ESCOLA, IMIGRAÇÃO ALEMÃ E IDENTIDADE ÉTNICA NO PARANÁ E EM SANTA CATARINA

Conteúdo do artigo principal

Ademir Valdir dos Santos
Ariclê Vechia

Resumo

A presença alemã no Brasil foi intensificada a partir de meados do século XIX. Diversos aspectos marcaram a constituição identitária peculiar entre os imigrantes, mas à escola se atribui centralidade na conformação da identidade étnica. O objetivo é discutir a organização escolar e seus rituais pedagógicos. A metodologia é embasada na pesquisa documental com análise de fontes primárias dos estados do Paraná e Santa Catarina, numa cronologia que compreende a segunda metade do século XIX e as primeiras décadas do século XX. Os resultados evidenciam as peculiaridades das escolas como ambientes de manutenção de aspectos identitários étnicos parametrizados pela ambiguidade. Indica-se a constituição de uma escola onde o bilinguismo é característico e o currículo ligado à cultura alemã vai convivendo com elementos nacionais que buscavam abrasileirar, resultando na convivência de aspectos que suportaram uma identidade de germanidade em conflito com outros que marcaram a edificação de uma nacionalidade brasileira.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Detalhes do artigo

Como Citar
Santos, A. V. dos, & Vechia, A. (2014). ESCOLA, IMIGRAÇÃO ALEMÃ E IDENTIDADE ÉTNICA NO PARANÁ E EM SANTA CATARINA. Cadernos De História Da Educação, 12(2). Recuperado de https://seer.ufu.br/index.php/che/article/view/25011
Seção
Artigos