Circulação de modelos para o ensino de Ciências Naturais: o método de ensino intuitivo na transição entre Império e República

Conteúdo do artigo principal

Vera Teresa Valdemarin
https://orcid.org/0000-0001-9379-9947

Resumo

Este artigo adota a perspectiva histórica (décadas finais do século XIX) para analisar a circulação de prescrições vinculadas ao método de ensino intuitivo. As fontes documentais são dois manuais didáticos dedicados a orientar as práticas pedagógicas de professores primários: Primeiras Lições de Coisas, de N. A. Calkins, publicado em  língua portuguesa em 1886 e A Eschola Publica, organizado por Oscar Thompson e outros autores, publicado em 1895. A difusão do método intuitivo ou lições de coisas esteve aliada a transformações pedagógicas que incluem aspectos metodológicos e formação de professores, bem como desenvolvimento social e econômico, tornando-se um símbolo de modernização no estado de São Paulo. Focalizando o ensino de Ciências Naturais, o artigo evidencia diferentes interpretações e sentidos adquiridos pela inovação pedagógica no contexto brasileiro. Essas diferenças explicitam, por sua vez, diferentes concepções sobre a ciência e sobre seu ensino, uma vez que estão assentadas em diferentes formas de raciocínio e hábitos mentais que procuram sedimentar. Um deles, priorizou os passos lógicos para ensinar; o outro foi delimitado às prescrições do currículo escolar.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Detalhes do artigo

Como Citar
Valdemarin, V. T. . (2020). Circulação de modelos para o ensino de Ciências Naturais: o método de ensino intuitivo na transição entre Império e República. Cadernos De História Da Educação, 19(3), 1033–1050. https://doi.org/10.14393/che-v19n3-2020-22
Seção
Artigos
Biografia do Autor

Vera Teresa Valdemarin, Universidade Estadual Paulista (Brasil)

https://orcid.org/0000-0001-9379-9947
http://lattes.cnpq.br/9701075189282146
vera.valdemarin@unesp.br

Referências

A ESCHOLA PUBLICA. Linguagem em lições de coisas I. São Paulo, v. 1, n. 6, p. 45-46, jan., 1894.

A ESCHOLA PUBLICA. Linguagem em lições de coisas II. São Paulo, v. 1, n. 7, p. 54-55, fev., 1894.

BARBOSA, Rui. Reforma do ensino primário e várias instituições complementares da instrução pública. Rio de Janeiro: Ministério da Educação e Saúde, 1947. (Obras completas, v. 10, t. 1-4).

BASTOS, Maria Helena Câmara. Pro Patria laboremus: Joaquim José de Menezes Vieira (1848-1897). Bragança Paulista: EDUSF, 2002.

BRASIL. Decreto-Lei nº 7247, de 19 de abril de 1879. Reforma do ensino primário, secundário e superior no município da Corte em todo o Império. In: BARBOSA, R. Reforma do ensino secundário e superior. Rio de Janeiro: Ministério da Educação e Saúde, 1942, p. 273-303.

CALKINS, Nornam Allison. Primeiras lições de coisas: manual de ensino elementar para uso dos pais e professores. Tradução de Rui Barbosa. Obras Completas, v. XIII, tomo 1. Rio de Janeiro: Ministério da Educação e Saúde, [1886], 1950.

CARVALHO, Marta Maria Chagas de. Modernidade pedagógica e Modelos de Formação Docente. São Paulo em Perspectiva, v.14, n.1, p.111-120, jan./mar., 2000. https://doi.org/10.1590/S0102-88392000000100013

CARVALHO, Marta Maria Chagas de. A caixa de utensílios e a biblioteca: pedagogia e práticas de leitura. In: VIDAL, D. G.; HILSDORF, M. L. (Orgs.). Brasil 500 anos: tópicas em história da educação. São Paulo: EDUSP, 2001. p. 137-167.

CARVALHO, Marta Maria Chagas de. A escola e a República e outros ensaios. Bragança Paulista: EDUSF, 2003.

CATANI, Denice Barbara. Educadores à meia-luz: Um estudo sobre A Revista de Ensino da Associação Beneficente do professorado público de São Paulo (1902-1918). Bragança Paulista: EDUSF, 2003.

CHAMON, Carla Simone. Maria Guilhermina Loureiro de Andrade: a trajetória profissional de uma educadora (1864 1914). 2005. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2005.

GONÇALVES, Gisele Nogueira; WARDE, Mirian Jorge. Oscar Thompson. In: FÁVERO, M. L. De A.; BRITO, J. M. Dicionário de educadores no Brasil da Colônia aos dias atuais. Rio de Janeiro: Editora UFRJ/MEC-INEP, 2002. p. 867-872.

HILSDORF, Maria Lucia. Francisco Rangel Pestana: jornalista, político, educador. 1986. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo, 1986.

KIDDLE, Henry; HARRISON, Thomas e CALKINS, Norman Allison. How to teach. A graded Course of Instruction and Manual of Methods for the use of Teachers. New York: Van Antwerp, Bragg and Co., 1873.

MAGALHÃES, Justino. O mural do tempo. Manuais escolares em Portugal. Lisboa: Edições Colibri/ Instituto de Educação da Universidade de Lisboa, 2011.

MONARCHA, Carlos. Escola Normal da Praça: o lado noturno das luzes. Campinas, SP: Editora da Unicamp, 1999.

MORTATTI, Maria do Rosário Longo. Os sentidos da alfabetização: São Paulo (1876 – 1994). São Paulo: Editora Unesp, 2000. https://doi.org/10.7476/9788539302697

MOTTA, Cesário. Nossa folha. In: THOMPSON, O. et al. A Eschola Publica: ensaio de Pedagogia Prática. São Paulo: Typographia Paulista, 1895, p. 8.

OLIVEIRA, Marcus Aldenison. Circulação. In: VALENTE, W. R. (Org.). Cadernos de Trabalho II. (volume 1). São Paulo: Editora Livraria da Física. 2018, p. 11-83

PEREIRA, Antonio R. A Zoologia em lições de coisas. In: THOMPSON, O. et al. A Eschola Publica: ensaio de Pedagogia Prática. São Paulo: Typographia Paulista, 1895, p. 95-138.

PEREIRA, Antonio R. Algumas lições de Botânica. In: THOMPSON, O. et al. A Eschola Publica: ensaio de Pedagogia Prática. São Paulo: Typographia Paulista, 1895, p. 273-305.

PINTO, Adriana Aparecida. Orientações pedagógicas e prescrições metodológicas: A Revista A Eschola Publica e a instrução (1893-1897). In: FURTADO, A. C.; BERTOLETTI, E. N. M.;

MOREIRA, K. H. (orgs.). História da Educação Escolar: múltiplas fontes, múltiplos olhares. São Carlos: Pedro & João Editores, 2012. p. 153-173.

REIS FILHO, Casemiro. A educação e a ilusão liberal. 1. ed. São Paulo: Cortez/Autores Associados, 1981.

RIO DE JANEIRO. Primeira Exposição Pedagógica do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Typographia Nacional, 1884.

SANT’ANNA, Joaquim. Physica I. In: THOMPSON, O. et al. A Eschola Publica: ensaio de Pedagogia Prática. São Paulo: Typographia Paulista, 1895, p. 73-94.

SANT’ANNA, Joaquim. Chimica. In: THOMPSON, O. et al. A Eschola Publica: ensaio de Pedagogia Prática. São Paulo: Typographia Paulista, 1895, p. 183-191.

SCHELBAUER, Analete Regina. Ideias que não se realizam. O debate sobre a educação do povo no Brasil de 1870 a 1914. Maringá: EDUEM, 1998.

SILVEIRA, Carlos da. Apontamentos para uma história do ensino público em São Paulo: revistas de ensino. Educação. São Paulo, v. 7, n. 3, jun., 1929, p. 323-332.

SOBE, Noah. W. Entanglement and transnationalism in the History of American Education. In: POPKEWITZ, T. S. (ed.). Rethinking the History of Education. Transnational perspectives on its questions methods and knowledge. New York: Palgrave MacMillan, 2013, p. 93-107. https://doi.org/10.1057/9781137000705_5

SOUZA, Rosa Fatima. Templos de civilização: a implantação da escola primária graduada no Estado de São Paulo (1890-1910). São Paulo: Ed. da Unesp, 1998.

THOMPSON, Oscar et al. A Eschola Publica: ensaio de Pedagogia Prática. São Paulo: Typographia Paulista, 1895.

VALDEMARIN, Vera Teresa. Estudando as lições de coisas: análise dos fundamentos filosóficos do método do ensino intuitivo. Campinas: Autores Associados, 2004.

VALDEMARIN, Vera Teresa. O método intuitivo: os sentidos como janelas e portas que se abrem para um mundo interpretado. In: SAVIANI, D.; ALMEIDA, J. S.; SOUZA, R. F.; VALDEMARIN, V. T. (Orgs.). O legado educacional do século XIX. Campinas: Autores Associados, 2006.

VALDEMARIN, V. T; PINTO, A. A. Das formas de ensinar e conhecer o mundo: lições de coisas e método de ensino intuitivo na imprensa periódica educacional do século XIX. Revista Educação em questão. Natal/RN, v. 39, n. 25, p. 163-187, set./dez., 2010.

WARDE, Mirian Jorge. Oscar Thompson na Exposição de St. Louis (1904): an exhibit showing. In: FREITAS, M. C.; KUHLMANN JUNIOR, M. (Orgs.). Os Intelectuais na História da Infância. São Paulo: Cortez, 2002, p. 409-458.

WILLIAMS, Raymond. Marxismo e Literatura. Tradução de Waltensir Dutra. Rio de Janeiro: Zahar, 1979.