Existe variabilidade para o caráter tempo de cocção em feijão? depende do erro!

Authors

  • Carmelice Boff de Almeida Universidade do Estado de Santa Catarina
  • Bruna Arruda Universidade do Estado de Santa Catarina
  • Tomás Pellizzaro Pereira Universidade do Estado de Santa Catarina
  • Naine Martins do Vale Universidade do Estado de Santa Catarina
  • Joice Crescêncio Heidemann Universidade do Estado de Santa Catarina
  • Jefferson Luís Meirelles Coimbra Universidade do Estado de Santa Catarina
  • Altamir Frederico Guidolin Universidade do Estado de Santa Catarina

Abstract

O reduzido tempo para a cocção de feijão é uma característica almejada pelos programas de melhoramento. Assim, a técnica empregada para a mensuração do tempo de cozimento deve ser precisa e discriminar os genótipos pelo seu potencial genético. Neste aspecto, este estudo teve como objetivo verificar a existência de variação no método utilizado para determinação do tempo de cocção em feijão. O experimento foi desenvolvido na Universidade do Estado de Santa Catarina, nas dependências do Instituto de Melhoramento e Genética Molecular da UDESC (IMEGEM), no ano de 2009/10. Grãos oriundos de 36 populações mutantes de feijão foram submetidos ao teste de cocção por meio do aparelho cozedor de Mattson, com duas repetições por unidade experimental. Os dados foram analisados considerando três modelos estatísticos: i) especificando informações referentes ao erro experimental; ii) ao erro de amostragem e; iii) considerando as repetições como um fator de variação. Foram empregados três tipos de resíduos nas análises, sendo, o erro total, o erro experimental e o erro de amostragem. Para o mesmo conjunto de dados, resultados discrepantes foram gerados com a utilização de diferentes resíduos, evidenciando a necessidade de rigor nas especificações dos modelos estatísticos e na escolha do resíduo apropriado para testar as hipóteses. A técnica empregada para a avaliação do tempo de cocção apresentou variação intrínseca ao método, sendo necessária a utilização de repetições dentro da unidade experimental para estimar o erro de amostragem e purificar o erro experimental.

Downloads

Download data is not yet available.

Published

2011-12-22

How to Cite

ALMEIDA, C.B. de, ARRUDA, B., PEREIRA, T.P., VALE, N.M. do, HEIDEMANN, J.C., COIMBRA, J.L.M. and GUIDOLIN, A.F., 2011. Existe variabilidade para o caráter tempo de cocção em feijão? depende do erro! . Bioscience Journal [online], vol. 27, no. 6, pp. 915–923. [Accessed2 December 2022]. Available from: https://seer.ufu.br/index.php/biosciencejournal/article/view/12212.

Issue

Section

Agricultural Sciences