O corpo maravilhoso do brigante italiano: quando sensibilidades artísticas encarnam fantasias populares

Autores

  • Vincenzo Padiglione

Resumo

Neste ensaio me proponho a analisar o corpo do brigante como um artefato da cultura visual do século XIX, um produto de grande sucesso, que colocou em cena as razões do fascínio contrapostas àquelas que no mesmo período decretavam o extermínio dos briganti, formas de ilegalidade social bastante radicadas na Itália pré-unitária. Interessa-me colher traços impressos nas vestimentas e nas posturas da representação do brigante, as lógicas internas aos principais contextos culturais que inventaram e alimentaram o brigantaggio como fenômeno unitário, evocando a dinâmica histórica e a ressonância cultural, a mutação da cena artística, e mais recentemente as políticas locais de patrimonialização. Uma reconstrução que assume primeiramente os textos narrativos e depois as gravuras e as pinturas a óleo, como etnografias visíveis, ou seja, documentos capazes de revelar, se interrogados, pertinentes e densos contextos artísticos e populares.

palavras-chave: antropologia histórica; cultura visual; fascínio dos rebeldes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Vincenzo Padiglione

Professor de Antropologia Cultural da Università di Roma

Downloads

Publicado

2015-02-26

Como Citar

Padiglione, V. (2015). O corpo maravilhoso do brigante italiano: quando sensibilidades artísticas encarnam fantasias populares. Artcultura, 15(26). Recuperado de https://seer.ufu.br/index.php/artcultura/article/view/29140

Edição

Seção

Dossiê: Exposições de Arte & História