A curiosa história da primeira escola a formar um agrimensor no Estado de Santa Catarina

Conteúdo do artigo principal

Cesar Rogério Cabral
https://orcid.org/0000-0003-4170-4410
Julia Cucco Dalri
Markus Hasenack

Resumo

A história da formação de agrimensores em Santa Catarina e por extensão no Brasil está dispersa em vários arquivos de instituições públicas e privadas, sendo que uma parte significativa está definitivamente perdida. Em Santa Catarina, os agrimensores registrados vinham de escolas de outros estados ou com diplomas validados de outros países, condição que dificulta o resgate de documentação que aponte o primeiro profissional formado em Santa Catarina. As pesquisas indicam que em 1901 surgiu em Florianópolis o Instituto Technico Commercial e Naval, escola com esta finalidade em Santa Catarina, estabelecendo-se a partir desta, outras instituições que então passaram a formar Agrimensores no Estado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Detalhes do artigo

Como Citar
Cabral, C. R. ., Dalri, J. C. ., & Hasenack, M. . (2022). A curiosa história da primeira escola a formar um agrimensor no Estado de Santa Catarina. Cadernos De História Da Educação, 21(Contínua), e063. https://doi.org/10.14393/che-v21-2022-63
Seção
Artigos
Biografia do Autor

Cesar Rogério Cabral, Instituto Federal de Santa Catarina (Brasil)

https://orcid.org/0000-0003-4170-4410
http://lattes.cnpq.br/5017586133450806
ccabral@ifsc.edu.br

Julia Cucco Dalri, Universidade do Estado de Santa Catarina (Brasil)

https://orcid.org/0000-0003-4237-8880
http://lattes.cnpq.br/9072707757899689
juliacucco@yahoo.com.br

Markus Hasenack, Instituto Federal de Santa Catarina (Brasil)

https://orcid.org/0000-0003-4477-9143
http://lattes.cnpq.br/4175654545239374
hasenack@ifsc.edu.br

Referências

ARQUIVO PÚBLICO DE SANTA CATARINA. Livro dos Agrimensores. Florianópolis, 1864

BRASIL. Decreto-lei nº 1.318, de 30 de janeiro de 1854. Manda executar a Lei N.º 601 de 18 de Setembro de 1850. Disponível em: http://www2.camara.leg.br/legin/fed/decret/1824-1899/decreto-1318-30-janeiro-1854-558514-publicacaooriginal-79850-pe.html. Acesso em 12 jul. 2020.

BRASIL. Decreto-lei nº 3.198, de 16 de dezembro de 1863. Approva as instrucções para nomeação de Agrimensores. Disponível em: http://www2.camara.leg.br/legin/fed/decret/ 1824-1899/decreto-3198-16-dezembro-1863-555382-publicacaooriginal-74601-pe.html. Acesso em 12 jul.2020.

CONGRESSO. Jornal Republica, Florianópolis, 28 SET.1897. p.2.

CUNHA JUNIOR, Dirley. Terras devolutas nas constituições republicanas. Revista Jurídica dos formandos em direito da UFBA, Salvador, s/e., v. IV, pp. 261-276, jul./dez. 1998.

DALLABRIDA, Norberto. O ginásio das elites dirigentes. In: DALLABRIDA, Norberto; CARMINATI, Celso João. (Org.). O tempo dos ginásios: ensino secundário em Santa Catarina (final do século XIX-meados do século XX). Campinas - SP: Mercado de Letras, 2007, p. 261-285.

FONSECA, Celso Suckow da. História do ensino industrial no Brasil. Rio de Janeiro: SENAI/DN/DPEA, 1986. 5V. 319 p.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA, IBGE Estatísticas do Séc. XX. Disponível em: https://seculoxx.ibge.gov.br/populacionais-sociais-politicas-e-culturais/ busca-por-temas/populacao.html. Acesso em 10 jul. 2020.

INSTITUTO TECHNICO. Jornal Republica, Florianópolis, 20 set. 1897. p.2.

INSTITUTO TECHNICO. Jornal Republica, Florianópolis, 7 dez.1902. p.1.

INSTITUTO TECHNICO COMMERCIAL E NAVAL. Estatuto, Florianópolis, 1901. 13p.

INSTITUTO TECHNICO COMMERCIAL E NAVAL. Jornal O Dia, Florianópolis, 11 jul.1901. p.3.

JORNAL PHENIX, anno I, número 26. Capa, Florianópolis,1916

PIAZZA, Walter Fernando. A epopéia açórico - madeirense 1747- 1756. Florianópolis: UFSC/ Lunardelli, 1992. 490 p.

REIS FILHO, Nestor Goulart. Evolução urbana do Brasil (1500-1720). São Paulo. Pioneira. 1968. 235p.

ROSA, Jose Edu; MADEIRA, Ademar Américo. Odontologia Catarinense: evolução, ensino e movimento associativo. Florianópolis: Ed. da UFSC; [S.I]:Lunardelli, 1982. 333p

SANTA CATARINA. Lei Estadual nº 502 de 16 de agosto de 1901, reconhece a titulação atribuída pelo Instituto Technico Commercial e Naval.

VIEIRA, Amalize de Hollanda. Instituto Polytechnico: no contexto sócio-cultural de Florianópolis. Florianópolis: A&P, 1986. 128p.