FORMANDO SUJEITOS MASCULINOS, CATÓLICOS E DE ELITE: CULTURA ESCOLAR NO COLÉGIO CATARINENSE NA DÉCADA DE 1950

Conteúdo do artigo principal

Juliana Topanotti dos Santos de Mello
Norberto Dallabrida

Resumo

Este artigo procura compreender a cultura escolar plasmada no Colégio Catarinense, dirigido por padres jesuítas e frequentado por adolescentes homens, na década de 1950. À luz das proposições de Roger Chartier e de Dominique Julia, considera-se que, a partir da cultura escolar prescrita nos textos normativos, as instituições educativas produzem culturas escolares específicas. Tendo como referência as prescrições em nível nacional determinadas pela Lei Orgânica do Ensino Secundário, a cultura escolar praticada no Colégio Catarinense é analisada a partir da apropriação jesuítica dos saberes, do regime disciplinar colocado em marcha no cotidiano colegial e do incitamento ao associativismo estudantil. Analisa-se, portanto, a tessitura de uma cultura escolar que buscava formar sujeitos masculinos, católicos e de elite.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Detalhes do artigo

Como Citar
Mello, J. T. dos S. de, & Dallabrida, N. (2014). FORMANDO SUJEITOS MASCULINOS, CATÓLICOS E DE ELITE: CULTURA ESCOLAR NO COLÉGIO CATARINENSE NA DÉCADA DE 1950. Cadernos De História Da Educação, 12(2). Recuperado de https://seer.ufu.br/index.php/che/article/view/25021
Seção
Artigos