Letícia Lanz

vivenciando a experiência moderna da “Estética da Existência”

Autores

  • Pedro Anácio Camarano Universidade Federal de Goiás – Regional Catalão - UFG
  • Tainá Camila dos Santos Universidade Federal de Uberlândia - UFU https://orcid.org/0000-0001-5270-573X

DOI:

https://doi.org/10.14393/HTP-v3n2-2021-62272

Palavras-chave:

Processos de subjetivação, Estética da existência, Letícia Lanz

Resumo

Tendo como intuito explorar a problemática da questão do sujeito nas análises genealógicas de Michel Foucault, este artigo é parte de um projeto de pesquisa em Análise do Discurso sobre uma estética bajubeira. A partir de enunciados de Leticia Lanz, refletimos sobre as regras de existência que a psicanalista dá a si mesma, fomentando a estilização da vida de acordo com uma ética de existência própria. Tendo como perspectiva teórico-metodológica os estudos discursivos foucaultianos, desenvolveremos a análise com base na História da Sexualidade, que narra formas de práticas de si em diferentes momentos históricos da cultura ocidental. Os resultados apontam para a possibilidade de os sujeitos criarem modos singulares de ser e viver diante dos códigos morais que normatizam as existências.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Pedro Anácio Camarano, Universidade Federal de Goiás – Regional Catalão - UFG

Mestre em Estudos da Linguagem pelo Programa de Pós-Graduação em Estudos da Linguagem da Universidade Federal de Goiás – Regional Catalão.

Tainá Camila dos Santos, Universidade Federal de Uberlândia - UFU

Doutoranda em Estudos Linguísticos pelo Programa de Pós-Graduação em Estudos Linguísticos da Universidade Federal de Uberlândia.

Referências

AALBUQUERQUE JÚNIOR, Durval Muniz de. Bolsonaro ou o desejo masoquista. Agência de reportagem SAIBA MAIS, 2018. Disponível em: <https://www.saibamais.jor.br/bolsonaro-ou-o-desejo-masoquista/ >. Acesso em: 15 abr. 2019.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. Mil platôs: capitalismo e esquizofrenia 2. Tradução Ana Lúcia de Oliveira, Aurélio Guerra Neto e Célia Pinto Costa. 2 ed. São Paulo: Editora 34, 2011.

FERNANDES, Cleudemar Alves. Em Foucault, o sujeito submergido no discurso. In: PIOVEZANI, C.; CURCINO, L.; SARGENTINI, V. (Orgs.). Presenças de Foucault na Análise do Discurso. São Carlos: EdUFUSCar, 2014, p.107-124.

FOUCAULT. Michel. O que é um autor? Lisboa: Passagens, 1992.

FOUCALT, Michel. O Sujeito e o Poder. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1995.

FOUCAULT, Michel. A Verdade e as Formas Jurídicas. Tradução Eduardo Jardim e Roberto Machado. Rio de Janeiro: Nau Ed., 1999.

FOUCAULT, Michel. Ditos e Escritos IV: Ética, estratégia, poder-saber. Organização, seleção e revisão técnica Manuel Barros da Motta; tradução Vera Lucia Avellar Ribeiro. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2003.

FOUCAULT, Michel. Ditos e escritos V: Ética, sexualidade, política. Organização, seleção e revisão técnica Manuel Barros da Motta; tradução Elisa Monteiro e Inês Autran Dourado Barbosa. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2004.

FOUCAULT, Michel. A História da Loucura: na Idade Clássica. Tradução José Teixeira Coelho Neto. 8 ed. São Paulo: Perspectiva, 2005.

FOUCAULT, Michel. A arqueologia do saber. Tradução Luiz Felipe Baeta Neves. 8 ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2008.

FOUCAULT, Michel. Ditos e Escritos IX: Genealogia da ética, subjetividade e sexualidade. Organização, seleção e revisão técnica Manuel Barros da Motta; tradução Abner Chiquieri. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2014a.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e punir: nascimento da prisão. Tradução Raquel Ramalhete. Petrópolis, RJ: Vozes, 2014b.

FRANCISCO, A. L. As confissões da carne (Resenha). Revista Ecopolítica, n. 21, p. 75-99, maio-ago. 2018. Disponível em: <https://revistas.pucsp.br/index.php/ecopolitica/article/view/40055/27045>. Acesso em: 24 abr. 2019.

LANZ, Letícia. O corpo da roupa: a pessoa transgênera entre a transgressão e a conformidade com as normas de gênero. Uma introdução aos estudos transgêneros. Curitiba: Transgente, 2015.

LIMA, Marco Aurélio de. Contornos de subjetividade na web – a escrita de si em blogs: uma análise institucional do discurso. 2016. 164f. Tese (Doutorado em Psicologia), Instituto de Psicologia, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2016.

NAVARRO, Pedro. Discurso, História e Memória. In: TASSO, I. (Org.). Estudos do texto e do discurso: interfaces entre língua(gens), identidade e memória. São Carlos: Claraluz, 2008, p. 59-74.

NAVARRO, Pedro; BAZZA, Adélia Bortolon. Práticas de subjetivação em discursos de idosos. In: FERNANDES JÚNIOR, A.. STAFUZZA, G. B. (Orgs.). Discursividades Contemporâneas: política, corpo, diálogo. Campinas: Mercado das Letras, 2017, p. 149-173.

PRADO FILHO, Kleber. Estetização da subjetividade: formas contemporâneas de cuidado e produção de si mesmo. Cadernos Discursivos, Catalão-GO, Edição Especial, v. 2, n. 1, p. 92-103, 2018. Disponível em: <https://files.cercomp.ufg.br/weby/up/595/o/Art_6_Esp_2018.pdf>. Acesso em: 11 jun. 2019.

RAVEL, Judith. Dicionário Foucault. Rio de Janeiro: Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2011.

SAFATLE, Vladimir. As confissões da carne. Revista IHU on-line, São Leopoldo: 2018. Disponível em: <http://www.ihu.unisinos.br/78-noticias/576138-as-confissoes-da-carne>. Acesso em: 11 jun. 2018.

Downloads

Publicado

2021-11-10

Como Citar

CAMARANO, P. A. .; SANTOS, T. C. dos. Letícia Lanz: vivenciando a experiência moderna da “Estética da Existência” . Revista Heterotópica, [S. l.], v. 3, n. 2, p. 110–123, 2021. DOI: 10.14393/HTP-v3n2-2021-62272. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/RevistaHeterotopica/article/view/62272. Acesso em: 19 maio. 2022.