 1946. Lei Orgânica do Ensino Normal. Disponível em: www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto-lei/1937-1946/Del8530.htm. Acesso em 10 agosto 2016.

CAMPINA GRANDE. Semanário Oficial Prefeitura Municipal de Campina Grande – Estado da Paraíba, Ano III, nº.146. Campina Grande, 4 de outubro de 1958.

CHAMON, Magda. Trajetória de feminização do magistério: ambiguidades e conflitos. Belo Horizonte: Autêntica Editora; FHC-FUMEC, 2007.

DIÁRIO DA BORBOREMA. Atlântida filmará inauguração do Instituto de Educação: maio”. nº.3976, 18 maio de 1970c. p. 01.

DIÁRIO DA BORBOREMA. Em benefício da formação da juventude feminina. nº 89. Campina Grande. 21 de janeiro de 1958, p. 2.

DIÁRIO DA BORBOREMA. Instituto de Educação para Campina Grande. n° 87, Campina Grande. 18 de janeiro de 1958. p.8.

DIÁRIO DA BORBOREMA. João Agripino inaugura às 20h de hoje a milésima obra. nº 4067, 10mai 1970b. p. 10.

DIÁRIO DA BORBOREMA. Nôvo edifício da Escola Normal Estadual será inaugurado a 10. n.º 4063, 06 de 1970a, p. 8.

ESCOLA NORMAL ESTADUAL PADRE EMÍDIO VIANA CORREIA. Projeto Pedagógico. 2008. Digitado.

ESTADO DA PARAÍBA. Lei n° 2.229, de 31 de março de 1960, que Cria a Escola Normal Estadual de Campina Grande. Diário Oficial do Estado da Paraíba, Ano III, nº 266. João Pessoa, 8 de abril de 1960, p. 1.

ESTADO DA PARAÍBA. Decreto nº. 456, de 18 de julho de 1952, que cria o Colégio Estadual de Campina Grande. Jornal A União, domingo 20 de julho de 1952.

ESTADO DA PARAÍBA. Lei nº 850, de 6 de dezembro de 1952, que dá organização ao Ensino Normal do Estado da Paraíba. Diário Oficial do Estado da Paraíba. João Pessoa, 24 de dezembro de 1952, p. 1-4.

FECHINE, Dani. 'Campinismo' reflete identidade e autoestima de Campina Grande. G1, 11/10/2018. Disponível em: https://g1.globo.com/pb/paraiba/noticia/2018/10/11/campinismo-reflete-identidade-e-autoestima-de-campina-grande.ghtml. Acesso em 10 março 2020. sp.

GINZBURG, Carlo. Mitos, emblemas, sinais: morfologia e história. Tradução de Frederico Carotti. São Paulo: Companhia das Letras, 1989. 288p.

KULESZA, Wojciech Andrzej. Formação histórica da Escola Normal da Paraíba. In: ARAÚJO, José Carlos Souza; FREITAS, Anamaria Gonçalves Bueno de; LOPES, Antônio de Pádua Carvalho (org.). As Escolas Normais no Brasil: do Império à República. Campinas: editora Alínea, 2008. p. 263-278.

LACERDA JUNIOR, J. A. de.; LIRA, A.N.da C.. Retratos de Campina Grande: um século em imagens urbanas. Campina Grande: UFCG, 2012. 552p.

LIMA, José Fernandes de. Mensagem à Assembleia Legislativa. Departamento de publicidade/Estado da Paraíba; junho de 1960.

RODRIGUES, Melânia Mendonça (coord.). A Escola Normal Estadual Padre Emídio Viana - Campina Grande/PB: criação e consolidação (1960-1970). Relatório Técnico apresentado ao CNPQ, Chamada MCTI/CNPq N º 14/2014. Campina Grande, 2017. 51 f. Digitado.

SANTANA, Ajanayr Michelly Sobral; MACHADO, Charliton José dos Santos. Imprensa e movimento estudantil: a atuação política do Centro Estudantal Campinense. Anais Eletrônicos do IX Congresso Brasileiro de História da Educação João Pessoa – Universidade Federal da Paraíba – 15 a 18 de agosto de 2017. p.3668-3681. Disponível em https://drive.google.com/drive/folders/1vVImmMHMKniTKJWj36SyEONLM5MAdJv0.

SILVA FILHO, Lino. Síntese histórica de Campina Grande: 1670-1963. João Pessoa: Editora GRAFSET, 2005.

SILVA, Vívia de Melo. Por uma formação da juventude campinense: o Colégio Gigantão da Prata (1948-1962). 2014. 180 f. Tese (Doutorado em Educação) - Universidade Federal da Paraí¬ba, João Pessoa, 2014.